Meu papagaio arranca suas penas: picacismo

· agosto 7, 2018
É difícil diagnosticar as causas. O animal pode estar simplesmente querendo chamar a atenção do dono ou estar sofrendo de depressão, algo que é comum entre essas aves.

Quando um papagaio arranca penas ou apresenta áreas calvas, é difícil discernir a causa. A verdade é que existem muitas doenças, situações ou mudanças que influenciam esse comportamento conhecido como picacismo.

Embora as penas possam cair por várias razões, como pela doença do bico e das penas; em muitas ocasiões pode acontecer que o nosso papagaio arranque suas penas por outras razões.

A história do animal e o picacismo

A história do animal pode nos dizer muito sobre por que nosso papagaio arranca suas penas; a origem é importante e tem sido visto que esses animais de estimação que foram capturados de seu habitat natural estão mais propensos ao picacismo.

Embora hoje esteja mais regulamentado, você ainda pode adquirir papagaios capturados da natureza sem que saiba; já que a documentação é falsificada. Portanto, devemos sempre procurar criadores confiáveis.

Papagaios que vêm de protetores ou que foram dados para adoção; também estão mais propensos ao picacismo. Embora seja uma ótima opção dar um lar a esses animais; o ideal é que os donos que tenham experiência com este tipo de animal de estimação.

picacismo em papagaios

O método de criação também influencia: os papagaios podem ser criados na mão desde o início, ou criados pelos pais. Podemos também optar por lidar com eles, em maior ou menor medida, para acostumá-los às pessoas.

Como os primatas, os papagaios estabelecem laços importantes no estágio juvenil e precisam aprender muitos comportamentos de outros espécimes. Portanto, criadores responsáveis ​​devem ser procurados; pois papagaios mal socializados estão mais propensos ao picacismo.

O picacismo e a inteligência emocional

Problemas comportamentais são uma das principais causas de coceira; a depressão em papagaios existe e pode ser uma das razões principais que conduzem ao picacismo. Na verdade, esse comportamento é bastante eficaz para chamar nossa atenção.

Uma vez que nossos papagaios percebem que podem chamar nossa atenção arrancando suas penas, eles fazem isso com mais frequência; por isso alguns profissionais recomendam ignorá-lo; mas não antes de proceder a um tratamento adequado para a causa subjacente do picacismo.

Essa forma de chamar atenção pode ser devido à solidão. Muitos papagaios passam longos períodos sem companhia e recorrem a esses comportamentos. É por isso que a companhia de outros papagaios ou o uso do enriquecimento ambiental pode mitigar o problema; uma vez que a falta de estímulo mental e de mobilidade também estão relacionadas ao picacismo.

depressão em papagaios

Mas a atenção de seus proprietários não é a única causa desse comportamento: transtornos compulsivos, dependência excessiva do proprietário ou fobias podem desencadear problemas de automutilação. Portanto, um dos principais tratamentos é o treinamento por condicionamento operante e outras técnicas.

Problemas de gestão e habitat, causas de picacismo

As condições de manejo e habitat desses animais são vitais para saber por que um papagaio arranca suas penas; devemos rever as principais questões antes de ter um papagaio como animal de estimação, já que a falta de cumprimento das complicadas demandas dessas aves em cativeiro está por trás de muitos casos de picacismo.

Os problemas nutricionais ou doenças subjacentes podem influenciar quando nosso papagaio arranca suas penas; e será uma das primeiras coisas que nosso veterinário irá descartar para chegar a um diagnóstico definitivo.

Assim, dieta inadequada, qualidade do ar, exposição solar, quantidade de exercícios físicos, estimulação sexual ou hormonal, podem ser algumas das causas do processo de picacismo. Outra grande razão pela qual os papagaios podem arrancar as penas é a presença de parasitas ou compostos que causam alergias.

Embora existam tratamentos farmacológicos para tentar tratar o picacismo, eles nem sempre funcionam. Portanto, o mais eficaz é abordar todos os problemas de manejo do animal e melhorar sua qualidade de vida; o que inclui importantes necessidades e demandas dessas aves em cativeiro.