Os gambás podem ser animais de estimação

· setembro 4, 2018
É um parente do canguru que se caracteriza por sua velocidade. Vive perto de vilas e cidades e se alimenta de quase tudo o que encontra.

Parentes diretos dos cangurus, mas de tamanho muito menor, os gambás são marsupiais que vivem no continente americano e que algumas pessoas escolhem como animais de estimação. Conheça-os neste artigo.

Características dos gambás

Os gambás medem entre 30 e 50 centímetros e pesam no máximo cinco quilos. Eles se destacam por serem muito rápidos, ter um focinho longo e sensível e viver nas vizinhanças de vilas e cidades. Isso porque eles são animais que comem todo tipo de comida: resíduos, restos de animais mortos, frutas, insetos, vermes, pássaros, roedores, cereais, galinhas… o que encontrarem!

Suas mandíbulas fortes permitem que eles mastiguem ossos e caracóis.
Sua dieta pode ser bastante variada.

Eles podem usar cornijas, rachaduras, superfícies rochosas, troncos de árvores ou depósitos de lixo para fazer suas tocas. Outra característica é que eles podem subir em árvores e andar entre os galhos para escapar do perigo.

Também conhecido como “sariguê”, pode viver até oito anos em estado selvagem e é rejeitado pelas pessoas por causa de sua aparência: bigodes grandes, focinho longo, olhos pequenos, cauda grossa e escamosa e corpo atarracado.

Reprodução dos gambás

As fêmeas produzem um cheiro forte e nauseante que lhes permite, por um lado, afugentar os predadores e, por outro, atrair os machos durante a época de acasalamento.

gambá

Os órgãos sexuais dos gambás são “especiais”, já que as fêmeas têm uma vagina bifurcada, dois úteros, dois colos uterinos e dois ovários. Os machos têm um pênis de duas pontas que facilita a reprodução.

Após o intercurso, a gestação dura muito pouco: apenas duas semanas. Por esta razão, eles podem se reproduzir até três vezes em um ano e cada ninhada será composta por 16 filhotes. Além de serem muito férteis, iniciam sua vida sexual ativa aos 10 meses de idade.

Como os cangurus, os bebês gambás deixam o útero muito rapidamente e são colocados perto dos mamilos naquele tipo de “bolsa” tão característica dos marsupiais. Somente os filhotes que conseguem se alimentar sobrevivem.

Os filhotes são mantidos em segurança e com alimento garantido por 50 dias; período em que deixam a bolsa e se penduram nas costas de sua mãe, até que consigam se virar sozinhos.

Técnicas de defesa

Quando pensamos em gambás, também conhecidos como didelfimorfos, relacionamo-nos automaticamente com um animal sujo, que espalha doenças e, acima de tudo, perigoso. No entanto, isso não é verdade, ele pode nos dar um pouco de susto pelos gritos que emite ou por seu rosto pouco atraente; mas geralmente não ataca as pessoas.

Uma de suas técnicas para afugentar os predadores é urinar e defecar e depois andar sobre os resíduos; outro método é liberar uma urina muito forte e irritante, que causa lesões na pele.

gambá se fingindo de morto

Ocasionalmente, os gambás podem se fingir de mortos para desorientar os agressores: permanecem imóveis por muito tempo e, devido ao estresse, reduzem os sinais vitais e a sensibilidade ao máximo. Eles abrem um pouco a boca para deixar a língua sair e fecham os olhos, permanecendo, entretanto, muito atentos.

Quando percebem que não há mais perigo, eles “ressuscitam” e continuam com sua atividade normal. Infelizmente esta ação não os impede de serem devorados por pumas, corujas ou cobras.