Macaco de cara vermelha: um curioso primata

março 1, 2019
Não apenas seu rosto chama a atenção, mas essa espécie é tão inteligente que se banha em fontes termais durante o frio inverno e tempera a comida com sal do mar antes de comer.

Os primatas nos chamam muita atenção por causa de sua semelhança com nossos hábitos e comportamento. No entanto, existem alguns que são ainda mais curiosos. É o caso do macaco de cara vermelha, um macaco muito peculiar não só pelo seu rosto, mas também por gostar de relaxar em águas termais.

Características e habitat do macaco-de-cara-vermelha

O também chamado macaco-japonês, é um primata catarrhini – com as narinas juntas dirigidas para baixo – originário das florestas e montanhas das ilhas japonesas. Devido a capacidade que possuem de nadar, eles povoaram todo o arquipélago.

O macaco de cara vermelha prefere habitats terrestres e perto de árvores, sem importar quais são. Também é conhecido por adorar fontes de águas termais.

Pode viver em florestas de coníferas, decíduas ou subtropicais sem distinção, desde que estejam a menos de 1,5 mil metros acima do nível do mar.

Seu corpo é muito bem adaptado ao clima frio, que durante o inverno, pode chegar a -15°C: é coberto por um manto marrom-acinzentado denso e espesso, que cresce mais na época mais fria do ano.

As únicas áreas nuas são os pés, as palmas das mãos, as nádegas e o rosto. Precisamente, seu rosto vermelho é o que lhe dá o nome pelo qual todos o conhecemos.

Isso ocorre porque ele tem um grande número de vasos sanguíneos na face que servem, além de outras coisas, para manter o calor.

Além disso, sua cauda é curta (mede não mais de 12 centímetros) e a diferença entre os sexos tem a ver com o tamanho: as fêmeas são menores que os machos. Elas pesam cerca de cinco quilos e eles podem chegar a 14 quilos.

macaco-japonês relaxando em fonte termal

Comportamento do macaco de cara vermelha

Com hábitos claramente diurnos e fortemente sociais, já que vive em grupos de até 200 indivíduos relacionados ou não, ele pode interagir com indivíduos de vários quilômetros ao redor.

O controle das “famílias” é sempre realizado pelos machos, e eles têm um líder, que fica no centro do grupo. 

À medida que os espécimes masculinos se afastam dessa posição, eles “perdem” a importância e, é claro, aumentam a exposição a perigos, como os ataques de grupos rivais de macacos.

No caso das fêmeas, elas têm seu próprio sistema de organização e hierarquia, baseado em gerações ou ninhadas.

Estes macacos formam laços muito fortes de amizade. Os indivíduos relacionados uns aos outros compartilham a comida e se desparasitam.

Em termos de reprodução, os filhotes nascem aos 173 dias de gestação e cada ninhada é composta por um único filhote.

O filhote é cuidado tanto pelo pai quanto pela mãe. No caso de sua mãe morrer, outra “mãe” adota o bebê e o aceita como se fosse seu.

O macaco de cara vermelha é considerado um dos primatas mais inteligentes do mundo, e apresentam um curioso hábito: mergulhar nas fontes termais durante o inverno. Eles podem passar vários dias na água quente… como se estivessem em um SPA!

macacos em águas termais

Alimentação do macaco de cara vermelha

Este primata é onívoro e se alimenta de todos os tipos de alimentos encontrados nas proximidades: ovos de aves, pequenos invertebrados, fungos, cereais, flores, brotos, folhas, raízes, cascas, sementes e frutas.

Algo muito interessante sobre esta espécie é que ela costuma temperar seus alimentos com sal do mar depois que aprenderam este “truque” durante um experimento na ilha de Koshima, nos 50.

Uma fêmea recebeu uma batata que tinha caído na água salgada por acidente. Depois disso, a jovem macaca lavou os vegetais antes de consumi-los e, ao retornar à sua família, ensinou o mesmo aos demais.

Porém, os machos só aprenderam esse hábito quando as mães ensinaram esse comportamento aos seus filhos do sexo masculino. Atualmente, a maioria “tempera” a comida antes de consumi-la.