Os cavalos famosos da história

abril 3, 2019
Os cavalos famosos da história acompanharam grandes figuras-chave no curso da história e da humanidade, e graças ao seu caráter nobre se tornaram um dos melhores companheiros do homem

Ao longo da história, os cavalos foram cruciais para a nossa evolução como indivíduos e como sociedade. Além de sua força e beleza física, foi a nobreza de seu caráter que os tornou admiráveis ​​e majestosos companheiros. A seguir, veremos os cavalos famosos da nossa história e alguns equinos que se destacaram na ficção.

7 cavalos famosos da nossa história e na ficção

1. Bucéfalo (Alexandre, o Grande)

Bucéfalo foi o nome do cavalo mais famoso e amado de Alexandre, o Grande. Estima-se que este cavalo nobre viveu de 335 a.C a 326 a.C. Sua morte teria ocorrido durante a Batalha de Hispades, no atual território do Paquistão.

Algumas teorias afirmam que seu corpo teria sido enterrado nos arredores de Jhelum, em uma cidade chamada Jalalpur Sharif. No entanto, há outra hipótese de que o corpo de Bucéfalo repousa pacificamente em Phalia, também localizada no Paquistão.

2. Marengo (Napoleão Bonaparte)

Marengo foi o companheiro fiel de Napoleão Bonaparte e foi eternizado como um dos mais famosos cavalos da história mundial. Seu nome era uma homenagem à Batalha de Marengo (Itália), da qual o exército imperial francês saiu vitorioso.

Marengo foi capaz de levar o Imperador em várias batalhas históricas, incluindo Waterloo, Austerlitz, Jena e Wagram. Estima-se que ele viveu entre 1793 e 1831. Atualmente, seu esqueleto é preservado em Londres, no National Army Museum, em Chelsea.

Segundo relatos históricos, Napoleão era um grande admirador de cavalos. Em seu bloco pessoal, mais de 100 equinos foram registrados, dos quais se destacaram Marengo e os corcéis Blanco e Vizir.

Cavalos famosos

3. A égua Babieca (El Cid)

Provavelmente, muitos de nós conhecemos a história do grande Cid Campeador, mas poucos conhecem a história de sua famosa égua Babieca. Costuma-se dizer que, quando Cid ainda era criança, seu padrasto o levou aos estábulos do mosteiro onde moravam. Ele pediu a seu enteado para escolher o cavalo que ele mais gostava.

Para a surpresa de todos, El Cid escolheu o cavalo mais feio e humilde de todo o estábulo. Segundo seu padrasto, o cavalo (a égua, na verdade) era “uma babieca”, porque não possuía nenhum atributo para ser um grande conquistador.

Não obstante, a história demonstrou a sabedoria de Cid e os méritos de sua grande égua. Juntos, eles venceram numerosas batalhas, e Babieca desfrutou de uma grande longevidade, morrendo aos 40 anos. A história de Cid e Babieca nos lembra que os atributos reais não estão no físico, mas na nobreza do espírito.

4. Palomo (Simón Bolívar)

Palomo foi o cavalo mais famoso do libertador Simón Bolívar, uma das figuras mais importantes da América do Sul. Diz-se que o equino teria sido dado a Bolívar antes da Batalha de Boyacá, ocorrida em 1819, no território onde atualmente conhecemos como Colômbia.

Desde então, Palomo acompanhou seu heroico cavaleiro em todas as suas campanhas de libertação nacional. Atualmente, suas ferraduras são exibidas com honra no Museu Mulaló, localizado na cidade de Tumbo, na Colômbia.

5. Pégaso (Zeus)

Pégaso é o famoso cavalo alado de Zeus, um garanhão branco nascido do sangue derramado por Medusa. Além de ser um famoso cavalo da mitologia grega e da ficção internacional, Pégaso foi o único cavalo que “viveu” entre os deuses do Olimpo.

Pégaso (Zeus)

6. Rocinante (Don Quixote)

Rocinante é um dos mais famosos cavalos da arte literária, que também teve representações no cinema e na televisão. Seu nome deriva da palavra “rocín”, usada para chamar os equinos que costumavam fazer trabalhos pesados ​​nos campos espanhóis.

Ao contrário dos grandes cavaleiros que escolheram nomes nobres para os seus cavalos, nosso cavaleiro favorito escolheu chamar seu companheiro de Rocinante. Mais do que pela sua aparência ou linhagem, Rocinante foi eternizado pela sua lealdade incomparável.

7. O Cavalo de Troia

Embora não tenha sido de “carne e osso”, o Cavalo de Troia é, sem dúvida, um dos mais famosos cavalos da nossa história. Este enorme cavalo de madeira foi construído pelos gregos e enviado como “presente de rendição” aos troianos.

Como sabemos, foi uma estratégia inteligente para atravessar as enormes muralhas de Troia. O cavalo de madeira abriu as portas para os soldados gregos, que finalmente venceram a batalha e conquistaram a cidade. Desde então, o Cavalo de Troia foi registrado na cultura popular como um símbolo de astúcia (do lado positivo) e traição (do lado negativo).