O papagaio-cinzento: uma espécie ameaçada

O papagaio-cinzento é uma ave inteligente, simpática e amigável. Infelizmente, essas características que o tornam ideal como animal de companhia também colocam em perigo as suas populações selvagens.

Última atualização: 22 Dezembro, 2020

As populações selvagens de papagaio-cinzento estão em perigo. De acordo com a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), essa espécie se encontra em uma situação delicada por causa do seu drástico declínio numérico durante as últimas décadas.

Isso se deve principalmente ao fato de que, entre 1994 e 2003, mais de 21% dos indivíduos silvestres eram capturados anualmente para serem vendidos no mercado internacional. Por isso, atualmente, o papagaio-cinzento está na categoria mais alta da lista de proteção animal e a sua comercialização é ilegal.

A situação atual das aves

De acordo com a Lista Vermelha da UICN, mais de 32 000 espécies de seres vivos enfrentam um risco considerável de extinção. De todas elas, 14% são aves.

Além disso, organizações como a SEO Birdlife relatam que 28% das espécies de papagaios estão em estado crítico de conservação. De fato, 111 das 389 espécies incluídas na ordem dos Psittaciformes estão expostas a uma série de riscos que provocam o declínio de suas populações.

Relatórios coletados por essa associação destacam que três tipos de papagaios se encontram em um estado de risco especial. São os seguintes:

  1. Papagaios com uma pequena distribuição histórica, como, por exemplo, os habitantes de ilhas.
  2. Aqueles de grande porte, pois são longevos, mas têm poucos filhotes e atingem a maturidade sexual tardiamente.
  3. Papagaios que habitam áreas arborizadas que estão sofrendo repetidos episódios de desmatamento.

Conforme podemos ver, embora os papagaios sejam aves com extrema inteligência e capacidade cognitiva, infelizmente isso não pode salvá-los da atividade humana.

O papagaio-cinzento (Psittacus erithacus) se enquadra na segunda categoria, pois é uma ave de médio-grande porte, que pesa cerca de 400 gramas e tem mais de 30 centímetros de altura.

Esses animais são monogâmicos e o período de incubação dos ovos é lento e custoso e, portanto, a progênie produzida não é nada alta – aproximadamente três ovos por fêmea. Além disso, é uma espécie de crescimento lento, já que os papagaios-cinzentos só atingem a maturidade sexual por volta dos 3-5 anos de idade.

O problema do comércio ilegal

Conforme já dissemos anteriormente, de 1994 a 2003, houve um esgotamento das populações silvestres da espécie, pois se estima que tenham sido vendidos mais de 359 000 animais produto da caça e captura.

Isso, em dados estatísticos, significa que 21% dos membros das populações selvagens eram perdidos anualmente. Além disso, o percentual de mortalidade dos animais capturados foi exorbitante – mais de 60% morreram antes de chegar ao mercado internacional.

Por essa razão, a União Internacional para a Conservação da Natureza classificou o papagaio-cinzento como “em perigo”. Os efeitos combinados da captura furtiva, da caça para a obtenção de seus materiais para a medicina tradicional e da perda de habitat estão acabando com a espécie lentamente.

O papagaio-cinzento é o segundo psitacídeo mais capturado historicamente para propósitos humanos.

Uma ação imediata é necessária

Por todas essas razões, em 2016, os países membros da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies Ameaçadas de Extinção (CITES) assinaram um acordo que proibia a aquisição de papagaios-cinzentos capturados na natureza.

Apesar de tudo isso, diversos jornais destacam que o comércio ilegal dessa espécie não foi totalmente detido. Espécimes capturados na natureza ainda podem ser encontrados em seu país de origem, a preços tão exorbitantes quanto 2000 dólares por animal.

Isso não quer dizer que manter um papagaio-cinzento como animal de estimação seja ilegal. A sua posse é teoricamente possível, desde que seja apresentada uma documentação clara e amparada por um órgão oficial que certifique que o animal tenha sido criado em cativeiro.

A legislação varia de país para país. Por isso, antes de adquirir um animal exótico, é sempre aconselhável consultar um profissional sobre as questões jurídicas.

Uma responsabilidade cívica

Vários profissionais da área afirmam: “sem demanda não há oferta”. Assim, é nossa obrigação como tutores nos certificarmos da origem legal de cada um dos nossos animais de estimação, pois, assim, podemos evitar acontecimentos como o que foi comentado aqui.

As medidas regulatórias estabelecidas a nível internacional para a conservação do papagaio-cinzento têm como objetivo impedir o declínio da sua população, mas, enquanto a captura ilegal continuar a ocorrer, não podemos garantir a permanência dessa espécie na natureza.

Pode interessar a você...
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O kea: famoso por ser o único papagaio da montanha

O kea é um papagaio único por si só e que, entre outras características, destaca-se por sua grande inteligência. A seguir, mais detalhes!