Flamingo: saiba mais sobre este curioso pássaro

· agosto 7, 2018
Essa ave possui bico em forma de gancho, para cavar na lama e encontrar comida. A intensidade da cor rosada de sua plumagem indicará seu nível de saúde; pois, se for mais pálida, significa que está desnutrida ou não foi alimentada da melhor maneira.

A primeira coisa que pensamos quando ouvimos a palavra flamingo, é em um pássaro cor-derosa com pernas compridas e que se move de forma curiosa. Neste artigo, contaremos tudo sobre esse belo animal; cujo voo é verdadeiramente majestoso.

Flamingo: características

Essas aves pertencentes ao gênero neognathae; são grandes – podem medir entre 80 e 140 centímetros de comprimento – e são caracterizadas por seus longos pescoços e pernas. Os pés são equipados com quatro dedos – três frontais e um traseiro – unidos por uma membrana.

Além disso, o bico é conhecido por sua forma de “gancho”, que lhes permite mergulhar na lama em busca de comida. Tem lamelas para filtrar o lodo. Apenas move a mandíbula superior; que é menor que a mandíbula inferior.

Todas as subespécies de flamingos são rosas; embora o tom mais claro (europeu) varie para mais escuro (caribenho). Quando os filhotes nascem, têm plumagem completamente clara; mas depois vão “mudando” enquanto se alimentam. É isso mesmo, a cor rosa vem dos carotenoides que eles obtêm da comida.

Portanto, podemos determinar se um exemplar está bem alimentado apenas observando suas penas. Essa tonalidade permite que eles, entre outras coisas, encontrem um parceiro. Se for mais rosa, é mais desejável como companheiro; caso contrário, se suas penas estiverem muito pálidas, considera-se que o exemplar está doente ou que não foi alimentado corretamente. Portanto, não é capaz de ter descendentes saudáveis!

Flamingo: alimentação e habitat

A dieta desta ave em particular é composta de algas, camarões, crustáceos e plâncton. Para se alimentar, eles precisam viver em grandes áreas de água salgada ou alcalina; em profundidades rasas e ao nível do mar (máximo de até 5.000 metros de altura).

flamingos

Os flamingos vivem em todos os continentes, exceto na Oceania e na Antártida. As três subespécies atuais são: chilena, que também habita outras áreas do sul da América do Sul; comum, na Europa, Ásia e África; e rosa, no Caribe e na América Central, que é o mais reconhecido pelo vermelho de suas penas.

Eles vivem em grandes grupos de até 20.000 exemplares. Eles são muito sociáveis ​​e interagem continuamente com os outros membros da colônia.

Apesar de não estarem em perigo de extinção, o habitat natural do flamingo está diminuindo; devido à contaminação das reservas de água e do abate da floresta nativa. Por sua vez, a falta de chuvas em algumas regiões mudou drasticamente seus hábitos reprodutivos e reduziu as populações.

Flamingo: reprodução e hábitos

Uma vez que ele atinge seis anos de idade, já é capaz de se reproduzir. Para fazer isso, ele deve esperar pela estação de acasalamento – estação chuvosa – e encontrar um parceiro através de um ritual ou ‘dança’ de namoro. Os machos se limpam e viram a cabeça para impressionar a fêmea que desejam.

flamingo

Quando se consegue um par, ocorre a cópula. A fêmea põe um único ovo branco e o deposita no ninho em forma de cone; que ela faz com galhos, pedras e lama. Choca-os por seis semanas e, pai e mãe, compartilham essa tarefa.

Quando nascem, são alimentados com uma espécie de “leite” produzido pelas glândulas do trato digestivo dos pais. Depois de alguns meses, o filhote já desenvolveu seu bico e pode se alimentar como os adultos. É somente aos três anos que suas penas adquirem um tom rosado.

Os flamingos são conhecidos por seu voo bonito e rápido, que pode chegar a 60 km/h; e também por suas longas viagens: em um dia eles podem viajar centenas de quilômetros em busca de comida para si e para os outros membros da colônia.