Milípede gigante africano: habitat, características e curiosidades

Ao contrário do que se pensa, nenhuma espécie de miriápode é capaz de apresentar mil pés. Na verdade, eles constantemente perdem seus membros, mal ultrapassando os cem pares.
Milípede gigante africano: habitat, características e curiosidades

Última atualização: 19 junho, 2022

O milípede gigante africano é considerado o maior miriápode do mundo, pois seu corpo alongado supera facilmente o de outros tipos de milípedes. É um animal terrestre que costuma se arrastar pelo chão graças ao seu grande número de patas. Além disso, não é perigoso ou agressivo, por isso algumas pessoas o consideram uma boa escolha para um animal de estimação.

O nome científico da espécie é Archispirostreptus gigas e pertence ao grupo dos miriápodes, onde se encontram todos os organismos chamados milípedes. Ao contrário do que parece, não faz parte do grupo dos insetos ou das centopeias, embora ambos os táxons estejam bastante relacionados. Continue lendo aqui e descubra mais sobre o milípede gigante africano.

Habitat e distribuição

Como o próprio nome indica, o milípede gigante africano está distribuído por uma grande área da África Oriental. Pode ser encontrado de Moçambique ao Quênia, mas especialmente em áreas próximas à costa. Vive principalmente em ecossistemas arbóreos com alta umidade, mas também têm a capacidade de resistir a ambientes secos ou áridos.

milípede africano gigante em uma rocha

Características físicas da espécie

O corpo do milípede se caracteriza por várias seções em forma de anel. Em geral, eles têm mais de 100 divisões ao longo de suas vidas, o que lhes permite medir cerca de 24 centímetros de comprimento. Além disso, cada um desses anéis tem dois pares de pernas. Isso significa que eles não têm mil pés, mas pouco mais de 200 membros.

Graças à estrutura do seu corpo, o milípede tem uma grande flexibilidade que lhe permite escalar em diferentes superfícies sem problemas. Por esse mesmo motivo, é possível confundi-lo com um verme gigante. Claro, apenas na aparência, já que os miriápodes têm um exoesqueleto endurecido e não uma pele flácida como os vermes.

A coloração do milípede gigante africano costuma ser escura, mas com as bordas de seus anéis avermelhadas. No entanto, devido à sua ampla distribuição, também pode aparecer em outras tonalidades mais claras e diferentes do padrão normal.

Milípede gigante africano em um galho

Comportamento

Os milípedes tendem a ser mais ativos à noite, pois é quando podem passar despercebidos por seus predadores. Embora tenham um grande número de patas, seu movimento é muito lento e não conseguem escapar facilmente. Por isso, durante o dia tornam-se presas fáceis para animais ágeis como as aves.

Alimentação

A dieta do milípede africano gigante se baseia principalmente no consumo de restos de plantas em decomposição, como folhas, vegetais, frutas e restos de plantas. Graças a isso, esses animais ajudam a reciclar os nutrientes do ecossistema. No entanto, a espécie tem certos comportamentos oportunistas, pois se encontrar os restos de um inseto, é provável que se alimente deles.

Reprodução

O cortejo desse milípede é bastante simples, pois os machos apenas alinham seu corpo com o da fêmea e vibram suas patas como se fosse um convite ao acasalamento. Nesse ponto, o potencial parceiro pode rejeitar o pedido ou, pelo contrário, aceitar e iniciar a transferência de esperma.

Durante este processo, ambos os espécimes “se abraçam” e ficam emaranhados um no outro. Graças a isso, a fêmea é fertilizada e dentro de 3 ou 4 semanas ela começará a botar seus ovos, então ela deve encontrar rapidamente um ninho para seus filhotes. Finalmente, a mãe cuidará de seus pequeninos até que eles eclodam e cada um possa cuidar de si mesmo.

Acasalamento do milípede gigante africano

Milípedes como animais de estimação

Os milípedes não requerem muitos cuidados e sua dieta pode ser baseada em frutas e vegetais. Por esse motivo, algumas pessoas optaram por usá-los como animais de estimação. No entanto, alguns países têm colocado restrições à sua importação, por ser considerada uma espécie invasora capaz de afetar seriamente os ecossistemas.

Se você tem interesse em manter o milípede africano gigante como animal de estimação, primeiro verifique se você precisa de uma autorização legal em seu país. Caso já a tenha ou não haja proibição a esse respeito, você deve considerar os seguintes aspectos:

  • Terrário: deve conter vegetação, solo e madeira. Não se esqueça de oferecer relevos e declives onde o animal possa escalar por conta própria, assim como algumas plataformas e cavernas. As medidas mínimas para seu habitat devem ser de 60 centímetros de comprimento, 40 de largura e 40 de altura.
  • Temperatura: essa espécie vem de um clima quente, então a temperatura não deve cair abaixo de 25 graus Celsius.
  • Umidade: da mesma forma, a umidade é um componente muito comum em seu habitat natural. Portanto, em cativeiro, você deve mantê-la em um mínimo de 80%.
  • Alimentação: basta oferecer restos de vegetais, folhas, frutas e legumes.

Curiosidades do milípede gigante africano

Apesar de ter um corpo pequeno e pouco interessante à primeira vista, existem várias curiosidades sobre o milípede gigante africano. Algumas delas são as seguintes.

Mecanismo de defesa

Embora não tenham comportamento complexo, os milípedes desenvolveram um mecanismo de defesa único. Isso consiste em se enrolar ao redor de si mesmo para proteger sua cabeça, de modo que, se seu corpo for ferido, ainda possa sobreviver. Além disso, nessa posição eles começam a secretar uma substância irritante por todo o corpo.

O líquido que emana tem o objetivo de dissuadir seu agressor, para que não lhe cause danos significativos. Se uma pessoa entrar em contato com essa substância, terá apenas sintomas leves de coceira e inflamação. Claro que os efeitos são mais agressivos em áreas delicadas como no interior da boca ou dos olhos.

Amigos dos ácaros

Os milípedes gigantes africanos têm uma relação muito próxima com os ácaros, razão pela qual às vezes vivem juntos. Na verdade, os pequenos artrópodes costumam ficar no corpo do miriápode para limpá-lo. Em troca desse serviço, o milípede os protege e oferece transporte.

Apesar de ter uma aparência aterrorizante e hostil, os milípedes gigantes africanos têm um corpo bastante interessante. Embora não sejam uma espécie adorável ou fofinha, não há como negar seu importante papel no ecossistema como recicladores de nutrientes.

Pode interessar a você...
6 animais sem ossos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
6 animais sem ossos

Os invertebrados, que são animais sem ossos, constituem a grande maioria da vida animal. Aqui você poderá aprender mais sobre eles!



  • Šustr, V., Tajovský, K., Semanová, S., Chronakova, A., & Simek, M. (2013). The giant African millipede, Archispirostreptus gigas (Diplopoda: Spirostreptida), a model species for ecophysiological studies. Acta Soc Zool Bochem, 77, 145-158.
  • Farfan, M. A., & Klompen, H. (2012). Phoretic mite associates of millipedes (Diplopoda, Julidae) in the northern Atlantic region (North America, Europe). International Journal of Myriapodology (Pensoft Publishers), 7.
  • Mitchell, M., & Tully, T. N. (2008). Manual of exotic pet practice. Elsevier Health Sciences.
  • Salmane, I. N. E. T. A., & Telnov, D. (2007). Laelaptidae mites (Parasitiformes, Mesostigmata) of east African millipedes (Diplopoda). Latvijas entomologs, 44, 121.