Eresus walckenaeri: cuidados em cativeiro e características

Eresus é um gênero de aranhas dóceis, de fácil manutenção e simples aquisição em muitas lojas especializadas na venda de artrópodes.
Eresus walckenaeri: cuidados em cativeiro e características

Última atualização: 04 Março, 2021

Os invertebrados são uma opção cada vez mais viável como animais de estimação no campo da terrariofilia, pois geralmente requerem menos cuidados do que os anfíbios e répteis exóticos. Os artrópodes são os mais representados nesse mercado, e a espécie Eresus walckenaeri é um claro exemplo disso.

Nas linhas a seguir, vamos apresentar os cuidados e as características dessa espécie que, felizmente, foi criada com sucesso em cativeiro. Se você deseja obter um exemplar dessa curiosa aranha, continue lendo.

Características e considerações iniciais sobre Eresus walckenaeri

Eresus walckenaeri é uma espécie de artrópode araneomorfo pertencente ao gênero Eresus. Esse táxon inclui um total de 18 espécies, conhecidas como Ladybird spiders em inglês, sem uma tradução específica para o português. Esse tipo de aranha se caracteriza por apresentar um acentuado dimorfismo sexual, visto que as fêmeas são muito maiores que os machos.

No mercado de animais exóticos, duas espécies foram criadas com sucesso em cativeiro: Eresus walckenaeri e Eresus moravicus. Embora ambas apresentem características morfológicas ligeiramente variadas, o cuidado que vamos descrever aplica-se indistintamente às duas espécies, já que sua distribuição na natureza é muito semelhante.

Existem pouquíssimas informações sobre os cuidados com esse táxon animal, então para descrever seus requisitos temos que recorrer à sua área de distribuição geográfica. De acordo com o portal profissional Araneae, as espécies E. walckenaeri e E. moravicus estão distribuídas por países como Itália, Grécia, Bulgária e Turquia, além de outros territórios mediterrâneos.

Portanto, estamos falando de tipos de requisitos climáticos intermediários.

Uma aranha Eresus walckenaeri levantando as pernas.

Cuidados em cativeiro

Agora que já descrevemos o habitat da espécie e suas principais características, vamos falar sobre o cuidado em cativeiro. Vamos em frente!

O terrário

Estamos falando de aranhas pequenas, já que as fêmeas – maiores que os machos – não costumam ultrapassar quatro centímetros de diâmetro. Portanto, um terrário de plástico medindo 15x15x15 centímetros de altura, largura e comprimento será suficiente para um espécime adulto.

Lembre-se de fazer orifícios de ventilação tanto na tampa como nas laterais da instalação, visto que, como essas aranhas vêm de um clima mediterrâneo predominantemente seco, trata-se de uma espécie que não gosta de umidade excessiva. Além disso, permitir um bom fluxo de ar impedirá o crescimento e o desenvolvimento de agentes patógenos.

Quanto ao substrato, a mistura ideal costuma ser composta de terra e fibra de coco, ambos os materiais sempre livres de inseticidas. O correto é colocar uma camada de substrato com cerca de 10 centímetros de espessura, pois essa espécie é marcadamente escavadora e criará sua toca no subsolo.

Nunca coloque mais de um exemplar por instalação se não quiser que um dos dois acabe sendo devorado.

Condições climáticas

Para descrever os requisitos ambientais dessa espécie, devemos recorrer às condições do seu habitat natural e às experiências dos criadores, pois existem pouquíssimas informações sobre essa espécie. Mesmo assim, os parâmetros essenciais que você deve cumprir para manter esse invertebrado saudável são os seguintes:

  • Temperatura: Eresus walckenaeri é uma espécie muito resistente, visto que o clima do ecossistema em que habita apresenta oscilações sazonais muito marcadas. Portanto, qualquer valor entre 20 e 27 °C será adequado.
  • Umidade: essas aranhas vêm de ambientes relativamente secos. Borrife água no substrato 1-2 vezes por semana para que elas possam beber as gotas de água que se formam no material, mas não mais que isso.
  • Iluminação: coloque o terrário longe de qualquer fonte de luz direta. No verão, a incidência direta do sol pode queimar o animal.

Alimentando

Como todos os aracnídeos, Eresus é uma espécie exclusivamente carnívora. Os adultos se alimentam de grilos, larvas e baratas, ou seja, pequenas presas. Por outro lado, os espécimes jovens, devido às suas proporções minúsculas, raramente aceitam insetos maiores do que as moscas Drosophila.

Como regra geral, alimentar um indivíduo adulto uma vez por semana é suficiente. Remova qualquer presa que tiver sido seja ingerida, pois os grilos podem matar a aranha durante o período de muda. É normal que os aracnídeos fiquem sem comer por muito tempo antes de se desprenderem de seu exoesqueleto.

A espécie é muito longeva, pois as fêmeas levam quatro anos para amadurecer sexualmente e vivem até 10 anos.

Um Eresus em sua teia de aranha.

Como você pôde ver ao longo dessas linhas, Eresus walckenaeri é uma espécie muito fácil de manter. Além disso, é um aracnídeo que se deixa manipular esporadicamente e não é nada perigoso, algo atípico nesse táxon de animais exóticos.

Pode interessar a você...
Aranhas que parecem formigas: gênero Myrmarachne
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Aranhas que parecem formigas: gênero Myrmarachne

Myrmarachne é um gênero de aranhas araneomorfas da família dos salticídeos, Muitas das espécies desse táxon são aranhas que parecem formigas.