Sapo-anão-africano: cuidados e características

O sapo-anão-africano é um dos melhores anfíbios para começar no mundo dos animais exóticos, pois é uma espécie de fácil cuidado e grande resistência.
Sapo-anão-africano: cuidados e características

Última atualização: 14 Dezembro, 2020

Você já sonhou em ter algo mais exótico do que peixes em um aquário, mas com um cuidado parecido? Se a resposta for afirmativa, o sapo-anão-africano é o melhor animal de estimação possível para você.

Hoje vamos apresentar um anfíbio com características e cuidados atípicos, pois, conforme já adiantamos, esse sapo não sai da água em nenhum momento de sua vida. Contudo, por mais aquático que seja, esse anuro não é um bom companheiro para aquários com peixes. Se você quiser saber como cuidar desse animal simpático e resistente, continue lendo.

Considerações iniciais

O sapo-anão-africano (gênero Hymenochirus) é um anfíbio anuro da família Pipidae, um grupo de rãs aquáticas que habitam a região tropical da América do Sul e da África Subsaariana. Estamos diante de animais muito pequenos, de aparência graciosa e cores discretas.

É comum que o sapo-anão-africano seja confundido com a rã-de-unhas-africana, ou seja, do gênero Xenopus. Isso se deve principalmente ao fato de ambos os animais pertencerem à família Pipidae e serem estritamente aquáticos. Ainda assim, eles têm pouco mais em comum além de sua relação taxonômica e sua vida permanentemente embaixo d’água.

As espécies mais famosas do gênero Xenopus (Xenopus laevis) podem atingir até 12 centímetros de comprimento, enquanto o sapo-anão-africano mal ultrapassa os quatro centímetros. Além disso, de acordo com agências governamentais, a espécie Xenopus laevis é potencialmente invasora e, portanto, a sua posse é proibida.

Por causa dessa importante consideração, é essencial que todos os donos ​​sejam cautelosos e perguntem antes sobre o animal que estão comprando. Lembre-se: o gênero que nos interessa hoje é o Hymenochirus. Em geral, podem ser encontradas à venda até quatro espécies desse grupo:

  • Hymenochirus boettgeri.
  • Hymenochirus boulengeri.
  • Hymenochirus curtipes.
  • Hymenochirus feae.
Sapo-anão-africano: cuidados e características

Cuidados do sapo-anão-africano

Uma vez descritos os possíveis problemas que um potencial comprador pode encontrar, é hora de mostrar os cuidados em cativeiro dessa curiosa espécie. Sem dúvida, estamos diante de um dos animais exóticos mais fáceis de cuidar em todo o âmbito da terrariofilia.

Para o aquário – devido ao pequeno tamanho desse sapo – um tanque com 30 litros de volume será mais do que suficiente para alguns exemplares. Sem dúvida, esse recipiente deve ter vegetação densa e abundantes esconderijos e plantas aquáticas. O enriquecimento ambiental é essencial para os animais exóticos.

O cascalho do aquário deve ser de tamanho grande, nunca em forma de areia. Isso vai impedir que o cascalho seja engolido pelo sapo, o que poderia causar problemas estomacais.

Por se tratar de uma espécie tropical, o ideal é que a temperatura da água permaneça em torno de 25 graus Celsius durante o ano todo. Isso é feito por meio de um aquecedor, mas não se preocupe: essa ferramenta é muito barata, eficaz e pode ser encontrada em qualquer pet shop.

Além disso, é aconselhável que o aquário tenha um filtro, pois o sapo-anão-africano gera resíduos – da mesma forma que qualquer peixe. Contudo, é aconselhável que o filtro não produza correntes muito fortes, pois o animal pode ser arrastado e sofrer estresse contínuo.

Esse sapo é estritamente carnívoro e, por isso, devem ser oferecidas presas de pequeno porte, que podem estar vivas ou mortas. Larvas de mosquitos, moscas, micro grilos, pequenos crustáceos ou vermes são sempre boas opções para a espécie. Porém, esses animais nunca devem ser alimentados com comida de peixe.

A importância da água

Os anfíbios trocam gases e mantêm a sua homeostase interna através da pele e, por essa razão, o desenvolvimento adequado da pele é essencial. Dessa forma, a água do aquário do sapo-anão-africano deve ter pH neutro e, acima de tudo, estar isenta de cloro. Esse composto químico pode danificar a pele do animal.

Existem substâncias desclorificantes à venda em qualquer loja especializada em aquarismo.

Por fim, é preciso ressaltar que não é bom manter esses sapos juntamente com peixes no aquário. O sapo pode tentar comer os peixes menores ou vice-versa. Além disso, as substâncias residuais dos peixes podem ser seriamente prejudiciais para a saúde desses anfíbios.

Sapo-anão-africano: cuidados e características

Um primeiro animal de estimação ideal

Conforme vimos nessas linhas, o sapo-anão-africano é uma alternativa muito interessante aos peixes convencionais. Além disso, também produz sons característicos debaixo d’água em forma de “ultrassom” que não passam despercebidos por ninguém.

Sem dúvida, devido à sua resistência e fácil manutenção, esse pequeno anfíbio é uma das melhores opções para se iniciar no mundo dos animais exóticos.

Pode interessar a você...
O sapo mineiro: um anfíbio venenoso
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
O sapo mineiro: um anfíbio venenoso

O sapo mineiro é uma espécie de anfíbio pertencente à famosa família Dendrobatidae, que tem seu veneno utilizado em pontas de flechas.