Relações entre humanos e macacos no cinema: Planeta dos Macacos

agosto 18, 2019
O filme 'Planeta dos Macacos' faz uma reflexão óbvia: o ser humano é capaz de viver na natureza?

Muito antes de Star Wars, quando a Marvel e a DC estavam limitadas à venda de histórias em quadrinhos e personagens como o Batman só apareciam em séries de TV de muito sucesso, mas de qualidade duvidosa, a saga de Planeta dos Macacos preparou o caminho para o merchandising de filmes em larga escala.

Lançado em 1968, o primeiro dos filmes desta franquia marcou um antes e um depois na história da cultura popular contemporânea. Até hoje, já são nove sequências, uma série de TV em live-action e outra animada.

O livro que inspirou Planeta dos Macacos

Dirigido por Franklin J. Shaffner e com Charlton Heston como protagonista, o filme permitiu que o livro no qual se baseava se tornasse famoso em todo o mundo.

La planète des singes, de Pierre Boulle, foi publicado cinco anos antes da estreia do longa. Gerou muito interesse na França, e também no Reino Unido após sua tradução para o inglês.

Este livro estava longe de se tornar um best-seller mundial. Até mesmo seu autor o considerou uma obra pequena em sua bibliografia. No entanto, tudo isso entrou para a história como simples notas anedóticas.

Pôster de Planeta dos Macacos

Planeta dos Macacos mantém sua validade intacta. Seu enredo não deixou ninguém indiferente. Há aqueles que ousaram rotular esta saga como o reflexo da “teoria da involução”.

A saga original

No primeiro filme, o coronel astronauta George Taylor (Heston) acaba preso junto com a sua tripulação em um planeta desconhecido. A princípio, eles assumem que é um mundo inabitável, no qual a presença de seres vivos é impossível.

Tudo está indo bem até os macacos descobrirem o seu erro. Não só existe vida, mas também há seres humanos. No entanto, eles vivem como animais selvagens sob o domínio dos macacos, a raça dominante.

O protagonista da história, sem perceber, é refletido no comportamento despótico de seus captores.

O filme deixa várias perguntas no ar. O ser humano realmente sabe viver em harmonia com a natureza? A resposta “natural” ao desconhecido ou ao que não é compreendido permanece sendo o medo?

Planeta dos macacos: a saga original

De volta ao Planeta dos Macacos

A segunda parte foi lançada em 1970. Após o término de Planeta dos Macacos, ficou claro que a história nunca havia saído da Terra. Os erros que condenavam a humanidade começam a se repetir sistematicamente. Além disso, a nova raça dominante parece destinada a repetir os mesmo erros.

Fuga do Planeta dos Macacos

Lançado em 1971, mantém o enredo dos filmes anteriores, embora em termos de trama, represente um tipo de recomeço. A ação, que vinha se desenvolvendo no ano de 3978, agora acontece nos anos 1970, após uma viagem no tempo reversa.

Nesta trama, os seres humanos são os “animais superiores” e os macacos que chegam do futuro devem mostrar que não são uma raça inferior.

A Conquista do Planeta dos Macacos

Este filme estreou em 1972. Ele oferece uma visão arrepiante do tratamento que os seres humanos podem dar aos animais. A trama se desenvolve no início dos anos 90.

Na ficção, durante os anos anteriores, um vírus matou a população de cães e gatos. Órfãos de animais de estimação, os macacos são obrigados a tomar o lugar deixado pelos cães e gatos domésticos.

Aproveitando a natureza desta espécie, macacos, gorilas e chimpanzés acabam se transformando em escravos. Isso ocorre até, inevitavelmente, os oprimidos se rebelarem contra seus opressores. É aí que o confronto se torna inevitável.

Batalha do Planeta dos Macacos

Capítulo final da saga original. Depois de superar seus medos internos, mas não sem dificuldade, os macacos e os humanos são forçados a viver em harmonia. Caso contrário, eles seriam destinados a repetir os mesmos erros eternamente.

A saga no século 21

Em 2001, estreou o que pretendia ser um remake do filme original. Dirigido por Tim Burton, o filme gerou grandes expectativas que acabaram não se cumprindo. Uma década depois, foi lançada uma nova trilogia de filmes, amplamente elogiada pelo público e pela crítica.

As questões que permaneceram no ar desde o primeiro filme, em 1968, ainda não obtiveram respostas. Será que a saga terá algum tipo de continuação?