O que o rosnado do cachorro significa?

março 31, 2020
Quando os cães rosnam, eles estão tentando se comunicar com a gente. Você sabe como entendê-los?

Hoje, sabemos que os cães são animais muito mais complexos do que pensávamos no passado. Seu comportamento é cada vez mais estudado para que possamos entender o que eles querem nos transmitir. O rosnado do cachorro é apenas uma pequena parte do conjunto de formas pelas quais ele se comunica.

O rosnado é considerado uma forma de agressão e tendemos a recriminá-lo. É muito provável que isso piore a situação, porque não estamos ouvindo o que o animal quer nos dizer. Por fim, acabamos com um cão que morde, cujo fim geralmente é a eutanásia, o abandono, a estigmatização da raça e da imagem geral desses animais.

O rosnado do cachorro significa agressividade?

O rosnado do cachorro não significa necessariamente agressividade. Ele faz parte do conjunto de comportamentos que um cão pode apresentar para comunicar alguma coisa. Dependendo da situação, da educação do cão, da personalidade e dos problemas emocionais e de suas experiências passadas, um rosnado pode envolver:

  • Medo
  • Desconforto
  • Defesa pessoal ou de um membro do grupo
  • Agressão
  • Brincadeira
  • Defesa de recursos
  • Ameaça

Como vemos, o rosnado do cachorro pode até ser positivo. Muitos cães podem rosnar em situações de brincadeira, quando estão com outros cães ou também com seus donos. Esse rosnado não representa ameaça, pois está ligado aos comportamentos positivos da brincadeira.

Defesa de recursos

Uma das razões pelas quais muitos cães rosnam é a defesa de recursos, como alimentos, brinquedos ou outros objetos que são do seu interesse. Diante desse conflito, alguns donos brigam com o cachorro e tiram o que ele está protegendo, pois acreditam que o animal está mostrando o seu domínio.

Isso não é verdade. A única coisa que o cão sente é que o seu dono está tirando algo que é muito valioso para ele, de modo que o vínculo entre eles se deteriora. Além disso, devido à frustração, o cão pode morder eventualmente.

A melhor maneira de agir nessas situações é fazer o cão perder o interesse. Por exemplo, se o cachorro valoriza muito um brinquedo, não devemos retirá-lo. Pelo contrário, devemos lhe dar muitos brinquedos parecidos, porque, tendo tantos, eles perderão o valor.

O rosnado do cachorro significa agressividade?

Um cão que está rosnando pode morder?

Sim, qualquer cachorro pode morder. O rosnado nem sempre é o prelúdio da mordida. Muitas vezes o cão rosna e decide ir embora. Essa também é uma forma de comunicação.

Por outro lado, em alguns casos, se o estímulo causador não cessar, o cão pode morder após o rosnado. No entanto, antes de rosnar, ele vai mostrar, através de outros gestos corporais, que algo o está incomodando.

Portanto, é essencial saber como os cães se comunicam. Infelizmente, alguns cães deixaram de usar comportamentos prévios porque perceberam que eles não têm efeito sobre nós, e por isso mordem diretamente.

Um cão que está rosnando pode morder?

Como evitar o rosnado do cachorro?

Não podemos achar que um cachorro nunca vai rosnar; seria como imaginar que ele nunca vai latir. Ambos são uma forma natural de comunicação, e é normal e saudável que às vezes o façam. No entanto, como sempre, o excesso pode não ser normal.

A ansiedade, o estresse, a má gestão da frustração e outros problemas que os cães podem sofrer são estados que podem promover comportamentos como os rosnados. Por esse motivo, não devemos tentar corrigir os rosnados, mas procurar saber por que o animal de estimação está se comportando assim.

  • Arias, M. (2009). Caso clínico de agresividad canina por conflicto social dirigida a miembros de la familia. Clínica veterinaria de pequeños animales: revista oficial de AVEPA, Asociación Veterinaria Española de Especialistas en Pequeños Animales, 29(4), 0217-226.
  • Damián, J. P., Belino, M., Rijo, R., & Ruiz, P. Etología clínica canina, agresividad y el cimarrón uruguayo. al perro cimarrón uruguayo, 37.
  • Elgier, Á. M., Jakovcevic, A., Mustaca, A. E., Bentosela, M., & Barrera, G. (2009). Problemas de comportamiento en los perros domésticos (canis familiaris): aportes de la psicología del aprendizaje. Revista de Psicología, 18(2), ág-123.
  • Rugaas, T., & Ramos, B. P. (2005). El lenguaje de los perros: las señales de calma. Kns ediciones.