Com qual idade os gatos aprendem a caçar ratos?

Os gatos aprendem a caçar durante os primeiros 6 meses de vida. No entanto, eles têm um impacto negativo na fauna de seu ambiente, então você deve redirecionar esse comportamento.
Com qual idade os gatos aprendem a caçar ratos?

Última atualização: 23 Novembro, 2021

Os gatos aprendem a caçar desde muito novos, pois a sua sobrevivência futura dependerá disso. Porém, no âmbito doméstico, essa conduta se reduz a um comportamento instintivo que costuma ser redirecionado para o jogo.

Se você está interessado em saber como essa estratégia biológica se desenvolve em filhotes, neste artigo encontrará uma revisão sobre o assunto. Também é importante controlar esse comportamento se o gato tiver acesso ao ar livre, uma vez que a caça por parte dos gatos selvagens tem um claro impacto na população de pequenos mamíferos e aves do ambiente. Aqui vamos contar a você o que fazer.

Com qual idade os gatos começam a caçar?

Embora o instinto de caça seja inato nesses felinos, seu desempenho dependerá diretamente do aprendizado que a mãe lhes dará durante a fase de filhote. Em princípio, um gato é capaz de caçar sozinho aos 6 meses de idade.

Durante esse período, os gatos aprendem a caçar em vários estágios orientados pela progenitora. Você pode encontrá-los abaixo:

  • A primeira fase é familiarizar os filhotes com as presas. Para fazer isso, a mãe traz diferentes animais mortos, como camundongos ou passarinhos, para a toca. Isso ocorre por volta das 7 semanas de idade.
  • A mãe come sua presa na frente dos filhotes, que aos poucos vão explorando e comendo a carne e a gordura dos pequenos vertebrados caçados. A mãe também vai “brincar” um pouco com eles para que os pequenos vejam demonstrações de suas técnicas de caça.
  • Quando os filhotes já podem comer sólidos, eles também se alimentam da caça da gata. Às vezes, a presa chega viva ou quase morta para que os jovens aprendam a matá-la.
  • Finalmente, os gatinhos acompanharão a mãe fora do ninho para aprender a caçar com ela no ambiente externo.

Se esse processo não for seguido naturalmente, os gatos ainda tentarão caçar, mas sua eficácia será reduzida. Felinos que convivem com roedores domésticos podem caçar um animal dessas, mas é improvável que o comam (pois não estabeleceram os vínculos ensinados pela mãe).

Os gatos adultos são caçadores solitários que se alimentam de pequenos vertebrados. Eles caçam várias vezes ao dia para manter a energia do corpo.

Um gato selvagem caçando um sapo.

Todos os gatos caçam?

Pode-se dizer que todos os gatos aprendem a caçar por instinto. No entanto, seu estilo de vida doméstico, no qual todas as suas necessidades são atendidas, pode impedir que os gatos vejam a caça mais além de como uma brincadeira.

Atualmente é incomum usar um gato como controlador de pragas, pois o impacto que o ser humano tem no meio ambiente já é suficiente para manter os ratos longe das casas, principalmente nas cidades.

Gatas castradas caçam ratos?

Existe uma crença errônea de que os gatas castradas, incapazes de ter filhotes, perdem o instinto de caça porque não têm ninguém para alimentar. Tanto as fêmeas quanto os machos castrados mantêm seus instintos de caça, pois na natureza teriam que se alimentar assim. Em outras palavras, é um comportamento codificado no genoma da espécie.

Por que os gatos caçam ratos?

Os gatos não caçam apenas ratos, e sim uma grande variedade de animais: pássaros, insetos, pequenos roedores e até peixes. A típica imagem de um espécime caçando um rato não responde tanto à preferência dos felinos, mas sim à sua figura de controlador de pragas na cultura popular.

Por outro lado, os ratos eram presas relativamente fáceis de caçar e, especialmente algumas décadas atrás, abundantes nas casas. Por isso, muitos felinos acabaram perseguindo pequenos roedores, pois eram muitos e não voavam ou nadavam como as outras presas.

A relação entre gatos e ratos é meramente anedótica. Eles os caçavam porque estavam por perto.

Os gatos comem ratos ou apenas os caçam?

O desejo de caçar (seja um animal ou um brinquedo) é independente da fome do gato. Embora você não queira que seu animal cace ao redor da casa, a verdade é que ele fará isso mesmo se for bem alimentado.

Os felinos também não caçam mais se ficarem sem comida, embora essa seja uma técnica usada por algumas pessoas que querem usá-los para eliminar pragas de ratos. A única diferença será se o gato matará a presa para comê-la ou apenas brincar com ela.

Esse jogo, que parece tão cruel, tem um sentido adaptativo: mostrar aos filhotes técnicas de caça.

Como evitar que meu gato traga ratos para casa?

Ter seu gato trazendo uma presa morta, mesmo que você saiba que é um ato de confiança e cuidado, não é agradável de se ver. E não é só isso: tem um impacto muito prejudicial sobre as pequenas populações de animais. Para se ter uma ideia, um estudo realizado nos Estados Unidos revelou que os gatos domésticos matam 1,3 a 4 bilhões de pássaros e 6,3 a 22,3 bilhões de mamíferos por ano.

O único método eficaz para evitar isso a partir do momento em que os gatos aprendem a caçar é impedi-los de sair de casa. Como mencionado acima, manter os gatos bem alimentados não os impedirá de matar outros animais, pois esse comportamento está embutido em seu código genético.

Um gato comendo um pássaro.

A caça é um impulso natural do felino e não deve ser restringida, pois pode causar estresse e problemas de comportamento. Certifique-se de redirecionar esse instinto para brinquedos destinados a isso. Há uma grande variedade no mercado que, além disso, permitirão passar momentos muito agradáveis com seu companheiro felino.

Pode interessar a você...
Felinos selvagens pouco conhecidos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Felinos selvagens pouco conhecidos

Das 38 espécies de felinos selvagens que existem, 31 são consideradas pequenos felinos, alguns semelhantes em tamanho aos gatos domésticos.



  • Loss, S. R., Will, T., & Marra, P. P. (2013). The impact of free-ranging domestic cats on wildlife of the United States. Nature communications4(1), 1-8.
  • Crowley, S. L., Cecchetti, M., & McDonald, R. A. (2019). Hunting behaviour in domestic cats: An exploratory study of risk and responsibility among cat owners. People and Nature1(1), 18-30.
  • Dickman, C. R., & Newsome, T. M. (2015). Individual hunting behaviour and prey specialisation in the house cat Felis catus: implications for conservation and management. Applied Animal Behaviour Science173, 76-87.