A cinomose canina pode ser contraída mesmo após o cão ser vacinado?

março 29, 2019
Esta doença viral pode ocorrer em cães de qualquer idade, embora os filhotes e cães mais velhos estejam mais propensos devido à fraqueza do sistema imunológico.

A cinomose canina é uma das doenças mais comuns e temidas entre os donos de animais de estimação, por essa razão, insistimos em vaciná-los. Entretanto, é possível que seu cão  contraia essa doença mesmo assim. Por isso, descubra nesse artigo quais são os perigos da cinomose.

O que é a cinomose canina?

A cinomose é uma doença viral que pode afetar cães de qualquer idade.  No entanto, os filhotes são os mais vulneráveis a sofrer com ela, pois seu sistema imunológico ainda está em formação.

Além disso, os cães mais velhos também estão expostos a essa doença, uma vez que, ao longo dos anos, seu sistema imunológico vai perdendo a força.

O perigo desta doença é a facilidade de contágio. Portanto, não importa o quão protegido é o seu cão, se houver animais por perto, ele estará exposto a contrair doenças.

Além disso, a cinomose não afeta apenas os cães, como também outras espécies. Por exemplo, o furão ou o guaxinim podem ser infectados.

Quanto aos sintomas de cinomose, podemos encontrar problemas respiratórios, como:

  • secreção nasal verde
  • febre
  • perda de apetite
  • fraqueza
  • desidratação
  • diarreia
  • vômitos ou tosse
  • Em seu estado mais avançado, podemos ver convulsões ou tiques nervosos
Cachorro deitado em veludo vermelho

Se você quiser saber se seu cão tem cinomose, um sinal quase infalível é checar as almofadas nas patas. Estas se tornam mais duras quando o cão é afetado por esta doença, porque sua pele fica mais espessa, talvez em uma tentativa de se proteger.

Recomendamos também a leitura: Método clicker de adestramento, o que é e como implementá-lo

Os cães podem contrair cinomose depois de serem vacinados?

Nós podemos fazer uma comparação com o sarampo, que todos nós contraímos quando crianças, e que também conta com uma vacina para preveni-lo.

Agora, uma pessoa pode ter sarampo mesmo após ter sido vacinado? Sim, sabemos que é possível contrair uma doença mesmo depois de vacinados.

A mesma lógica se aplica aos cães. Eles podem ter cinomose mesmo se forem vacinados contra ela. Dessa forma, fica claro que  que a vacina é uma excelente maneira de prevenir essa doença. Entretanto é preciso saber que ela não elimina 100% o risco de infecção.

Por que vacinar seu cão se mesmo assim ele pode adoecer?

Muitos cães vacinados ainda são contagiados com a cinomose por uma razão apenas: seus donos não sabem que é preciso renovar a dose da vacina anualmente.

Isso porque há muitos proprietários que não têm informações completas e acreditam que a vacina contra a cinomose é feita uma ou duas vezes e que isso é suficiente. Além disso, ainda há o mito de que a vacina contra a cinomose imunizará seu cachorro por três anos.

Por outro lado, há aqueles que acreditam que uma vacina na vida é mais que suficiente para o animal ser protegido, o que nós já sabemos que não é verdade.

Recomendamos também a leitura: Os gatos percebem a energia das pessoas?

Quais situações facilitam o contágio da cinomose canina?

O cão vacinado também pode ter cinomose em decorrência de uma fraqueza no sistema imunológico, que pode ser causada por outras doenças e condições.

Além disso, seu sistema imunológico pode estar enfraquecido devido à depressão ou até mesmo ao estresse.

Quando ele não se sente bem, suas defesas diminuem e ele se torna um foco de infecções, cinomose e outras doenças. Isso é especialmente perigoso se houver outros animais de estimação em casa ou nas proximidades com os quais ele possa ter contato.

Outro problema é que às vezes acreditamos que uma vacina imuniza contra tudo. Por isso pensamos que, como o nosso cão é vacinado contra a cinomose, não há problema se outro animal de estimação em casa o tiver, ou se tiver contato com um animal infectado. É preciso lembrar que a vacina protege, mas não o torna invencível.

Conheça o seu papel como proprietário responsável

Evite qualquer situação que possa colocar em risco o seu animal de estimação e mantenha seu cronograma de vacinação atualizado.

Observe os movimentos e mudanças no corpo ou no humor do seu cão, e leve-o ao veterinário diante do menor sinal de cinomose.

Lembre-se de que esta doença é geralmente fatal. Portanto, a sua ação rápida para dar a ajuda necessária e tratamento para o seu cão será vital, podendo até mesmo salvar sua vida.