Você sabe qual foi o primeiro gato da Espanha?

· maio 5, 2019
Você quer saber como era o primeiro gato da Espanha? Conheça todas as características desse felino caçador.

Descobertas arqueológicas recentes revelaram que o primeiro gato da Espanha viveu há dez milhões de anos. O esqueleto dessa espécie de felino foi encontrado em sítios arqueológicos no Cerro de los Batallones, onde hoje é Madri.

A seguir, vamos contar mais detalhes sobre a incrível história do primeiro gato e do grande trabalho dos pesquisadores espanhóis.

Como era o primeiro gato da Espanha?

O novo felino recebeu o nome de Leptofelis vallesiensis. De acordo com os pesquisadores do MNCN (Museu Nacional de Ciências Naturais), esse animal era muito semelhante a um gato-montês.

O esqueleto desse gato primitivo indica que tratava-se de um gato muito esbelto e ágil, com peso estimado entre 7 e 9 quilos. Seu físico lhe dava uma grande flexibilidade, e permitia realizar grandes saltos para caçar e também escalar para se proteger.

O dado que mais se destaca, de acordo com os paleontólogos, é a combinação particular de características modernas e primitivas em seu esqueleto. De acordo com eles, esse importante carnívoro tem um “mosaico” único em seus ossos.

Suas patas traseiras mostram características de felinos primitivos, principalmente o fêmur, a pélvis e o tornozelo. Esses traços são observados na morfologia dos antigos arborícolas, cujo exemplar mais conhecido é a gineta.

As patas dianteiras desse felino primitivo têm similaridades com os felinos modernos. Trata-se de um “quebra-cabeças” de características muito especiais dos carnívoros intermediários na evolução de suas espécies.

Arqueóloga trabalhando

Como afirma o pesquisador da Universidade de Alcalá, esse mosaico de características era desconhecido até então. Por isso, o Leptofelis é um fator-chave para compreender a transformação do gato primitivo até se tornar o felino que conhecemos hoje.

Sobre o estudo histórico, esse gato primitivo nos dá uma evidência importante sobre um período do qual conhecíamos muito pouco: o Mioceno superior.

Os estudos recentes também apontam que essa espécie habitava uma paisagem mista. Ou seja, uma região que combinava áreas com muita vegetação (árvores, arbustos, etc.) com regiões mais desérticas.

Todas essas informações nos oferecem uma visão sobre como era o território de Madri há mais de 10 milhões de anos, no centro da Península Ibérica.

Leptofelis vallensiensis: um caçador eficaz com traços de trepador

Uma das características mais reveladoras do esqueleto do Leptofelis está em seus joelhos. Essas estruturas revelam que o primeiro gato da Espanha possuía uma flexibilidade muito maior do que os atuais gatos domésticos.

Essas peculiaridades físicas lhe permitiam dar saltos exuberantes e alcançar grandes alturas ao se impulsionar com a ajuda do chão. Estima-se que o Leptofelis era capaz de pegar aves com muita eficácia, mesmo quando elas tentavam voar para escapar.

Atualmente, essa habilidade de salto pode ser vista em muitos poucos felinos selvagens, como em algumas espécies de linces africanos.

Segundo os pesquisadores, o Leptofelis também possuía uma força muito maior do que os felinos atuais no músculo da base de suas patas. Graças a isso, a musculatura de suas patas era tão forte que conseguia gerar um impulsionar para trepar em árvores.

Além disso, o design das articulações de seu cotovelos lhe permitia se mover rapidamente e de forma segura no chão. Essas habilidades combinadas eram essenciais não só para perseguir suas presas, mas também para se proteger de possíveis predadores.

Sombra de gato

Seus feitos não terminam aí…

Os pesquisadores estão muito satisfeitos com as descobertas, que podem contribuir muito para compreendermos melhor a nossa história. No entanto, seus esforços concentram-se em uma nova e muito provável descoberta.

Em suas últimas buscas pelo território de Batallones, eles encontraram alguns fósseis de uma segunda espécie de felino primitivo. As peças encontradas indicam que esse animal é muito maior e possivelmente mais antigo do que o recém encontrado Leptofelis.

Sabe-se que as formações de Batallones datam de mais de 9,5 milhões e anos. Esse período compõe o Mioceno da era Cenozoica (ou Terciária). Desde o seu descobrimento, em 1991, a região mostrou-se muito “produtiva” com fósseis desse período geológico.

Levando em conta a antiguidade desses sítios arqueológicos espanhóis, os pesquisadores renovam diariamente seu entusiasmo.

Estaremos atentos às novas revelações sobre o primeiro gato da Espanha, e também, é claro, à possibilidade de conhecer novas espécies que habitaram o país muito antes do ser humano.