Porco espinho de crista: conheça suas características e hábitos

· agosto 14, 2018
Nativo da África, embora também viva na Europa, essa espécie de mamífero é praticamente imortal em um confronto. Suas farpas são longas e; embora ele não as atire ou sejam venenosas, elas causam ferimentos com lesões propensas a infecções graves.

O porco espinho de crista (Hystrix cristata) é um roedor conhecido por todos nós. Coberto de farpas afiadas que o tornam uma presa muito complicada para aqueles que tentam caçá-lo.

Um porco espinho de crista ou um ouriço?

Normalmente, quando falamos de ouriços, falamos de animais muito menores, com pequenos espinhos que circundam todo o corpo uniformemente. No entanto, porcos-espinhos têm farpas muito mais longas e; portanto, mais flexíveis.

Os espinhos desses animais estão em cachos e caem habitualmente; embora cresçam novamente por serem simplesmente revestidos de queratina em ambas as espécies. Acredita-se que os espinhos desses animais possuam capacidade antibiótica, o que ajudaria esses seres em caso de autoflagelação.

Porco espinho de crista, africano?

Uma das características mais curiosas do porco-espinho de crista é a sua distribuição. Certamente, muitos pensam que ele vive em algum continente exótico, como a África; e assim é, o porco-espinho vive em muitas regiões do continente africano, como o Marrocos. 

Porco espinho de crista

No entanto, um dos fatos mais curiosos é que ele também vive na Europa; especificamente há populações distribuídas na Itália. A origem dessas populações é muito misteriosa: na realidade, sabemos pelo registro fóssil que havia porcos-espinhos na Europa; mas acredita-se que os romanos provavelmente o introduziram lá.

A estratégia de defesa do porco espinho de crista

Sua estratégia de defesa é desencadeada por múltiplos estímulos, como cheiros suspeitos, sons ou movimentos bruscos; sua defesa consiste em uma série de exibições comportamentais: a ereção dos espinhos, a inquietude dos dentes, a emissão de odores e; finalmente, o ataque.

Suas cores e a ereção dos espinhos, unido ao fato de que a maioria dos predadores não detectam cores, fazem com que estes o confundam com um gambá, que não é um prato de bom gosto para nenhum carnívoro. Mesmo assim, o porco-espinho não precisa ser confundido com outro animal, pois possui grande capacidade de defesa.

Quando o porco-espinho é ameaçado, seus espinhos fazem com que ele pareça maior e o circundam; enquanto ele faz barulho tremendo e batendo os dentes. Finalmente, se o inimigo avança, ele recorre a um forte odor que emana de sua pele e parte para a briga; consistindo em enfrentar o adversário com suas espinhas eretas.

Mitos e verdades sobre o porco-espinho

É importante notar que os espinhos do porco-espinho não são venenosos e nem podem ser lançados; embora as lesões que causem sejam devidas a infecções. Existem vários casos de leões e cobras que não conseguiram matar um desses animais e que morreram vítimas das infecções causadas pelos múltiplos espinhos do animal.

Porco espinho de crista

De fato, embora sejam casos muito isolados, esses animais não só mataram grandes felinos e hienas; mas também humanos. É por isso que devemos ser extremamente cuidadosos se encontrarmos um, e não incomodá-lo.

Outros comportamentos curiosos

Uma das coisas mais surpreendentes sobre o porco espinho de crista é que não há problemas para ele se molhar e; na verdade, ele pode até nadar. São animais noturnos monogâmicos, e sua dieta é herbívora: consomem raízes, folhas, bulbos e frutas.

Outro dos seus comportamentos mais enigmáticos é que eles coletam ossos. Apesar de serem herbívoros; tem sido visto como esses animais coletam ossos de outras espécies e os armazenam. Acredita-se que eles são usados ​​para roer; o que lhes permite usar os dentes e ingerir cálcio diretamente.