Morre o último rinoceronte branco do Norte macho

· dezembro 13, 2018
Era um espécime chamado Sudão, o último macho dessa subespécie. A única esperança de salvar este tipo de rinoceronte da extinção é que haja amostras seminais para fecundar fêmeas do Sul.

Recentemente, veio a notícia: o último rinoceronte branco do Norte que poderia salvar a espécie morreu. Sudão, um macho fértil que vivia cercado por guardas florestais armados, morreu após um grande sofrimento.

A história do último rinoceronte branco do Norte

A história de Sudão é trágica. Este animal, nascido em 1973, foi capturado por caçadores ilegais empregados pela família Chipperfield, dedicados à indústria do circo com animais. 

Depois, ele rodou por vários zoológicos europeus e, então, uma década atrás, foi transferido para um projeto de conservação na África.

A intenção era cruzar com Sudão e a última fêmea da espécie, e de fato este famoso rinoceronte foi pai de Nabire e Najin.

Najin o acompanhou à África,enquanto a morte de Nabire chocou ambientalistas três anos atrás.

Sua neta Fatu também foi protegida neste complexo conservacionista africano; Sudão e os últimos de sua espécie foram protegidos 24 horas por dia por patrulhas militares, muros, torres de vigia, cães de trabalho e até por drones.

Infelizmente, Sudão foi o último macho fértil da espécie, e seu recente falecimento, em 19 de março de 2018, pode significar o fim desta subespécie de rinoceronte branco. 

A verdade é que o delicado estado de saúde deste animal era conhecido; e de fato ele teve que ser sacrificado para evitar assim mais sofrimento para este gigante.

rinoceronte branco Sudão

O último rinoceronte branco?

Vale destacar que Sudão não é o último rinoceronte branco, uma vez que existem mais de 20 mil exemplares desta espécie.

Na verdade, ele é o último macho de rinoceronte branco do norte, uma subespécie que sofreu muito mais com a caça ilegal do que seu parente do sul.

Embora não seja o fim da espécie, existem pesquisas que pretendiam demostram que, na verdade, o rinoceronte branco do norte é uma subespécie única. Isso aumentaria o risco de perder esse animal em perigo de extinção para sempre.

A verdade é que, independentemente disso, há um plano B para este animal único: amostras de sêmen, que ainda restam, poderiam ser usadas para inseminar as últimas duas fêmeas.

Porém a gravidez teria que ser levada a cabo por um rinoceronte branco do sul do sexo feminino, já que as duas últimas fêmeas estão muito velhas para suportar uma gravidez.

Como isso aconteceu?

As diferentes espécies de rinocerontes que habitam o globo estão em perigo de extinção, principalmente devido ao tráfico de chifre de rinoceronte, usado na medicina tradicional chinesa.

Rinocerontes brancos

O chifre do rinoceronte é feito de queratina, uma substância que forma várias estruturas de seres vivos, como unhas e cabelos.

Portanto, carece de qualquer propriedade curativa: seria o equivalente aos nossos próprios cabelos.

É por isso que dói ainda mais este absurdo, em que verdadeiras fortunas são pagas por um chifre de rinoceronte.

Caçadores ilegais mataram mais de 500 animais entre os anos de 1970 e 1980, fazendo com que, atualmente, reste apenas quinze exemplares em todo o mundo.

Ainda que as populações tenham se recuperado durante a passagem para esse novo milênio, a verdade é que a caça ilegal acabou reduzindo novamente a espécie para menos de dez exemplares de rinocerontes.

Isso fez soar os alarmes e deu início a vários projetos de conservação em cativeiro; porém, o último rinoceronte macho esteve acompanhado apenas por duas fêmeas.

Com a morte de Sudão, o último rinoceronte macho de sua espécie, vem novamente à tona a triste capacidade destrutiva do ser humano, e um novo animal prestes a juntar-se à lista de animais extintos pela atividade humana.