Os cães sentem culpa?

junho 17, 2019
Embora pensemos que os cães sentem culpa, o olhar de culpado que eles mostram não é o que pensamos; a ciência explica para que serve essa expressão e o que realmente está por trás dela.

Muitos donos de cães acreditam que seus animais de estimação expressam alguma culpa quando são desobedientes. No entanto, embora possa parecer que os cães sentem culpa, a realidade é muito diferente.

Especialistas revelaram que, embora os cães experimentem uma variedade de emoções, é provável que qualquer percepção de que eles se sintam culpados ou envergonhados esteja errada.

Os cientistas não acreditam que os cães possam sentir emoções complexas como culpa e vergonha, mesmo que seus rostos reflitam isso. A pesquisa sugere que eles estão simplesmente reagindo à linguagem corporal do dono em vez de experimentar sentimentos mais complexos.

De fato, as evidências experimentais atuais sugerem que os cães exibem esses comportamentos de “aparência culpada” como resposta à repreensão de seus donos.

Os cães e o sentimento de culpa

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Cambridge, nos Estados Unidos, conduziu um estudo para determinar se os donos estavam certos em acreditar que um olhar culpado era um sinal de que um cachorro reconhecia que tinha sido travessoOs resultados foram publicados em 2015 na revista Behavioural Processes.

Cães e o sentimento de culpa

Os donos ensinaram seus cães a não comer um biscoito que tinham ao seu alcance. Então, saíram da sala e outra pessoa que conduzia o experimento pegou o biscoito e encorajou o cachorro a comê-lo.

Quando o dono retornou ao quarto e viu que o biscoito havia sumido, foi solicitado que decidisse, julgando pela expressão no rosto do cachorro, se ele havia comido ou não. Mas os donos não souberam dizer.

“Se esse olhar de culpado for realmente uma expressão de contrição, eles só o mostrariam quando tivessem feito algo de errado; mas esse não é o caso”, dizem os pesquisadores.

E ainda contam uma anedota sobre isso: “Eu tinha um cliente que tinha três cachorros, e sempre que acontecia algo como mastigar um sapato, era sempre um deles que tinha a aparência culpada. No entanto, muitas vezes esse não era o cachorro que havia feito a travessura. Ele era simplesmente o cão mais tímido e estava mais assustado com a reação do seu dono.”

A origem do ‘olhar culpado’ dos cães

Estudos anteriores já haviam concluído que os cães não se sentem culpados. Simplesmente, o cérebro dos cães não funciona assim. Os cães podem sentir emoções, mas emoções como culpa e ciúme são apenas ideias humanas.

O que acontece é que, como seres humanos, tendemos a atribuir emoções humanas aos cães, e queremos ver neles um sentimento de culpa que, na realidade, eles não sentem.

De acordo com um estudo realizado em 2009, publicado na revista Canine Behaviour and Cognitionas pessoas veem a culpa na linguagem corporal de um cão quando acreditam que ele fez algo que não deveria ter feito, mesmo se o cão for completamente inocente.

O estudo poderia mostrar que a tendência humana de atribuir um “olhar culpado” a um cachorro não era porque o cachorro era realmente culpado.

Cachorro com o olhar triste

Os testes ofereciam aos cães a oportunidade de desobedecer a ordem do dono de não comer nada saboroso enquanto o dono estava fora do cômodo, e o conhecimento dos donos sobre o que seus cães faziam em sua ausência variava.

Se, depois do experimento, o comportamento dos cães incluísse elementos de ‘aparência culpada’ aos olhos de seus donos, isso tinha pouco a ver com o fato de que os cães realmente haviam comido o biscoito proibido ou não.

Os cães pareciam mais “culpados” se fossem repreendidos por seus donos. De fato, os cães que foram obedientes, mas foram repreendidos por seus donos (desinformados), pareciam mais “culpados” do que aqueles que realmente haviam desobedecido.

Portanto, a aparência de culpa do cão é uma resposta ao comportamento do dono e não é necessariamente uma indicação de qualquer entendimento de suas próprias falhas.

Este estudo é muito interessante para entender a tendência humana natural de interpretar o comportamento animal em termos humanos.

Os antropomorfismos comparam o comportamento animal ao comportamento humano e, se houver alguma semelhança superficial, o comportamento animal será interpretado nos mesmos termos que as ações humanas superficialmente semelhantes.

Isso pode incluir a atribuição de emoções de ordem superior, como culpa ou remorso, ao animal.