Quanto tempo vive um camaleão?

O padrão e a história de vida dos camaleões têm como objetivo a otimização. Dessa forma, eles ocupam todo o tempo de vida de que dispõem para garantir a persistência de sua espécie.
Quanto tempo vive um camaleão?

Última atualização: 20 Novembro, 2021

Os camaleões são um dos répteis mais incríveis que existem, pois têm uma grande capacidade de mudar de cor. Essa habilidade os tornou populares como animais de estimação, já que suas aparências peculiares e tons diversos são famosos em todo o mundo. No entanto, ao contrário de outros répteis de vida longa, o camaleão vive muito menos.

Em geral, a vida média de um camaleão depende de cada espécie, pois alguns têm existências muito reduzidas. Além disso, embora pareça ser um réptil fácil de cuidar, existem muitos fatores que podem afetar ainda mais sua sobrevivência. Continue lendo e descubra quantos anos vive um camaleão.

Quanto tempo vive um camaleão?

Em geral, um camaleão tem uma expectativa de vida que varia de 1 a 20 anos, o que é uma variação muito grande. Como você pode imaginar, a flutuação entre a longevidade de cada espécime se deve a diferentes fatores. Para o caso de animais em cativeiro, os pontos seguintes são determinantes muito importantes:

  • Estresse: esse fator é muito pouco evidente, uma vez que os camaleões não costumam expressar seu estresse, mas são afetados por suas consequências.
  • Reprodução: no caso das fêmeas, cada evento reprodutivo diminui drasticamente sua longevidade, então você deve pensar nisso se quiser reproduzir seu animal de estimação. Além disso, muitos deles põem ovos mesmo que não se reproduzam (e estes são inférteis).
  • Alimentação e hidratação: a qualidade de sua nutrição e hidratação também impacta a expectativa de vida desses animais, portanto, negligenciar qualquer um desses aspectos pode ser contraproducente.

É importante ressaltar que o estresse deteriora muito a saúde do camaleão, pois, ao reduzir suas defesas, o expõe a outras patologias. Esse fator é um inimigo silencioso, então a melhor maneira de combatê-lo é oferecendo ao seu animal de estimação as condições adequadas. Lembre-se de que esses organismos geralmente não são tão sociais quanto outros animais de estimação, então tente dar espaço a eles.

O comportamento do camaleão é muito curioso.

A expectativa de vida também depende da espécie

Isso não significa que qualquer camaleão possa chegar aos 20 anos, mas que alguns podem viver mais com os cuidados necessários. Isso ocorre porque a expectativa de vida média também depende da espécie. Aqui estão alguns dos espécimes mais populares com suas respectivas longevidades.

Camaleão-de-três-chifres ou camaleão-dejackson (Trioceros jacksonii)

O camaleão-de-três-chifres é um animal de estimação popular que mede de 15 a 25 centímetros de comprimento, além de exibir belos chifres. Esses organismos pertencem ao continente africano, onde habitam as florestas úmidas da região. Em geral, os espécimes machos vivem aproximadamente 10 anos, enquanto as fêmeas atingem apenas 5 ou 6 anos de idade.

Camaleão-de-quatro-chifres (Trioceros quadricornis)

Essa espécie é um animal de estimação raro que geralmente mede entre 25 e 35 centímetros de comprimento. É nativo da Nigéria e dos Camarões, onde vive em florestas muito tranquilas e longe dos centros urbanos. Em relação à expectativa de vida, as fêmeas não ultrapassam os 5 anos, enquanto os machos atingem no máximo 7 anos.

Um camaleão de três chifres.

Camaleão pigmeu (gênero Rieppeleon)

São alguns dos menores camaleões que existem, atingindo no máximo 8 centímetros de comprimento. Esses animais geralmente não são muito comuns como animais de estimação, pois alguns países exigem documentação especial para sua posse. Em relação à longevidade, os machos chegam aos 3 anos, enquanto as fêmeas mal completam um ano.

Um camaleão em um fundo branco.

Furcifer labordi

Este espécime é endêmico de Madagascar e só pode ser encontrado em seu habitat natural. É um organismo muito pequeno, de apenas 10 centímetros de comprimento, que tem uma vida muito curta. Na verdade, é considerado o vertebrado com a menor expectativa de vida, pois vive apenas 4 ou 5 meses e morre logo após a reprodução.

Calumma parsonii

Essa espécie tem 80 centímetros de comprimento, sendo um dos maiores camaleões que existem. Graças ao seu tamanho, é frequentemente considerado um excelente animal de estimação para os fãs de herpetologia. A expectativa de vida desses espécimes varia em torno de 15 anos para os machos, enquanto as fêmeas chegam apenas a 8 anos.

Esses camaleões têm uma vida muito longa em comparação com os outros.

Outra espécie de camaleão.

Camaleão-do-iêmen (Chamaeleo calyptratus)

Esse camaleão é reconhecido por sua crista que mede 10 centímetros de altura, enquanto seu corpo tem 45 centímetros de comprimento. Esse espécime costuma ser um dos mais populares entre os animais de estimação, especialmente os machos, que conseguem viver de 6 a 8 anos, enquanto as fêmeas atingem apenas de 4 a 5 anos.

O que os camaleões comem?

Por que alguns camaleões vivem mais e outros vivem menos?

Graças a processos evolutivos, cada espécie especializou seu corpo para poder se adaptar a cada um de seus ambientes. Dessa forma, cada tipo de camaleão opta por uma estratégia de vida diferente que lhe confere vantagens para sobreviver. O processo de seleção natural dita as mudanças fisiológicas de todos os seres vivos.

Quando se trata de camaleões, a razão pela qual alguns vivem mais do que outros é por causa de sua estratégia de criação específica. Os organismos que se reproduzem em uma idade precoce vivem vidas curtas, enquanto aqueles que copulam em uma idade avançada vivem mais. As razões por trás desses mecanismos estão listadas abaixo:

  • Reprodução precoce: nessa estratégia, o objetivo é amadurecer o mais rápido possível para se reproduzir, uma vez que é provável que em seu ambiente existam ameaças difíceis de evitar. Sabendo que não têm muito tempo de vida na natureza, esses camaleões “apostam” tudo para se reproduzir e garantir que sua espécie dure.
  • Reprodução tardia: nesse grupo não existem ameaças suficientes que coloquem em risco a sua população, pelo que se concentram no desenvolvimento do corpo, alimentando-se bem e produzindo boas características. Por isso, demoram mais para iniciar a temporada reprodutiva, o que aumenta muito sua expectativa de vida.

Por que os machos vivem mais do que as fêmeas?

Como mencionado acima, o custo de reprodução é muito alto para as fêmeas, pois elas têm que fornecer todos os nutrientes que vão alimentar seus filhotes. As mães desgastam seus corpos a cada evento reprodutivo, tornando-os fracos e mais suscetíveis a diferentes doenças. Por isso vivem muito menos que os machos.

Os machos têm alguma desvantagem?

Você pode pensar que as fêmeas fazem todo o trabalho, já que seus parceiros parecem não contribuir muito. Não é o caso, pois o macho passa por alguns inconvenientes que também afetam o seu dia a dia. O macho investe energia e nutrientes no desenvolvimento do seu corpo, pois tem que lutar contra os demais pelo direito de acasalar (seleção sexual).

À primeira vista, embora não pareça de grande importância, essas batalhas têm um alto custo energético para os espécimes. Além disso, durante esses conflitos eles podem ser feridos, o que em alguns casos lhes custa a vida. Afinal, a reprodução também atinge o macho de certa forma, pois ele tem que “competir” para se reproduzir.

Um camaleão-pantera em uma árvore.

A expectativa de vida dos camaleões está intimamente relacionada à sua história natural. Isso porque todas as suas características têm função em seu habitat, pois são o resultado de um processo de seleção natural. O simples fato de algumas espécies viverem mais que outras é mais um exemplo da existência do processo evolutivo que muda e modifica os animais.

Pode interessar a você...
Camaleão como animal de estimação: principais cuidados
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Camaleão como animal de estimação: principais cuidados

Mais e mais pessoas têm optado por adotar um camaleão como animal de estimação. Além de sua beleza exótica, esses répteis peculiares são independen...



  • Eckhardt, F., Kappeler, P. M., & Kraus, C. (2017). Highly variable lifespan in an annual reptile, Labord’s chameleon (Furcifer labordi). Scientific reports, 7(1), 1-5.
  • Karsten, K. B., Andriamandimbiarisoa, L. N., Fox, S. F., & Raxworthy, C. J. (2008). A unique life history among tetrapods: an annual chameleon living mostly as an egg. Proceedings of the National Academy of Sciences, 105(26), 8980-8984.
  • Eckhardt, F., Kraus, C., & Kappeler, P. M. (2019). Life histories, demographies and population dynamics of three sympatric chameleon species (Furcifer spp.) from western Madagascar. Amphibia-Reptilia, 40(1), 41-54.
  • Kieselbach, D., Müller, R., & Walbröl, U. (2007). Camaleones. Editorial HISPANO EUROPEA.
  • Karsten, K. B., Andriamandimbiarisoa, L. N., Fox, S. F., & Raxworthy, C. J. (2009). Sexual selection on body size and secondary sexual characters in 2 closely related, sympatric chameleons in Madagascar. Behavioral Ecology, 20(5), 1079-1088.