Jerboa-de-orelha-longa: tudo que você precisa saber

fevereiro 2, 2020
O jerboa-de-orelha-longa opta por permanecer em vales cheios de areia povoados por arbustos baixos; ele também pode ser encontrado em áreas semiáridas.

O jerboa-de-orelha-longa, nativo da China e da Mongólia, é um roedor muito semelhante ao rato. A sua cauda tem o dobro do comprimento de seu corpo e, dessa forma, dá a ele um bom equilíbrio quando ele corre e salta.

Ele tem patas traseiras longas com pés grandes, e se move como um canguru. As solas dos pés são cobertas por pelos rígidos que o ajudam a viajar pelo deserto. As patas dianteiras são relativamente pequenas e não podem ser usadas para se mover.

As espécies dessa família geralmente se caracterizam pelas suas incríveis adaptações para saltar, pensadas para ser uma evolução estratégica para fugir dos predadores. A expectativa de vida média desse animal é de três anos.

Comportamento do jerboa-de-orelha-longa

Uma vez que esses animais vivem em partes tão remotas da China e da Mongólia, é difícil para os cientistas estudá-los. Portanto, sabe-se muito pouco sobre essa espécie. Toda a informação sobre o seu comportamento social vem de dados de alguns poucos grupos e sobre espécies relacionadas.

Esses animais são principalmente de hábitos noturnos e solitários. Assim, passam o dia em tocas subterrâneas que escavam. Existem quatro tipos diferentes: uma toca temporária, de verão e para se cobrir durante o dia; uma segunda toca temporária para a caça de noite; e duas tocas permanentes, uma para o inverno e uma para o verão.

As orelhas do jerboa-de-orelha-longa
Fonte: https://historiadoreshistericos.wordpress.com

Essa espécie é insetívora e, portanto, se alimenta de insetos voadores. A sua forma de caçar a comida é divertida, pois eles capturam as suas presas saltando rapidamente no ar. Eles obtêm a quantidade de líquido de que precisam dos seus alimentos e das plantas e, dessa forma, não bebem água.

Hábitos de reprodução

O sistema de acasalamento do jerboa-de-orelha-longa pode ser poligínico, ou seja, várias fêmeas para um só macho. O acasalamento ocorre pouco depois da saída da hibernação. O período de gestação demora entre 25 e 35 dias, e as fêmeas podem ter de duas a seis crias por ninhada.

Não se sabe muito sobre o cuidado dos filhotes por parte dos pais, ou se eles se envolvem na criação dos jerboas jovens. No entanto, como a maioria dos mamíferos, o jerboa-de-orelha-longa fêmea se ocupa e cuida das suas crias ao menos até que elas desmamem.

Morfologia do jerboa-de-orelha-longa

O comprimento da sua cauda é de 150 milímetros aproximadamente, e o do seu corpo é de 70 a 90 milímetros. A sua cauda é coberta por pelos curtos que têm a cor semelhante ao resto do corpo, exceto a mecha final, que é branca e preta.

As partes superiores são de uma cor amarela avermelhada ou de um ruivo claro, enquanto o ventre é branco. As patas traseiras têm um comprimento de 40 a 46 milímetros, com cinco dedos: os dois laterais são mais curtos que os três centrais, enquanto os dedos do metatarso centrais estão unidos por uma pequena distância.

Jerboa-de-orelha-longa na natureza

As orelhas são 1/3 mais longas do que as suas cabeças. Por sua vez, os incisivos são finos e brancos e pode-se encontrar um pequeno pré-molar de cada lado da mandíbula superior.

Ameaças populacionais

A maior ameaça para o jerboa-de-orelha-longa é a perturbação humana em seu habitat. Um maior número de animais de pastoreio poderia ser uma ameaça em certas áreas, já que essa espécie estaria exposta a uma maior quantidade de predadores.

No entanto, os jerboas-de-orelha-longa se distribuem amplamente por todo o território asiático. Atualmente, não há uma estimativa geral da população e a espécie é classificada como de menor preocupação nesse sentido.

Alguns dados curiosos

Acredita-se que as orelhas grandes desses animais sejam uma adaptação ao deserto. A superfície maior das orelhas permite esfriar o seu sangue: elas dissipam o calor nas altas temperaturas desérticas.

Os jerboas-de-orelha-longa têm uma aba de pele no nariz, e pelo nas orelhas para evitar a entrada de areia.

O jerboa-de-orelha-longa se comunica por meio de vibrações e os chamados banhos de pó, que podem ser considerados um tipo de comunicação química. Esse animal se vale dos sons para identificar a localização das suas presas ou dos seus predadores: a coruja é um dos predadores mais comuns.

https://animaldiversity.org/accounts/Euchoreutes_naso/