Você sabia que os suricatos preferem os mais experientes como vigilantes?

· maio 3, 2019
Embora isso possa sugerir que os suricatos confiam nos espécimes mais antigos ou hierárquicos, eles realmente são capazes de perceber a habilidade de vigilância que seus companheiros possuem.

Os suricatos são uma espécie carismática de pequenos carnívoros africanos. Conhecida por ser uma das espécies nas quais as fêmeas dominam e por viverem em grupos, esses animais têm um curioso comportamento de vigilância.

Os sistemas de vigilância dos suricatos

Estes mamíferos têm muitos predadores, principalmente aves de rapina, como a águia marcial, bem como os chacais e outros grandes carnívoros. Por causa disso eles tiveram que desenvolver muitas estratégias de defesa.

Os suricatos têm chamadas de alarme para proteger os mais de 40 indivíduos que formam a colônia subterrânea. Os vigilantes esperam perto das entradas na posição ereta e emitem um alerta caso vejam predadores.

Esses tipos de chamadas de alerta estão presentes em muitos animais do grupo, sendo um dos melhores exemplos da incrível comunicação animal.

Esse comportamento também ocorre quando os suricatos saem para caçar. Isso porque se alimentam principalmente de invertebrados, como escorpiões, além de alguns pássaros e répteis.

Na verdade, os suricatos são especialistas em arrancar o ferrão de escorpiões para consumi-los. Além disso, desenvolveram técnicas para ensinar aos filhotes como fazer o mesmo através de brincadeiras com cadáveres ou escorpiões já feridos.

Grupo de suricatos

O papel dos vigilantes

Normalmente, um ou vários suricatos são vigilantes. Entretanto, já foi provado que a idade ou o status não influenciam a frequência com que cumprem esse papel.

No entanto, os suricatos parecem saber como seus companheiros trabalham e mudam seus padrões de comportamento dependendo do vigilante.

Um estudo publicado por dois pesquisadores da Universidade de Zurique registrou os alertas de até 66 vigilantes em nove grupos de suricatos. Esses alertas são pessoais, para que seja possível distinguir o animal que os faz pela própria chamada.

Assim, os cientistas verificaram que o sexo, a posição na hierarquia ou mesmo a idade não influenciam se os suricatos confiam nas chamadas de alerta ou não.

No entanto, eles perceberam que esses chamados conhecidos lhes davam maior confiança, especialmente aqueles que ouviam muitas vezes, o que parece indicar que eles confiam na experiência.

Por outro lado, também foi visto que os animais com laços familiares diretos, como os irmãos da mesma ninhada, confiam mais nos apelos dos irmãos.

Família de suricatos

Os suricatos não devem ser domesticados

Podemos afirmar que os os suricatos parecem extremamente adoráveis. Entretanto, deve-se sempre lembrar que não é uma boa ideia ter um como animal de estimação. Isso porque eles são animais selvagens e, dada a sua agressividade, não servem como animais domésticos.

Afinal, é comum que ataquem os próprios filhotes e jovens do grupo, bem como humanos. Nesse sentido,  um estudo recente mostrou que os suricatos fêmea dominantes são aqueles que dão origem a 90% da progênie do grupo e, em muitas ocasiões, acabam com a vida dos filhos de outros membros,

Além disso, os suricatos também podem atacar pessoas, tanto quando se trata de proteger seus filhotes quanto quando eles estão sendo manuseados. Eles são animais que precisam cavar e viver em comunidade, e não foram feitos para morar presos em uma casa.