Um pastor alemão e um bebê elefante, uma amizade que vai além das aparências

Os animais não se importam com questões de aparência, idade, raça ou espécie. Isso fica provado através da história que vamos contar a você hoje: um pastor alemão e um bebê elefante que se tornaram amigos.

De onde surgiram essas duas espécies tão diferentes? Como chegaram a se conhecer dois seres tão distintos entre si? Vamos contar essa história para você!

A história do pastor alemão e do bebê elefante

Esse cãozinho vivia em um abrigo na África do Sul. Não sabemos ao certo se era o animal de estimação de um dos tratadores, ou, simplesmente, o pet de algum dos voluntários que trabalham no local.

Esse centro de acolhimento se dedica especialmente ao resgate e reabilitação de rinocerontes que foram vítimas de caça, prática muito comum na África. No entanto, quando souberam da existência desse bebê elefante, abriram uma exceção.

O bebê elefante chegou ao abrigo depois de ter sido rejeitado por sua família. Os elefantes são animais que vivem em manada, não se deslocam sozinhos, por isso não ter uma família é algo devastador para eles. Imagina com se sentiu o elefantinho!

Depois de muitas tentativas de emigrar com sua família, ele foi rejeitado. Quando tentou se juntar a outra manada, foi rejeitado também. Qual foi o motivo da rejeição? Não se sabe, mas, pelo que parece, esse bebê elefante nasceu com uma hérnia gigantesca dentro de si, provocada por uma infecção no cordão umbilical.

Provavelmente, esse foi o motivo para a rejeição sofrida pelo pobre animail. Parece que ele não veio bem ao mundo.

Um raio de esperança surge para o bebê elefante

Dizem que depois da tempestade chega a bonança. E esse bebê encontrou um pouco de esperança ao chegar ao abrigo para rinocerontes em Tula Tula. 

Apesar dos cuidadores pensarem que ele não sobreviveria por causa do tamanho de sua hérnia, e por ter intolerância a lactose, Ellie, o bebê elefante, conseguiu recuperar a sua saúde.

Os tratadores não cruzaram os braços, chegando até a criar uma mistura de componentes que forneceria tudo o que era necessário para o bebê, e que podia ser um substituto para o leite.

Eles proporcionaram ao animal os cuidados necessários e, claro, o calor e carinho que precisava. Em pouco tempo, Ellie estava bem de saúde.

Contudo, ainda havia outro problema. Como explicamos antes, para um elefante, não fazer parte de uma manada é algo devastador. Isso faz parte de sua natureza, devem viver em família. Agora, Ellie estava só, por isso, apesar de estar bem fisicamente, ela estava sofrendo uma enorme depressão.

Começa a amizade do pastor alemão com o bebê elefante

No momento certo, apareceu esse cachorro, que salvou Ellie de uma depressão. Chegou ao lugar onde estava deitado e, como em um passe de mágica, o bebê elefante recuperou a vontade de viver.

Um verdadeiro amigo ama o tempo todo,
e é um irmão que temos para os momentos de angústia

-Provérbio bíblico-

Sem se importar com a espécie, a raça ou as aparências, a amizade do pastor alemão e do bebê elefante foi crescendo a passos largos. Finalmente, Ellie já tinha uma família! Pequena, mas uma família no final das contas. Sua pequena manada.

Os tratadores do abrigo não estão certos se Ellie conseguirá ser feliz e continuar vivendo graças a essa mini família que foi formada entre o pastor alemão e o bebê elefante.

Mesmo que neste momento estejam felizes e a depressão de Ellie tenha acabado. Não seria o primeiro caso de um elefante que vive afastado de uma manada por ter recebido o amor e os cuidados necessários. Desejamos do fundo do nosso coração que aconteça o mesmo no caso de Ellie.

Mais uma história que mostra que a amizade não tem fronteiras, que com amor tudo é possível, que o carinho derruba barreiras, e que se todos fossem bondosos uns com os outros, este mundo seria um lugar melhor, não só para os animais, mas também para nós.

Fonte da imagem: laopinion.com

Recomendados para você