Como funciona o sistema imunológico dos cães?

dezembro 5, 2019
O sistema imunológico dos cães trabalha desde o nascimento e se desenvolve à medida que o animal é exposto a patógenos.

Os animais têm um mecanismo interno de defesa contra patógenos externos, como vírus, bactérias, protozoários, parasitas… O sistema imunológico dos cães funciona como o nosso e, quando há uma agressão, ele responde impedindo que o patógeno se espalhe pelo corpo.

Os primeiros anticorpos

Quando os filhotes nascem, eles recebem seus primeiros anticorpos do colostro, o primeiro leite da mãe. Esses anticorpos protegerão o filhote nas primeiras semanas de vida enquanto o sistema imunológico se desenvolve.

O que forma o sistema imunológico dos cães?

O sistema imunológico é constituído por órgãos, tecidos, células e pequenas moléculas que atuam em conjunto contra agentes infecciosos.

Os gânglios linfáticos e a linfa

A linfa é semelhante ao plasma sanguíneo formado para coletar o excesso de fluido intersticial, proteínas, gorduras e células brancas do sangue. A linfa circula pelos ductos linfáticos.

Os linfonodos (submandibular, pré-escapular, axilar, inguinal e poplítea em cães) são responsáveis ​​por purificá-la para a recirculação nas veias.

O baço

O baço é um órgão que intervém diretamente no sistema imunológico do animal: é responsável por filtrar o sangue, destrói as antigas células sanguíneas e produz novas células.

As células imunológicas

Existem diferentes tipos de células imunológicas. Todas têm uma origem comum, mas cada tipo se especializou em uma tarefa específica. A ação conjunta de todas essas células é capaz de combater uma doença.

  • Linfócitos. Os linfócitos produzem anticorpos, pequenas proteínas capazes de se ligar a um antígeno, ou seja, ao agente infeccioso.
  • Macrófagos. Essas células fagocitam, isto é, ingerem o micro-organismo invasor e, uma vez em seu interior, o destroem. Os macrófagos, além disso, são responsáveis ​​pela produção de substâncias que atraem outras células do sistema imunológico para tratar a infecção.
  • Células dendríticas. Elas são semelhantes aos macrófagos, com muitas ramificações; elas também fagocitam o micro-organismo e expõem uma parte dele em sua superfície para que outras células imunológicas o destruam.
  • Neutrófilos. São as primeiras células a aparecer no local da infecção e são muito abundantes.
  • Basófilos e eosinófilos. Essas células participam dos processos inflamatórios, alérgicos e do ataque a parasitas. A sua porcentagem é muito pequena.
Sistema imunológico

Como o sistema imunológico dos cães age contra um ataque?

O sistema imunológico dos cães, assim como o de outros mamíferos, se desenvolve à medida que o organismo é exposto a antígenos.

Diante de um patógeno, há uma série de barreiras que impedem a entrada e a reprodução do mesmo. Essas barreiras são:

  • Barreiras primárias: a pele e as secreções das mucosas.
  • Barreiras secundárias: estas são as células que formam o nosso sistema imunológico e impedem que o patógeno se espalhe pelo corpo depois de ultrapassar as barreiras primárias.

Nos primeiros meses de vida, o filhote tem imunidade inata, um sistema imunológico que responde imediatamente à invasão de micro-organismos patogênicos, mas que não carrega aprendizado nem guarda memória.

As células que compõem essa imunidade inicial reconhecem uma série de antígenos e respondem de maneira mais genérica. À medida que o filhote cresce e é exposto a novos antígenos, desenvolve uma imunidade adquirida.

O sistema imunológico retém memória dos encontros e fica mais eficaz contra futuras invasões do mesmo patógeno.

Cachorro tomando vacina

As vacinas seguem esse princípio, pois com elas podemos “ensinar” o sistema imunológico a combater certas doenças, apresentando o patógeno enfraquecido às células imunológicas ou a algumas de suas partes. Essa apresentação é suficiente para provocar uma resposta.

As vacinas são um método seguro de imunizar os cães contra doenças graves, como parvovirose, hepatite, cinomose ou leishmaniose.

Portanto, é melhor começar quando são filhotes e aplicar todas as vacinas e doses subsequentes para aumentar a eficácia e fortalecer o sistema imunológico do seu cão.

  • Universidad de Granada. Curso de inmunología general.
  • Peter J.  Delves, MSD manuals. Inmunidad innata.
  • Medineplus. Respuesta inmunitario