Por que as penas do meu canário estão caindo?

Quando as penas do canário estão caindo, ele geralmente está em processo de muda. No entanto, certas doenças também podem causar esse evento.
Por que as penas do meu canário estão caindo?

Última atualização: 26 Agosto, 2021

Os canários (Serinus canaria subespécie domestica) são as aves domésticas mais comuns como animais de estimação, junto com os periquitos (Melopsittacus undulatus) e o gênero Agapornis. Essas aves estão presentes no meio doméstico desde o século XVII e há amplo conhecimento científico sobre seus cuidados e sua fisiologia. No entanto, alguns tutores não sabem por que as penas de seus canários caem todos os anos.

Embora possa parecer preocupante, a queda das penas é quase sempre um evento fisiológico normal. As aves trocam de penas uma vez por ano para renovar sua camada protetora, mas se essa queda ocorrer fora do verão, seu animal de estimação pode estar com alguma doença fúngica, viral ou bacteriana. Se você quiser saber mais sobre esse assunto, continue lendo com a gente.

A muda nos canários

As penas das aves são estruturas epidérmicas – derivadas da pele – que servem de proteção contra o calor e o frio intensos. Além disso, em algumas espécies, elas servem como mecanismo críptico para passarem despercebidas diante de predadores ou como estratégia de seleção sexual. Nos pavões, por exemplo, as penas são vitais para o cortejo e a seleção do parceiro.

As penas se degradam por fricção, batidas e ação de parasitas externos. Como essas estruturas epidérmicas estão mortas e não podem ser reparadas, o pássaro só precisa dedicar uma época específica do ano para renová-las. Em canários, a troca de penas ou o período de muda ocorre no verão, se o animal viver no hemisfério sul.

O início da muda é parcialmente condicionado pelo fotoperíodo e pelo clima, ou seja, quando o dia tem muitas horas de luz, cerca de 14, e as temperaturas são altas. As penas do canário caem nessa época do ano porque é a mais apropriada, já que não é necessário se proteger do frio e a época de reprodução terá chegado ao fim.

As aves geralmente trocam de penas após a reprodução e antes do início da estação migratória no outono-inverno.

 

Você sabe o que fazer quando as penas do seu canário estão caindo?

Os hormônios condicionam a muda

Mais do que o aumento das horas de sol por dia, o que mais incentiva o início da muda é a sua redução. O dia mais longo do ano é 21 de junho e, a partir dessa data, o fotoperíodo começa a encurtar gradativamente, sendo a variação muito mais notável em agosto. A maioria dos canários realiza a muda no último mês, embora alguns se adiantem e a façam em julho.

Acredita-se que o processo de muda seja multifatorial e mediado por vários hormônios, embora a ação de cada um deles ainda não tenha sido totalmente descrita. De acordo com estudos, os hormônios esteroides gonadais, os corticosteroides, os hormônios da tireoide e a prolactina podem desempenhar um papel importante na queda das penas das aves.

As penas do meu canário estão caindo por causa da muda: como posso ajudar?

Agora você já sabe que a queda das penas entre julho e agosto é completamente normal para os canários. No entanto, existem certas coisas que você pode fazer a fim de facilitar o processo para o seu animal de estimação. Dentre os aspectos a serem levados em consideração, destacamos os seguintes:

  • Durante a muda, os canários machos param de cantar, por várias semanas inclusive. Não perturbe seu espécime se for o caso nem tente pressioná-lo com gravações de outros machos para que ele recupere sua voz. Isso é normal e, se você tentar corrigir, vai estressar ainda mais o animal.
  • Nessa fase, os canários precisam ter uma banheira com água morna à disposição todas as manhãs. Dessa forma, eles serão capazes de higienizar suas novas penas e limpá-las à medida que crescem. Se você colocar algumas gotas de vinagre na água, ajudará o animal a se desparasitar.
  • Trocar de penas é um processo que demanda muita energia. Portanto, o canário necessitará de suplementos específicos, ricos em proteínas, para essa fase. Você deve ter em mente que as penas são compostas 88% de material proteico. Portanto, esse macronutriente é tão importante.

Além disso, recomendamos que você deixe o canário calmo e longe de estímulos muito intensos até que seu processo de muda seja finalizado. Lembre-se de que essa é a época mais delicada do ano para as aves, por isso respeite o seu animal de estimação e deixe-o tomar seu tempo.

As penas do meu canário estão caindo fora da época da muda

Tudo o que dissemos até agora se aplica à época da muda, ou seja, de julho a agosto. Se as penas do seu canário estiverem caindo no meio do inverno ou no início da primavera, é um motivo para se preocupar. A seguir, vamos mostrar outras causas desse evento fora da normalidade.

Falsa muda

A muda às vezes fica desajustada em canários domésticos devido à falta de um padrão ambiental consistente. Temperaturas muito altas no inverno – por causa do aquecimento interno da casa, por exemplo –, estímulos estressantes e muita luz farão com que a ave se equivoque e comece a trocar de penas quando não é o momento para isso.

Nesses casos, geralmente é útil reduzir o número de horas de luz do dia para 8 a 10 no máximo. Também é recomendável trocar a localização da gaiola, posicionando-a em um local sem estressores, que atinja por volta de 20-22 graus Celsius. Assim, a queda de penas fora da estação pode ser interrompida.

Doenças

Muitas doenças estão associadas à queda das penas, pois esse é um dos primeiros sinais de problemas de saúde, de um sistema imunológico deteriorado e de desnutrição. Na lista a seguir, apresentamos algumas das patologias que podem causar esse evento:

  • Parasitas: parasitas internos ou externos podem estar impedindo a manutenção correta das penas. Nesses casos, um exame de fezes e uma avaliação física costumam ser necessários para detectar o microrganismo problemático.
  • Infecções virais e bacterianas: dependendo do patógeno, serão prescritos antibióticos ou terapias de suporte.
  • Problemas comportamentais: se o canário estiver alojado junto com outras espécies de aves – algo que nunca deveria acontecer – elas podem bater nele e arrancar suas penas.

Dependendo da localização da infecção ou da doença, o pássaro pode apresentar outros sintomas além da queda das penas, como problemas respiratórios, diarreia, falta de apetite, convulsões e muito mais. Todos os sinais clínicos citados indicam a necessidade de consulta veterinária imediata.

 

As penas do canário caem na época de muda.

Como você viu, um canário que está perdendo as penas no verão não é motivo de preocupação, pois está em fase de muda. No entanto, se isso ocorrer fora dessa estação, geralmente é um sinal de estresse, ansiedade ou uma doença infecciosa.

Pode interessar a você...
A importância do banho para os canários
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
A importância do banho para os canários

Os canários precisam tomar banho regularmente, de duas a quatro vezes por semana. Isso evita o aparecimento de ácaros. Veja sua importância!



  • Bentley, G. E., Audage, N. C., Hanspal, E. K., Ball, G. F., & Hahn, T. P. (2003). Photoperiodic response of the hypothalamo‐pituitary‐gonad axis in male and female canaries, Serinus canaria. Journal of Experimental Zoology Part A: Comparative Experimental Biology, 296(2), 143-151.
  • WEICHEL, K., SCHWAGER, G., HEID, P., GÜTTINGER, H. R., & PESCH, A. (1986). Sex differences in plasma steroid concentrations and singing behaviour during ontogeny in canaries (Serinus canaria). Ethology, 73(4), 281-294.
  • Koch, R. E., McGraw, K. J., & Hill, G. E. (2016). Effects of diet on plumage coloration and carotenoid deposition in red and yellow domestic canaries (Serinus canaria). The Wilson Journal of Ornithology, 128(2), 328-333.
  • Hurley, L. L., Wallace, A. M., Sartor, J. J., & Ball, G. F. (2008). Photoperiodic induced changes in reproductive state of border canaries (Serinus canaria) are associated with marked variation in hypothalamic gonadotropin-releasing hormone immunoreactivity and the volume of song control regions. General and comparative endocrinology, 158(1), 10-19.