Elefantes que pintam: isso pode ser considerado maus-tratos?

junho 30, 2018
Aproveitando-se da incrível inteligência dos paquidermes, existem determinados adestradores que utilizam métodos que poderiam ser considerados uma forma de agressão. Mesmo sem esses métodos, é preciso se questionar se isso é ético.

Você já viu alguma vez elefantes que pintam? Essa e outras imagens do mundo animal nos deixam espantados, mas por trás pode haver um obscuro segredo.

A exploração da inteligência animal

A inteligência dos animais chama nossa atenção de forma contundente; desde animais resolvendo quebra-cabeças àqueles  que imitam a fala humana. O uso que eles fazem de ferramentas e outras demonstrações de inteligência dão asas à imaginação do ser humano.

Infelizmente, isso também despertou a exploração dessas habilidades com fins lucrativos. Os animais atores e os de circo são um exemplo disso, da mesma forma que a exploração da fauna com finalidades turísticas.

Elefantes que pintam: isso pode ser considerado maus-tratos?

Um exemplo claro são os elefantes que pintam. Com certeza você já viu imagens que mostram esses paquidermes pintando quadros com motivos florais ou, até mesmo, elefantes, enquanto seguram um pincel com sua tromba e um domador o acompanha.

Esses elefantes que pintam podem ser vistos em algumas áreas turísticas da Tailândia e, embora pudesse parecer uma demonstração da inteligência do elefante, simplesmente assistimos a uma atuação baseada em adestramento através de maus-tratos.

Normalmente, esses animais são acompanhados de perto por um criador, que parece, inclusive, atuar como amigo do elefante. No entanto, o que acontece na verdade é que os elefantes são forçados a pintar.

elefante pintando

Para que sejam adestrados para essa atividade, eles também precisam ser separados de suas mães. A estrutura social das manadas de elefantes é muito complexa, e reflete seus múltiplos laços familiares e de inteligência emocional.

Elefantes que pintam: como eles conseguem fazer isso?

O que acontece nesses espetáculos é que vários elefantes são conduzidos para ficarem diante de diversas telas, enquanto são acompanhados por seu cuidador, que nunca se afasta deles e lhes oferece os pincéis e a tinta.

Esses animais começam a pintar seus quadros junto com seu tratador, que fica quase que grudado no corpo do animal. Quando acabam de pintar o quadro, eles são leiloados e o elefante é premiado com bananas ou outro alimento.

Em primeiro lugar, chama a atenção que os elefantes sejam capazes de desenhar. Embora sua inteligência seja lendária, a arte é algo muito humano e a sabedoria do elefante se mede de outras formas: a verdade é que a arte de desenhar é puramente humana, e consegue ser desenvolvida mediante adestramento.

Infelizmente, esse adestramento não é amigável; os adestradores puxam as orelhas dos bichos ou, até mesmo, espetam elementos pontiagudos aproveitando-se do fato de estarem perto do animal. Isso lhes permite conduzir a tromba do elefante à vontade.

Além disso, cada elefante tem um desenho característico que repete dia após dia. Por isso, os elefantes acabam memorizando o desenho e o executam para não sofrer agressões e receberem seu prêmio.

elefante que pinta

Elefantes que pintam: isso é ético?

A verdade é que é possível adestrar animais sem chegar a ponto de maltratá-los, e com certeza algumas pessoas agem dessa maneira com seus elefantes; dando leves toques e ordens, somados a prêmios, seria possível conseguir esse comportamento. É um método que exige maior dedicação, formação e provavelmente maior empatia com os elefantes; uma empatia que não compactua com obrigá-los a agir por dinheiro.

Independentemente de como se realiza essa atividade, a verdade é que estamos vendo a fauna silvestre adotar comportamentos anormais em cativeiro, em troca de dinheiro: seria ético, mesmo sem maus-tratos?

É por isso que recomendamos a vocês que não promovam espetáculos onde se estimule animais selvagens a se comportarem de forma antinatural: tigres saltando aros em chamas, ursos dançando ou papagaios andando em bicicletas são faces da mesma moeda, a exploração de animais selvagens.

E devemos ter em mente que o turismo deve ser feito de maneira responsável, e pagar por esse tipo de atividade nos torna o pior sofrimento que podem ter esses elefantes.