O que são animais endêmicos?

· julho 28, 2018
Essas espécies só podem ser encontradas em uma região específica, a menos que sejam levadas para um zoológico ou parque aquático. Muitos destes animais vivem em ilhas, devido ao isolamento do ecossistema, uma circunstância especialmente marcante em Madagascar, onde a grande maioria dos animais só é encontrado no país.

Você pode ter ouvido ou lido que “o lince ibérico é endêmico da Península Ibérica” ou que “a tartaruga de Galápagos é endêmica das Ilhas Galápagos”… mas o que isso significa, especificamente, o que são animais endêmicos? Nós responderemos a essa pergunta no artigo a seguir.

O que é um animal endêmico

Por definição, um animal ou planta endêmica é aquele que vive apenas em um lugar específico, de forma selvagem. Isso significa que é nativo de uma região e não existe em nenhuma outra no mundo. Portanto, só é possível encontrá-lo nesse habitat específico, exceto, é claro, se ele for levado a um zoológico, parque aquático ou similar.

O endemismo pode ser baseado em várias escalas geográficas, uma vez que, por exemplo, existem animais endêmicos da alta montanha, de um arquipélago, um continente ou um lago.

As ilhas são lugares com um endemismo muito alto, devido ao seu isolamento. Por esta razão, os animais que vivem na Nova Guiné, em Galápagos e na Austrália são normalmente nativos desses locais e não de outros.

Um dos casos mais interessantes é o da ilha de Madagascar, na qual todos os anfíbios, 90% dos répteis, 55% dos mamíferos e 50% das aves são endêmicas… Um lugar que todos os biólogos querem conhecer!

Exemplos de animais endêmicos

Para entender melhor o conceito de endemismo em animais, podemos nos basear em alguns exemplos específicos, como os detalhados abaixo:

  1. Iguana marinha

Este réptil (foto que abre o artigo) vive apenas nas Ilhas Galápagos, nas costas rochosas do arquipélago e entre manguezais e praias. Alimenta-se de algas marinhas e apenas os machos adultos sabem nadar, os outros devem esperar até que a maré baixe para, então, comerem.

Outra diferença entre os sexos (ou dimorfismo sexual) é o tamanho dos espécimes: os machos são duas vezes maiores que as fêmeas. O que eles compartilham são os seus hábitos – eles ficam no sol a maior parte do dia, pois têm sangue frio – e sua coloração preta, que lhes permite maior absorção de calor.

  1. Lince ibérico

Como o próprio nome sugere, este mamífero carnívoro de cauda curta e pernas compridas vive na península ibérica. Suas orelhas pontudas e seus pelos pretos, com três padrões diferentes que o ajudam a camuflar, são as principais características físicas deste felino.

O lince ibérico está em perigo de extinção e, atualmente, vive apenas na Andaluzia, nos parques naturais da Serra de Andújar, Doñana e da Serra de Cardeña e Montero. Ele prefere florestas e arbustos para poder caçar coelhos, que compõem 90% de sua dieta.

  1. Lêmure

Quando pensamos em Madagascaresse primata de cauda longa branca e preta vem à mente, e seu rosto com aspecto curioso é devido aos seus grandes olhos e orelhas levantadas.

Lêmures

lêmure é um dos muitos animais endêmicos dessa ilha, possui hábitos noturnos e seu olfato permite encontrar alimentos entre árvores e pastagens, além de se comunicar com os demais membros de seu grupo.

  1. Urso polar

É o único predador do Ártico, vive apenas em áreas polares e congeladas do hemisfério norte e é considerado um dos maiores mamíferos terrestres – juntamente com o Urso kodiak – no mundo.

urso polar e filhote

urso polar tem pernas muito bem desenvolvidas para andar entre as camadas de gelo e para poder nadar longas distâncias em busca de comida, principalmente filhotes de focas. Sua pelagem branca permite camuflar-se com o ambiente em que vive e, graças a uma espessa camada de gordura, pode resistir às baixas temperaturas do inverno.

  1. Kiwi

Esta pequena ave é uma das muitas espécies endêmicas da Nova Zelândia. Caracteriza-se pelo seu pequeno tamanho e forma ‘circular’ e, também, porque não tem asas para voar. Da mesma forma, adaptou-se muito bem à vida terrestre, embora seja bastante tímido e só saia à noite.

kiwi

Com seu grande bico, alimenta-se de todos os tipos de pequenos animais, especialmente insetos e vermes. Os machos são responsáveis ​​pela eclosão dos ovos por dez semanas, após a construção de ninhos subterrâneos. Assim que os filhotes se desenvolvem, eles deixam a ‘casa’ para poderem se alimentar.