Por que os castores constroem barragens?

Certamente você conhece os castores por sua incrível capacidade de construir barragens, mas você já se perguntou por que eles fazem isso? Continue lendo e aprenda tudo relacionado a esses magníficos roedores.
Por que os castores constroem barragens?
Sebastian Ramirez Ocampo

Revisado e aprovado por veterinário e zootécnico Sebastian Ramirez Ocampo.

Última atualização: 13 março, 2023

Os castores, considerados um dos maiores roedores do mundo, são nativos da América do Norte e da Eurásia. São animais semiaquáticos, cuja família, Castoridae, é composta por três espécies chamadas castores-americanos, castores-europeus e castores-de-kellogg. Este último infelizmente está extinto.

Sua distribuição geográfica ocorre exclusivamente no hemisfério norte do planeta. Embora alguns espécimes de castores americanos tenham sido introduzidos pelo ser humano em certas regiões do Chile e da Argentina. Eles são conhecidos principalmente por serem animais de trabalho, que passam a maior parte do tempo construindo o que é conhecido como barragens.

Há uma razão pela qual os castores constroem esse tipo de estrutura em particular, que você certamente desejará conhecer ao ler este artigo. Continue lendo e saiba mais sobre o animal selvagem que melhor se adapta às situações que surgem em seu ambiente.

Características dos castores

Os castores são animais de tamanho médio que atingem um peso médio adulto de 27 quilos e um comprimento de aproximadamente 80 centímetros. Eles são equipados com uma cauda oval coberta de escamas, pés palmados e uma espessa camada de pele. Sua pelagem impermeável é composta por duas camadas, uma sedosa e outra muito mais áspera na superfície.

Além disso, eles têm uma mandíbula poderosa e um par de incisivos superiores de 25 milímetros de comprimento, que são fortes e duráveis devido ao seu alto teor de ferro. Um fato curioso sobre esse mamífero é que seus dentes nunca param de crescer ao longo de sua vida.

Por outro lado, sendo animais semiaquáticos, possuem orelhas e narinas que podem ser fechadas e abertas conforme desejado. Tanto os castores-americanos quanto os castores-europeus têm características morfológicas muito semelhantes, com a única diferença de que os últimos têm crânios menores e caudas mais estreitas.

Quanto ao seu habitat, os castores preferem áreas com rios de água doce, lagos, lagoas ou pântanos. Alimentam-se exclusivamente de cascas, folhas e galhos de árvores, juntamente com as raízes de algumas plantas aquáticas.

Como e por que os castores constroem barragens?

A principal razão pela qual os castores constroem suas barragens é puramente para sobrevivência. Graças a essas barreiras, esses roedores conseguem parar o fluxo de água para criar lagoas onde podem criar suas tocas. Da mesma forma, ao criar essas estruturas, os castores se protegem de certos predadores como coiotes, lobos e ursos, além de garantir o acesso à alimentação durante o inverno, já que esses mamíferos não hibernam.

A construção da casa começa com o corte das árvores encontradas em seu entorno para obtenção de pedaços de madeira. Posteriormente, as peças são empilhadas de forma a construir uma barreira horizontal para parar a água. Dada a sua capacidade de cortar madeira de até 30 centímetros de espessura em 30 minutos, os castores podem criar suas represas em uma única noite.

Esses mamíferos são conhecidos por construir barragens muito longas. Na verdade, o recorde é de uma estrutura encontrada em Montana, nos Estados Unidos, que media 652 metros de comprimento e 4 metros de altura. No entanto, os diques costumam ter 10 metros de comprimento e 1,5 metros de altura.

castores

Tocas

Os castores também são conhecidos pelas suas tocas, que são construídas a partir de galhos, lama, musgo e grama entrelaçada. Possuem formato cônico e canais de entrada e saída. Dessa forma, se um predador entrar por um canal, o castor poderá escapar rapidamente pelo outro.

Da mesma forma, as entradas estão localizadas debaixo d’água para evitar que sejam bloqueadas quando a superfície da água congelar e dificultar a entrada de qualquer outro animal. A manutenção de suas casas é diária, pois o castor, ao identificar qualquer tipo de vazamento ou entrada de água em sua toca, está pronto para repará-la rapidamente substituindo a madeira e acrescentando mais lama à sua estrutura.

As barragens de castores são boas para o meio ambiente?

Embora se possa pensar que o represamento de água em determinados locais possa prejudicar o ecossistema, a realidade é que acontece o contrário. De acordo com um estudo chamado Sediment and nutrient storage in a beaver engineered wetland (Armazenamento de sedimentos e nutrientes em uma zona úmida projetada por castores, em tradução livre), as barragens construídas por castores ajudam a remover poluentes da água e impedir a perda e a erosão do solo agrícola.

De acordo com este documento, em que castores euro-asiáticos foram usados em um campo experimental, as barragens construídas haviam retido mais de 100 toneladas de sedimentos. Além disso, foram reduzidos os níveis de nitrogênio, fósforo e carbono, nutrientes prejudiciais à vida selvagem em rios e córregos, bem como contaminantes da água potável.

Entre outros aspectos, essas barragens também beneficiam a restauração de zonas úmidas, o que se traduz no aumento da fauna e flora em diferentes ecossistemas. Além disso, os diques ajudam a evitar inundações e protegem o solo da erosão.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.


    1. Cutting KA, Ferguson JM, Anderson ML, Cook K, Davis SC, Levine R. Linking beaver dam affected flow dynamics to upstream passage of Arctic grayling. Ecology and evolution. 2018;8(24):12905-17.
    2. Grudzinski BP, Fritz K, Golden HE, Newcomer-Johnson TA, Rech JA, Levy J, et al. A global review of beaver dam impacts: Stream conservation implications across biomes. Global ecology and conservation. 2022;37:1-15.
    3. Puttock A, Graham HA, Carless D, Brazier RE. Sediment and nutrient storage in a beaver engineered wetland. Earth Surface Processes and Landforms. 2018;43(11):2358-70.
    4. Ronnquist AL, Westbrook CJ. Beaver dams: How structure, flow state, and landscape setting regulate water storage and release. The Science of the total environment. 2021;785:147333.
  •  


Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.