Os macacos-de-coração-em-sangue

maio 24, 2020
Os macacos-de-coração-em-sangue, mais conhecidos como geladas, são primatas únicos que vivem nos picos da Etiópia.

Nos picos da Etiópia, vivem os primatas conhecidos como macacos-de-coração-em-sangue, um animal muito curioso que ficou relegado às montanhas desse país africano.

Características do gelada

Estamos falando do gelada (Theropithecus gelada)última espécie sobrevivente desse gênero de primatas cujos fósseis estão espalhados por grande parte da África e até mesmo pela Espanha e pela Índia.  

Os macacos-de-coração-em-sangue lembram babuínos, embora não pertençam ao gênero Papio. Também são grandes animais terrestres com pelo marrom, que podem passar dos 20 kg de peso e cujas fêmeas são muito menores.

No entanto, os geladas se diferenciam por possuírem o nariz mais achatado e o rosto com menos pelos. Além disso, outra diferença é a razão pela qual eles são conhecidos como macacos-de-coração-em-sangue: uma mancha avermelhada que se destaca no peito desses animais formidáveis e que fica ainda mais evidente nas fêmeas no cio.

Os macacos-de-coração-em-sangue

Os geladas geralmente têm um filhote com menos de meio quilo de peso, que fica agarrado ao peito da mãe durante cinco semanas e, posteriormente, nas suas costas, quase até alcançar os cinco meses de vida.

Os macacos-de-coração-em-sangue atingem a idade adulta por volta dos quatro anos, embora às vezes não se reproduzam até os 8 ou 10 anos de idade devido ao baixo nível na hierarquia. Esses animais podem viver por duas décadas.

Comportamento dos macacos-de-coração-em-sangue

Esses primatas são adaptados ao consumo de plantas herbáceas, razão pela qual têm dedos e incisivos relativamente pequenos em comparação com primatas do mesmo tamanho. Inclusive, eles se movem de maneira bípede para que as mãos fiquem livres para manipular os alimentos.

De fato, os geladas são um dos poucos primatas que têm uma alimentação tão especializada em grama que compõe 90% da sua dieta. Entretanto, eles também consomem pequenas raízes, flores, sementes e rizomas.

Os macacos-de-coração-em-sangue

Os macacos-de-coração-em-sangue vivem em grupos complexos organizados em vários níveis, que podem acabar reunindo centenas de animais. Geralmente, os machos migram de grupos, embora isso nem sempre aconteça, enquanto as fêmeas frequentemente permanecem no seu grupo de nascimento.

As fêmeas têm bastante poder nos grupos de geladas, e os machos frequentemente se relacionam com elas por meio da atividade de catação, em vez da agressão, já que uma coalizão de fêmeas pode afastar um macho que tente derrubar o dominante.

Já foram observados comportamentos fascinantes entre os geladas: desde a sua associação com lobos etíopes até conceitos como infidelidade, além de um repertório muito complexo de vocalizações que se assemelha a conversas humanas.

Habitat dos macacos-de-coração-em-sangue

Os geladas vivem em prados montanhosos, a mais de 2.000 metros de altura, embora possam ser encontrados a mais de 4.000 metros de altitude, com temperaturas muito mais baixas que evitam os períodos de seca. É importante destacar que essa espécie só pode ser encontrada na Etiópia.

Embora não seja uma espécie ameaçada de extinção, mais da metade dos geladas do planeta desapareceu durante os últimos 50 anos. Há um temor de que as mudanças climáticas acabem de isolá-los, embora no passado a sua maior ameaça fosse a caça destinada à experimentos e à obtenção de sua pele.

  • Dunbar, R. I. M., & Dunbar, E. P. (1977). Dominance and reproductive success among female gelada baboons. Nature266(5600), 351.
  • Cowlishaw, G., & Dunbar, R. I. (2000). Primate conservation biology. University of Chicago Press.