Hemangiossarcoma em cães: causas e sintomas

08 Janeiro, 2021
O hemangiossarcoma canino é uma doença muito grave que cães idosos podem apresentar.

O hemangiossarcoma em cães é uma doença grave, relativamente comum nessa espécie e pouco comum em outras, como os gatos. Contudo, os gatos também podem desenvolver hemangiossarcoma.

Neste artigo, vamos falar sobre o hemangiossarcoma em cães, também conhecido como angiossarcoma canino. Explicaremos o que é, quais são as suas causas e quais são os sintomas que um cão com hemangiossarcoma apresenta.

O que é um hemangiossarcoma?

O hemangiossarcoma em cães é um tumor altamente maligno derivado de linhas de células endoteliais – células que revestem o interior dos vasos sanguíneos. É caracterizada por um desenvolvimento rápido e agressivo de metástases.

É mais comum em animais mais velhos, embora, ocasionalmente, haja casos de filhotes. A idade média para um cão apresentar hemangiossarcoma é entre 8 e 13 anos. Por outro lado, não parece que machos ou fêmeas tenham maior ou menor predisposição para esse tipo de câncer.

Parece que raças de cães de grande porte têm predisposição para desenvolver esse tipo de câncer, como o pastor alemão, o golden retriever, o pointer inglês, o boxer, o labrador, etc.

O que é um hemangiossarcoma?

Além disso, raças de cães com pele pouco pigmentada e pouco pelo podem desenvolver esses tumores, mas a nível cutâneo. Essas raças são: beagles, hounds farejadores, buldogues brancos, salukis, dálmatas, etc.

Causas do hemangiossarcoma em cães

O hemangiossarcoma cutâneo em cães foi associado à exposição à luz ultravioleta. Portanto, é comum em cães que passam muito tempo ao sol durante os meses de verão. Esse tipo de câncer geralmente aparece na região ventral do abdômen, onde há menos pelos.

Os tipos subcutâneos ou hipodérmicos parecem não estar associadas à exposição a esse espectro de luz.

Outros tipos de radiação parecem estar ligados a hemangiossarcomas viscerais, como o baço ou a bexiga. Por exemplo, cães que foram expostos a várias sessões de radioterapia.

Cães que estiveram em contato com altas concentrações de estrôncio, cério ou arsênico parecem desenvolver hemangiossarcoma nos pulmões, nos ossos e no fígado.

Os hemangiossarcomas podem surgir em qualquer tecido com vasos sanguíneos, mas os locais mais comuns em cães são o baço (50% – 65%), o átrio direito do coração (3% – 25%), tecidos subcutâneos (13% – 17%) e fígado (5% – 6%).

Causas

Sintomas

Inicialmente, os sinais clínicos em um cão com hemangiossarcoma podem ser sutis. Normalmente, os animais tendem a apresentar episódios de fraqueza devido a um colapso causado por pequenas hemorragias internas que se recuperam quando são reabsorvidas pelo organismo.

Outros sintomas são:

  • Hipovolemia causada pelo próprio sangramento, como taquicardia, taquipneia e membranas mucosas pálidas.
  • Distensão abdominal.
  • Anorexia.
  • Perda de peso.
  • Se o câncer estiver no coração, sons cardíacos abafados e falta de ar serão ouvidos.
  • Quando as arritmias são fortes, sintomas como síncope, ataxia e cianose aparecem.
  • Se o tumor estiver em um osso, o cão pode sofrer de claudicação e dores nos ossos.
  • Ocorrerão convulsões se a metástase atingir o cérebro.
  • Hemorragia ou formação de petéquias nas membranas mucosas.

Em muitas ocasiões, a presença desse tipo de tumor é detectada de forma acidental em análises post-mortem devido à rapidez do desenvolvimento da doença.

Hammer, A. S., Couto, C. G., Swardson, C., & Getzy, D. (1991). Hemostatic abnormalities in dogs with hemangiosarcoma. Journal of Veterinary Internal Medicine5(1), 11-14.

Smith, A. N. (2003). Hemangiosarcoma in dogs and cats. The Veterinary clinics of North America. Small animal practice, 33(3), 533-52.

Yamamoto, S., Hoshi, K., Hirakawa, A., Chimura, S., Kobayashi, M., & Machida, N. (2013). Epidemiological, clinical and pathological features of primary cardiac hemangiosarcoma in dogs: a review of 51 cases. Journal of Veterinary Medical Science, 13-0064.