O que significa estar em perigo de extinção

· julho 30, 2018
Entre as espécies avaliadas como 'de menor preocupação' e 'espécies extintas', existem várias categorias nas quais os animais são classificados de acordo com seu grau de ameaça.

O que significa dizer que um animal está em perigo de extinção? Significa que suas populações selvagens correm o risco de desaparecer, mas o conceito é muito mais complicado que isso. As espécies ameaçadas entram na lista da IUCN, que é a União Internacional para a Conservação da Natureza.

A IUCN é a primeira organização da história dedicada à conservação e foi também quem criou lista vermelha, uma lista enorme que classifica as espécies de acordo com o grau de ameaça sofrido por suas populações. Este grau de ameaça é classificado por várias seções:

Espécies de menor preocupação

Existem espécies que ainda gozam de boa saúde e para elas há a categoria de menor preocupação, onde a espécie humana também é encontrada. É então que as ameaças podem avançar e as espécies “quase ameaçadas” aparecerem, onde os alarmes já estão soando e os planos são iniciados para monitorar de perto as populações daquela espécie.

Lobo ibérico

O lobo ibérico é uma designação um pouco controversa, já que muitos consideram esta espécie em perigo de extinção.

Muitas espécies não possuem um grau específico de ameaça, porque ainda não conhecemos suas populações. Infelizmente, a maioria das espécies que foram descobertas nos últimos anos e cuja ameaça era desconhecida, muitas vezes passam para as categorias mais perigosas, como a nova espécie de orangotango recentemente descoberta.

Espécies ameaçadas

Todos os animais que pertencem a esta categoria sofreram muitas perdas nos seus censos e viram o seu antigo território e tamanho populacional reduzido. A categoria com o menor nível de ameaça é a das espécies vulneráveis, embora o risco de se tornarem ameaçadas seja alto.

Urso panda

Muitas espécies anteriormente ameaçadas de extinção passaram para o outro lado, e hoje são espécies vulneráveis, como o panda.

Depois, entramos nas espécies que estão em perigo de extinção. São aquelas que correm o risco de desaparecer do nosso planeta, como é o caso do lince ibéricoEmbora muitas pessoas pensem que as espécies de animais ameaçadas são a que estão em pior nível, não é a categoria mais perigosa, pois há outra categoria antes de extinção: os animais em perigo crítico de extinção, como o vison-europeu, ameaçado pela introdução do vison-americano na Europa.

Espécies extintas

Logicamente, quando falamos de uma espécie extinta, nos referimos a um animal que desapareceu totalmente do planeta, como o tigre da tasmânia e o arau gigante.

Mutum do Nordeste

Algumas espécies não desapareceram do planeta, embora não sejam encontradas em áreas naturais e, também, há aquelas que ainda existem em centros de reprodução ou zoológicos, embora sejam casos muito específicos, como o do Mutum do Nordeste e do corvo havaiano. Animais que desapareceram da natureza, mas que ainda sobrevivem em cativeiro, portanto, são considerados extintos na natureza.

Infelizmente, a maioria das espécies que atualmente estão mudando de categoria estão se aproximando cada vez mais da última, perto da extinção, em vez de se afastar dela. Grupos de animais, como os dos primatas, fazem parte de dados angustiantes: 60% dos primatas estão em perigo de extinção e ainda estão perdendo indivíduos de suas populações, espécies como gorilas e orangotangos têm menos indivíduos a cada dia.

Da mesma forma, os anfíbios estão perdendo muitos membros. Também não é muito tranquilizador o caso das aves que vivem nas ilhas, pois elas são um dos grupos que mais sofreram extinções no último século. Será que vamos parar com isso a tempo, ou será tarde demais para os animais que amamos?

Infelizmente, a maioria das espécies que atualmente estão mudando de categoria o fazem aproximando-se cada vez mais da extinção, em vez de se afastarem dela.