As 5 raças de cães ideais para terapia

A terapia assistiva canina ajuda a melhorar a qualidade de vida dos pacientes, razão pela qual é amplamente utilizada em vários centros médicos em todo o mundo.
As 5 raças de cães ideais para terapia

Última atualização: 26 maio, 2022

Os cães não são apenas grandes companheiros em casa, mas com o treinamento certo também podem ajudar as pessoas com suas doenças. Isso é conhecido como terapia assistida por animais, que permite que os pacientes enfrentem seus problemas de saúde na companhia de algum animal sociável, como os cães.

Embora seja verdade que a maioria dos cães é capaz de desenvolver essa capacidade terapêutica, poucos têm as características certas para realizar a terapia. Na verdade, isso é de extrema importância, pois o sucesso desse processo depende inteiramente das características do cão. Continue a leitura e descubra algumas das raças de cães indicadas para esse trabalho.

Terapia assistida por animais

A terapia assistida por animais surgiu em 1792, quando um psiquiatra usou pela primeira vez diferentes animais na tentativa de melhorar o processo de recuperação. No entanto, nesse momento apenas alguns dos benefícios proporcionados por essa terapia foram intuídos, mas o real impacto que tiveram não era bem conhecido.

Muito simplesmente, o benefício da terapia assistida por animais vem do bem-estar mental e emocional que ela proporciona. A presença desses espécimes induz a socialização dos pacientes, o que promove emoções de tranquilidade, felicidade e alegria. Embora pareça um pouco mínima, essas situações provocam mudanças na vida geral das pessoas.

Por sua vez, os cães possuem grandes habilidades sociais e uma aparência delicada que facilita a produção desses ambientes. É graças a isso que eles são percebidos como espécimes favoritos para realizar terapias assistidas. No entanto, é necessário lembrar que os pacientes precisam de um ambiente saudável, higiênico, calmo e tranquilo, por isso nem todos os cães são adequados para a tarefa.

Terapia assistida por cães

Cães utilizados em terapia assistida necessitam de treinamento específico, pois qualquer comportamento inadequado pode prejudicar o paciente. É por isso que eles são ajudados a desenvolver estabilidade emocional e segurança, o que lhes permite se comportar da melhor maneira.

Em cada visita, os cães são acompanhados pelo seu treinador e são vigiados de perto. No entanto, o cão é quem age e deve conduzir a terapia de acordo com o que observa do paciente. Isso só é possível porque eles percebem a linguagem corporal das pessoas, então reagem instintivamente e sabem incentivá-las.

Raças de cães úteis para terapia assistida

Cães que realizam a terapia assistida devem ser bastante calmos, alegres, obedientes, sociáveis e pouco nervosos. Caso contrário, eles não poderiam criar o ambiente adequado para o paciente desfrutar da visita. Como você pode imaginar, nem todas as raças se encaixam nessa descrição. A seguir, são listados 5 das raças mais utilizadas nesses processos.

1. Labrador retriever

Essa raça tem grandes vantagens sobre as demais, pois percebe as emoções humanas com grande facilidade. Graças a isso, o labrador retriever é capaz de agir bem sozinho e lidar com situações difíceis. Além disso, ele tem um visual de “gigante nobre” que o faz parecer bonitinho e ajuda mais na interação com os pacientes.

Como manter a saúde vaginal da sua cadela?

2. Golden retriever

Tem um caráter muito semelhante ao do labrador retriever, por isso tem quase as mesmas vantagens. No entanto, sua aparência peluda incentiva ainda mais a interação com os pacientes. Por essa razão, geralmente é a raça de cão mais preferida para terapia.

Você sabe as diferenças entre labrador e golden retriever?

3. Pastor-alemão

O pastor-alemão se caracteriza por ser muito calmo e obediente, por isso é excelente para terapia. Com um bom treinamento, é capaz de permanecer passivo mesmo em situações estressantes. Além disso, a raça é conhecida por ser bastante amorosa, sociável, empática e carinhosa.

Uma das raças de cães mais agressivas.

4. King charles spaniel

Essa raça de cão tem uma das aparências mais fofinhas e peludas que existe, o que facilita muito a interação com os pacientes. Como se isso não bastasse, tem um caráter dócil, alegre, sociável e ativo, adequado para terapia. Naturalmente, precisa ser socializado desde cedo para evitar que problemas comportamentais apareçam.

Cavalier King Charles Spaniel: características

5. Poodle

Os poodles são uma das raças mais populares como animais de estimação, pois se caracterizam por serem inteligentes, terem pelagem colorida e serem bastante afetuosos. Na verdade, suas feições delicadas são usadas para dar terapia às crianças. Com sua aparência de ursinho de pelúcia e seu comportamento enérgico, os pequenos pacientes não resistem aos seus encantos.

Um dos cães ideais para quem sofre de alergias.

Cães de terapia vs. cães de assistência

Embora possam parecer, os cães responsáveis pela terapia não são os mesmos que são usados como assistência para pessoas com deficiência. Como já mencionado, os cães de terapia são responsáveis por interagir com os pacientes para produzir melhorias em sua qualidade de vida, enquanto os cães de assistência trabalham para facilitar a vida do tutor.

A diferença não se concentra apenas nas atividades que o cão realiza, mas também no treinamento a que é submetido. Portanto, um cão de terapia não pode realizar as mesmas ações que um cão de assistência e vice-versa. Embora ambos ajudem as pessoas em seu dia a dia, cada um precisa desenvolver habilidades específicas. É por isso que eles não podem ser trocados ou fazer os dois trabalhos.

Os cães possuem muitas habilidades latentes que podem ser de grande ajuda na vida diária dos humanos. Entre eles, a capacidade de dar terapias é uma das mais incríveis. Claro que essas habilidades não são necessárias para conquistar o carinho e o amor das pessoas, pois mesmo sem elas os cães já são muito apreciados e por isso são conhecidos como “o melhor amigo do homem”.

Pode interessar a você...
A história do cão cego salvo por seu cão guia
Meus Animais
Leia em Meus Animais
A história do cão cego salvo por seu cão guia

A história desse cão cego salvo é uma bela história, mas há também muitos casos que passam despercebidos e que escondem valiosos ensinamentos.



  • Oropesa Roblejo, P., García Wilson, I., Puente Saní, V., & Matute Gaínza, Y. (2009). Terapia asistida con animales como fuente de recurso en el tratamiento rehabilitador. Medisan, 13(6), 0-0.
  • Pedrosa, S., Aguado, D., Canfrán, S., Torres, J., & Miró, J. (2017). La terapia asistida con perros en el tratamiento de las personas con dolor crónico: una revisión sistemática. Revista de la Sociedad Española del Dolor, 24(1), 11-18.
  • Monleón, M. B., Martínez, V. C., & Andreu, J. L. (2017). Terapia asistida con perros en niños y adolescentes. Revista Española de, 73(2), 79-84.
  • Martínez, A., Matilla, M & Todó, M. (2010) Terapia asistida con perros. Facultad de Veterinaria de la Universidad Autónoma de Barcelona.