Razões pelas quais os gatos miam continuamente

janeiro 27, 2020
Por que os gatos miam continuamente? As razões mudam ao longo da vida desses animais. Recém-nascidos, os gatinhos miam para as suas mães quando estão com fome, frio ou medo. Uma vez que eles estejam crescidos, reservam o miado para as suas comunicações com as pessoas.

Nós, como donos de gatos, queremos entender as razões pelas quais os gatos miam continuamente. Sabe-se que, em comparação com a maioria dos mamíferos carnívoros, os gatos domésticos se destacam pelos seus hábitos de vocalização.

Tipos de vocalização dos gatos

De acordo com os especialistas, as vocalizações dos gatos – de diferentes índoles – ocorrem no contexto de quatro tipos de interações:

No caso da busca pela interação sexual, a vocalização, mais que um miado, é um uivo. Tanto as fêmeas no cio quanto os machos que as rodeiam podem vocalizar muito intensamente nessas circunstâncias.

Curiosidades do miado

Gato miando

O miado é a vocalização predileta para as interações gato-humano; sabe-se que o miado raramente é empregado nas interações entre os gatos. Além disso, sabe-se que, ainda que os gatos não-domesticados miem quando são muito jovens, eles raramente vão fazê-lo na idade adulta.

O miado é reconhecido como o chamado que procura provocar uma reação nos humanos.

Os gatos podem expressar emoções amistosas, medo e agressão por meio da vocalização, do ronronar e da postura corporal. Alguns especialistas propõem que o processo de domesticação foi o responsável por provocar a preferência pelo uso dos miados para a interação gato-humano.

Na hora de miar, a raça importa

Certamente, a quantidade de miados varia de acordo com a raça e até mesmo a personalidade do seu gato. As raças orientais, especialmente os gatos siameses, são conhecidos como grandes “conversadores”. Por isso, qualquer um que não goste de miados provavelmente deveria se afastar dessas raças.

Por que os gatos miam continuamente?

Os gatos miam por muitas razões. Se o miado for excessivo, considere os seguintes motivos:

  • Doença: é justificável começar procurando descartar qualquer doença, recorrendo a uma consulta veterinária. Inúmeras doenças podem fazer com que um gato tenha fome, sede ou dor, aspectos que podem provocar miados excessivos.
  • Chamado de atenção: apesar da sua fama de independência, os gatos não gostam da solidão. Os gatos também miam para pedir comida.
  • Cumprimento. Trata-se simplesmente de estar feliz em ver você. Esse é um hábito difícil de quebrar.
  • Estresse. Os gatos que experienciam o estresse frequentemente ficam mais vocais. Tente descobrir o que está estressando o seu bichinho e ajude-o a se adaptar a essa mudança.
Razões pelas quais os gatos miam continuamente

Como desencorajar o miado excessivo do seu gato

Se você quiser reduzir os miados usados para chamar a sua atenção, pare de responder quando eles acontecem. Dessa forma, dê atenção para o gato somente quando ele ficar calado. Além disso, se afaste no momento em que ele começar a miar de novo.

Mas atenção! Não se trata de ignorar o seu animal de estimação. Diariamente, você deve passar um tempo de qualidade com ele. Nunca se esqueça de que um bichinho cansado é um bichinho mais tranquilo.

Se ele miar por comida, não o alimente quando ele chorar. Pelo contrário, espere até que ele se cale. Se isso não funcionar, arrume um alimentador automático que abre em horários estabelecidos.

Leve em conta que, às vezes, os gatos miam continuamente por uma boa razão: estão presos em um recinto, estão com sede ou dor ou não alcançam a sua caixinha de areia. Assim, sempre verifique se existe um problema que precisa ser solucionado.

Coisas que você não deve fazer com o objetivo de corrigir o seu gato

Não o ignore sem se certificar de que não há nenhum problema. Não castigue o seu gato por miar, pois, sem dúvida, os castigos só farão com que ele desconfie de você.

Não ceda, afinal, para conseguir o que você quer, você deve ter paciência. Se o seu gato está acostumado a conseguir o que quer miando, ele vai miar mais e mais forte quando você não responder.

  • Nicastro, N., & Owren, M. J. (2003). Classification of domestic cat (Felis catus) vocalizations by naive and experienced human listeners. Journal of Comparative Psychology, 117(1), 44.