Hipotermia em répteis domésticos: causas, sintomas e tratamento

A hipotermia em répteis é uma condição que, se não for tratada, pode pôr um fim na vida do animal rapidamente. Saiba mais sobre esse tema neste espaço.
Hipotermia em répteis domésticos: causas, sintomas e tratamento

Última atualização: 12 Novembro, 2021

A criação de animais exóticos está se tornando cada vez mais comum. Não é para menos, já que répteis, anfíbios e invertebrados se destacam como animais de estimação em muitos âmbitos, principalmente em termos de registro de comportamento e conhecimento biológico. Em todo caso, costumam ser animais bastante delicados que exigem cuidados específicos. Você conhece a hipotermia em répteis?

Essa condição é comum em animais de estimação exóticos de tutores iniciantes, pois no começo pode ser difícil encontrar a temperatura exata que a espécie em questão requer. Mesmo assim, representa um quadro clínico bastante grave e deve ser tratado imediatamente. Continue lendo se quiser saber mais sobre o assunto.

Os répteis são ectotérmicos

Primeiro, achamos importante descrever as características fisiológicas dos répteis que os tornam propensos à hipotermia. Para fazer isso, devemos nos aprofundar brevemente no que significa sua condição como ectotérmicos. Essa classificação não se aplica apenas a cobras, tartarugas e lagartos, pois anfíbios, peixes e invertebrados também se enquadram no grupo da ectotermia.

Os animais ectotérmicos (independentemente do táxon a que pertençam) não são capazes de gerar, por nenhum processo metabólico ou fisiológico, seu próprio calor interno. Isso significa que eles dependem da temperatura ambiente para aumentar ou diminuir a velocidade dos processos que ocorrem dentro do seu corpo. Quanto mais alta a temperatura, mais atividade basal.

Por não gerar calor interno, os répteis geralmente requerem uma ingestão calórica menor do que os mamíferos ou as aves, pois tendem a ter metabolismo lento em algumas partes do dia (ou em certas épocas do ano). No entanto, essa adaptação tem uma desvantagem clara do ponto de vista evolutivo: se estiver muito frio, um réptil pode morrer em pouco tempo.

A taxa metabólica dos répteis é diretamente proporcional à temperatura ambiente.

O que é a hipotermia em répteis?

Causas da hipotermia em répteis

A hipotermia em répteis quase sempre é causada por um erro por parte do tutor. Cada espécie tem uma faixa de temperatura ideal (POTZ, do inglês preferred optimal temperature zone), e isso depende da área de origem e do ecossistema que ocupa. Se a POTZ do animal não for respeitada no ambiente doméstico, logo surgem as complicações.

Por isso, é necessário informar-se amplamente antes de adquirir um réptil de qualquer espécie. Todos eles requerem um gradiente térmico. Portanto, mantas de aquecimento devem ser colocadas sob o terrário, assim como lâmpadas específicas para formar um basking spot em uma área específica. Assim, o animal pode tomar sol sempre que sua temperatura corporal cair.

A temperatura do basking spot depende da espécie, mas geralmente varia de 30 a 38° C. A temperatura geral do terrário não deve ficar abaixo de 25° C em quase todos os casos durante o dia.

Sintomas

Os sintomas da hipotermia em répteis são bastante evidentes, mas você deve verificar o animal todos os dias para detectá-los. Os mais importantes são os seguintes:

  • Falta de atividade e movimento. O metabolismo do animal cai drasticamente, então ele literalmente não tem energia para se mover ou escalar.
  • Desidratação e perda de peso. Um réptil hipotérmico parará de comer e beber, pois falta calor interno suficiente para que ele seja capaz de digerir alimentos sólidos e líquidos.
  • Coloração apagada. Alguns répteis são capazes de modificar sua tonalidade externa para absorver mais ou menos calor. Uma cor apagada indica que o animal precisa urgentemente de luz quente.
  • Temperatura corporal baixa. Todos os répteis devem ter um ventre quente durante o dia, pois isso indica que eles estão absorvendo o calor de lâmpadas e mantas térmicas de forma eficaz. Uma área ventral muito fria sempre indica hipotermia.

Conforme indicado por fontes profissionais, é possível detectar a hipotermia em répteis pressionando suavemente uma de suas patas com a ponta dos dedos. Se o animal não reagir de forma alguma, a condição é grave e requer um cuidado imediato.

Tratamento da hipotermia em répteis

Se você notar esses sinais em seu animal de estimação exótico, a primeira coisa que deve fazer é usar um termômetro digital (você deve tê-lo sempre à mão) para medir a temperatura do terrário. Se estiver abaixo de 20-25° C em toda a superfície, será fácil suspeitar de hipotermia. A manta de aquecimento pode ter quebrado ou você pode ter subestimado sua potência.

Nessas situações, você pode seguir estas dicas que vão salvar a vida do seu réptil:

  1. Adicione água morna em um recipiente grande e delicadamente coloque o réptil dentro. Tenha cuidado para não cobrir a cabeça ou as narinas do animal.
  2. Mantenha o réptil no banho por 20-30 minutos, mas lembre-se de adicionar um pouco de água mais quente de vez em quando. Caso contrário, ficará frio e não terá utilidade.
  3. Seque o réptil, envolva-o em uma toalha e coloque uma manta térmica por baixo (nesse caso para uso humano). Comece com temperaturas mornas e eleve aos poucos até atingir o valor máximo do POTZ da espécie em intervalos (até completar uma hora). Nesse ponto, o calor normal a que o animal é exposto no terrário não é válido.
  4. Enquanto você aumenta a temperatura corporal do animal, ajuste a temperatura do terrário. Dessa forma, você pode introduzi-lo imediatamente após atingir seu máximo térmico.
  5. Ofereça água ao réptil quando ele começar a ficar mais ativo. Você pode precisar de uma seringa para ajudá-lo a beber.

É muito importante que você leve em consideração a adaptabilidade da espécie durante o processo. Se você colocar o réptil diretamente sobre uma manta muito quente quando estiver frio, poderá levá-lo à morte por choque térmico. Por isso, é necessário seguir os passos lentamente e sem nervosismo. Sempre comece com fontes mornas de calor e aumente aos poucos.

Alguns animais dormem em pé.

A hipotermia em répteis costuma ter um bom prognóstico, pois quase todas as espécies se recuperam algumas horas após o desequilíbrio térmico. Se o seu animal não responder bem ao tratamento, leve-o ao veterinário imediatamente. Outra doença subjacente pode estar fazendo com que sua temperatura interna caia.

Pode interessar a você...
5 répteis domésticos para ter como animal de estimação
Meus Animais
Leia em Meus Animais
5 répteis domésticos para ter como animal de estimação

Apesar da incapacidade de domesticá-los totalmente, existem alguns répteis que podem ser mantidos como animais de estimação. Confira!