Por que meu cachorro ataca as galinhas e como evitar?

Se você mora em um ambiente rural ou em um santuário, pode ter percebido que cães domésticos costumam atacar galinhas. Ao seguir uma série de dicas, você poderá evitar esse comportamento.
Por que meu cachorro ataca as galinhas e como evitar?

Última atualização: 10 Junho, 2021

Em certos ambientes, como áreas rurais, é possível que várias espécies de animais vivam juntas no mesmo espaço. Quando se trata de galinhas e cães, por serem presas e predadores, surge o seguinte questionamento: o que fazer quando o cachorro ataca as galinhas?

Evitar esse conflito é essencial, já que os ferimentos sofridos por essas aves quando atacadas por um canídeo costumam ser graves e até fatais. Além disso, o cão pode sofrer consequências legais – muitas vezes desproporcionais, como o abate forçado – se o ataque for direcionado às galinhas de outra pessoa.

Por que meu cachorro ataca as galinhas?

Normalmente, a causa subjacente de uma situação em que um cão ataca galinhas é o instinto de caça. Mesmo que ele não esteja com fome, o cachorro pode ver nessas aves um alvo de ataque ou predação.

Por outro lado, um cão muito territorialista tenderá a defender uma área que considera sua. Se as galinhas – ou outros animais – estiverem dentro desse território, ele irá atacá-las ou tentará assustá-las. Mesmo que não sejam prejudicadas fisicamente, as aves são muito delicados em relação ao estresse, podendo até morrer por causa de um ataque cardíaco.

 

Como evitar ataques de cães a galinhas?

Em locais onde vivem muitas espécies diferentes e onde indivíduos entram constantemente – como em um santuário –, é inevitável que presas e predadores tenham que conviver. Além disso, a introdução de novos animais frequentemente leva a conflitos em espécies que se organizam hierarquicamente.

Quando um cão passa a morar em um local onde antes havia galinhas e mostra vontade de atacá-las, o plano que deve ser seguido tem duas partes: primeiro, acostumar o cachorro com a presença dessas aves e, segundo, ensiná-lo a não incomodá-las. A seguir, você vai encontrar algumas dicas para conseguir uma boa convivência entre as duas espécies.

Levar o cachorro para passear

Se o cão fizer longos passeios ou gastar uma boa quantidade de energia, ele ficará mais relaxado e reagirá com mais calma ao encontrar outros animais. Principalmente no caso de cães nervosos, não acumular energia é fundamental para evitar a agressividade contra as galinhas.

Apresentar as galinhas ao galinheiro antes de iniciar o treinamento

As galinhas reconhecem o cão como um predador, então é mais do que provável que elas corram e voem assim que ele aparecer. Se isso acontecer, o cão tenderá a persegui-las. Evitar essa dinâmica é tão simples quanto colocar as aves em seu abrigo antes de deixar o cão sair para o quintal.

Assim que o cachorro – que já terá gastado energia com o passeio – estiver perto do galinheiro, peça a ele para se sentar e ficar tranquilo. Então, com calma, solte as galinhas. Se o cão reagir, dê uma ordem para que ele continue quieto e, se obedecer, ofereça recompensas.

Se o seu cachorro ataca as galinhas, deixe que eles se conheçam através da cerca

É melhor fazer encontros em que o cão se acostuma com a presença das galinhas com uma cerca entre eles. Assim, as aves podem se refugiar caso se sintam em perigo e o canídeo poderá cheirá-las e se acostumar com elas, sem ter qualquer oportunidade de prejudicá-las.

Quando o cão não demonstrar mais reações às aves estando fora do galinheiro, você pode entrar com ele e continuar com o processo dentro do local. Se você não sentir segurança, colocar uma coleira no cão é uma opção.

Seja constante

Os treinamentos não funcionam da noite para o dia, mas não se desespere: se as ordens para manter a calma e os reforços forem consistentes, o cão acabará aprendendo a não atacar as galinhas. Elas, por sua vez, também terão tempo para se acostumar com o cão em seu próprio ritmo.

O que não fazer se o cachorro atacar as galinhas

Em conclusão, nunca é demais lembrar que a punição não é um método apropriado de modificação do comportamento. Induzir medo no cão por meio de gritos ou agressões de qualquer tipo só levará o animal a desobedecer assim que você se virar – no melhor dos casos.

Por outro lado, as galinhas precisam viver o mais livres de estresse possível. Também não é um método válido tentar fazer com que elas aprendam a fugir quando um predador aparece diariamente, pois as aves podem desenvolver muitos problemas de saúde causados por essa situação.

 

Um cachorro e uma galinha se olham.

Se você for paciente e consistente com o treinamento, todas as espécies de animais que vivem com você poderão ficar em harmonia. A capacidade dos não humanos de buscar viver em paz vai surpreender você, desde que eles tenham tenham recursos suficientes para seu bem-estar.

Pode interessar a você...
Cuidado e criação da galinha polonesa
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Cuidado e criação da galinha polonesa

O cuidado e a criação da galinha polonesa são complicados. Além disso, elas não chocam os ovos, então uma incubadora é necessária.



  • Schöning, B. (2011). Guía práctica del comportamiento del perro. Editorial HISPANO EUROPEA.
  • The Open Sanctuary Project, Inc. (2020, 23 diciembre). How Chickens Get Along With Other Species. The Open Sanctuary Project. https://opensanctuary.org/article/chickens-and-other-species/
  • González Alonso, A. (2017). Clases de cachorros y problemas de comportamiento en perros.