Guarda-rios gigante: o que come e como se reproduz?

março 10, 2019
O guarda-rios gigante africano é uma ave que foi avistada pela primeira vez em 1769.

Trata-se do maior exemplar da família dos Martins pescadores, e chama a atenção não só pelo tamanho, mas também por sua plumagem e seus hábitos. Aprenda tudo sobre o guarda-rios gigante neste artigo.

Características e localização do guarda-rios gigante

Seu nome científico é Megaceryle máxima, e pertence às aves coraciformes, dentro da família dos Cerylidae, que vive somente na África.

O guarda-rios gigante pode ser encontrado em quase todo o continente, principalmente nas áreas com muita vegetação, próximas de rios e riachos, onde encontra seu alimento.

Não mede mais de 50 centímetros, mas é a maior espécie entre os martins-pescadores. Além disso, vale a pena saber que tem um dimorfismo sexual notório. O macho é maior e mais robusto que a fêmea.

Em ambos os sexos, a plumagem é preta e prateada ou branca. As pontas das plumas da cabeça terminam em branco. O peito é mais claro que as asas e o rabo, com algumas manchas marrons ou avermelhadas.

megaceryle maxima

Além disso, o guarda-rios tem patas de cor muito escura e um bico comprido preto, assim como os olhos. O som característico dessa ave é um forte “wak wak wak”, que usa para se comunicar com seus iguais.

Até o momento, são conhecidas duas subespécies do guarda-rios gigante. O Megaceryle máxima maxim vive no sul da África, Senegal e Etiópia. Já o Megaceryle máxima gigantus habita a selva da Libéria, Tanzânia e Angola.

A primeira vez que essa espécie foi vista foi durante uma expedição realizada pelo naturalista alemão Peter Simon Pallas, em 1769.

Na época, foi denominada Alcedo máxima. Depois, em 1848, ganhou o nome que conhecemos atualmente, graças a outro naturalista alemão, Johann Jakob Kraup.

Alimentação e reprodução do guarda-rios gigante

Assim como acontece com os demais membros da família, o guarda-rios gigante se alimenta de peixes. Às vezes, pode ingerir crustáceos (principalmente caranguejos).

Quando a água está muito turva e ele não enxerga suas presas, que pesca introduzindo rapidamente o bico na água, pode consumir insetos, répteis ou anfíbios… Um oportunista completo!

guarda-rios gigante

Sobre a reprodução da espécie, a época do acasalamento depende da área onde vive. Se seu habitat é o norte do continente, os meses de reprodução ocorrem entre dezembro e fevereiro. Se, por outro lado, mora no sul, os meses serão de dezembro a janeiro.

Ainda não se sabe se o guarda-rios gigante é monogâmico, mas ambos os membros do casal constroem o ninho perto da margem de um rio.

É curioso que o “lar” do filhotes seja um extenso túnel, de até 50 centímetros de comprimento, que termina em uma câmara espaçosa e cômoda.

Antes de por os ovos (entre três e cinco), tanto a fêmea como o macho levam alimentos ao ninho, e o pai e a mãe os incubam durante um mês.

Quando os filhotes nascem, levam mais um mês para deixar o ninho pela primeira vez. Depois, mais 30 dias para saírem de vez. Durante essas oito semanas, dependem totalmente dos pais.

Não se sabe muito sobre os hábitos do guarda-rios gigante. Mas, pelo que sabemos, podemos afirmar que se trata de uma ave fascinante.

Takeishi, M. (1983). Avifauna od the Omo National Park, Ethiopia, in the Dry Season. African Study Monographs.