O maior animal que existiu na Terra

· janeiro 12, 2019

Há um cetáceo vivo hoje que é conhecido como o maior animal na Terra. No entanto, há um réptil extinto que poderia superá-lo em tamanho.

Quais é o maior animal que já habitou nosso planeta? Houve realmente vários que já receberam este título, quase todos já extintos.

No entanto, somente a descoberta de seus restos fósseis já nos permitiu conhecer sua existência e estimar seu tamanho.

Portanto, o que se sabe sobre a maioria deles são apenas aproximações de suas proporções, habitats e estilo de vida. A seguir, veremos uma seleção das três maiores espécies de  animais que já existiram na Terra.

Baleia azul (Balaenoptera musculus)

Também conhecido como rorqual azul, é o maior animal do planeta de que temos notícia. Este cetáceo mede até 30 metros de comprimento e pesa entre 100 e 120 toneladas.

Para você ter uma ideia, pense nisso: a língua dela pesa o equivalente a um elefante e coração o equivalente a um carro.

o maior animal que existe na Terra: baleia azul

A baleia azul é um animal lindo, longo e esguio. Na verdade, sua cor é cinza azulada, no entanto, quando está sob a água, parece completamente azul.

Vive nos oceanos dos cinco continentes e se estabelece no Oceano Ártico durante o verão para se alimentar. Posteriormente, começa sua migração para outros cantos do mundo.

Outras características

A alimentação da baleia azul é baseada em pequenos crustáceos, chamados de krill. Ela pode comer até 40 milhões deles em um dia. Geralmente, essas baleias vivem sozinhas, em pares ou em pequenos grupos.

Outro fato interessante sobre a baleia azul é que ela é um dos animais mais barulhentos do planeta, ou seja, emitem sons regulares de baixas frequências.

Com isso, acredita-se que podem ser ouvidas umas pelas outras a mais de 1,5 mil km de distância, e muitas vezes, se reúnem.

A baleia azul praticamente não possui predadores naturais, devido ao seu tamanho, força e velocidade. No entanto, apesar disso, hoje é considerada uma espécie em extinção.

A responsabilidade pelo drástico declínio de sua população é atribuída à caça indiscriminada por humanos, já que a população de baleias não se recupera rapidamente. Sua gestação dura quase um ano e apenas um ou dois filhotes nascem por ninhada.

Megalodon (Carcharodon megalodon)

Seu nome significa “dente grande”. É uma espécie extinta de tubarão gigante que, acredita-se, tenha vivido em todos os oceanos do planeta.

Nenhum fóssil do seu corpo foi encontrado, apenas os dentes. Dessa forma, a partir deles, foram feitas as estimativas correspondentes a seu tamanho.

Megalodon

Com base nos dados que foram coletados, é atribuído ao megalodon de cerca de 18 metros de comprimento. Por isso, ele é considerado um dos maiores e mais poderosos predadores da história dos vertebrados.

Os megalodon caçavam todos os tipos de animais de grande porte, como tartarugas marinhas, baleias e outros tubarões.

Ele passava praticamente o dia todo procurando comida para satisfazer sua fome insaciável, entre outras coisas, pois vivia sozinho a maior parte do tempo.

Como o megalodon caçava? Acredita-se que seu método de ataque era surpreender suas vítimas, que não notavam sua presença graças a sua capacidade de se camuflar.

Argentinosaurus huinculensis

É um tipo de dinossauro extinto. É digno de estar na lista do maior animal que já viveu e acredita-se que tenha habitado o que hoje é a América do Sul.

Fóssil de dinossauro

Seus fósseis foram encontrados na Patagônia, Argentina (daí seu nome). Graças a essa descoberta, estima-se que eles mediam cerca de 33 metros de comprimento e pesavam cerca de 70 toneladas.

Era um animal herbívoro e uma de suas principais características é que tinha um pescoço longo. Graças a essas medidas, podiam se alimentar de araucárias altas e encontrar samambaias e arbustos no chão.

Seus lugares favoritos para se alimentar eram as magníficas florestas de coníferas da Patagônia naquela época.

Ao se alimentar, não mastigavam sua comida, para poder arrancar o máximo de plantas no menor tempo possível. Dessa forma, poderiam satisfazer as altas necessidades nutricionais de seus enormes corpos.

Esses grandes animais viviam em grupos. Como os ovos fossilizados de seus parentes próximos foram encontrados, descobriu-se que as mães se reuniam em centenas para fazer seus ninhos juntas.

Colocavam um grande número de ovos, mas poucos descendentes sobreviviam, devido a predadores naturais.