Qual deve ser o tamanho do aquário para um peixe-dourado?

outubro 29, 2019
Qual é o tamanho do aquário ideal para o peixe-dourado? Essa é uma pergunta que pode receber várias respostas muito diferentes. Nesse artigo, falaremos sobre os fatores mais importantes a serem levados em conta.

O peixe-dourado (Carassius auratus) é uma espécie que sofre mais do que a maioria. Isso se deve à infeliz disseminação de conceitos errôneos e à pouca informação sobre seus cuidados. Hoje, falaremos especificamente sobre o tamanho do aquário ideal para o peixe-dourado.

Os peixes-dourados são criaturas altamente sociáveis, com uma personalidade forte, e geralmente exibem comportamentos interessantes.

Como estimar o tamanho do aquário para um peixe-dourado?

É comum ouvirmos que 100 litros de água é o volume mínimo para um peixe-dourado. Além disso, quantidades variadas de litros de água devem ser adicionadas para cada peixe adicional.

No entanto, esse volume não é suficiente para um único peixe e as dimensões do tanque serão inadequadas. O tamanho médio de um tanque de 100 litros é de aproximadamente 90 x 35 x 30 centímetros.

Na verdade, a regra ‘seis vezes o comprimento’ é apropriada para os peixes-dourados. Essa proporção fornece um volume adequado de água.

É importante notar que o tamanho a ser levado em consideração é o máximo que o peixe adulto pode atingir. Não se trata do tamanho do peixe jovem no dia em que o mesmo é comprado.

Espécies de peixe-dourado

Diferenças entre o peixe-dourado comum e o peixe-dourado bailarina

Aquários de tamanhos diferentes costumam ser recomendados para peixes-dourados comuns ou de cauda única e para os peixes-dourados bailarina.

O peixe-dourado comum tem uma única barbatana caudal (cauda) e uma forma corporal alongada. É o estilo ‘tradicional’ do peixe-dourado.

Os peixes-dourados bailarina são de uma linhagem criada para desenvolver formas corporais específicas e geralmente têm uma barbatana caudal dupla.

Eles também se distinguem por uma variedade de características físicas que incluem o crescimento da cabeça e dos olhos grandes. É provável que apresentem formas corporais muito mais arredondadas e compactas.

Tamanho do peixe-dourado quando adulto

Um peixe-dourado totalmente desenvolvido pode facilmente atingir 30 centímetros de comprimento e 30 cm de largura, incluindo barbatanas e cauda. Os peixes adultos podem ter um corpo do tamanho de uma toranja e pesam quase meio quilo.

Variedades com barbatanas mais curtas podem ter um menor comprimento total, mas ainda terão corpos grandes e volumosos. Com essa informação, já podemos ver que um aquário de 100 litros de 90 x 35 x 30 centímetros mal permitirá que um adulto se vire.

O peixe-dourado comum pode atingir tamanhos maiores: pelo menos 30 centímetros de comprimento, principalmente para as ‘versões’ com barbatanas longas, como os cometas.

Tamanho do peixe-dourado quando adulto

Por que o tamanho do aquário é tão importante para o peixe-dourado?

Vamos dar uma olhada em alguns dos pontos a serem considerados ao definir o tamanho do aquário para o peixe-dourado:

Habilidades de natação

O peixe-dourado de barbatana dupla tende a ter suas habilidades de natação comprometidas. Devido às modificações genéticas sofridas, ele possui barbatanas longas, corpo arredondado, crescimento desproporcional da cabeça, visão deficiente – aqueles olhos esbugalhados! – e um corpo compacto que não lhe permite nadar adequadamente.

Por não serem muito ágeis, eles precisam de um aquário com bastante espaço para manobrar. Mesmo que não sejam nadadores rápidos, eles precisam de muito espaço para nadar. O peixe-dourado comum é mais ágil e mais rápido.

Área de superfície

A superfície da água é onde as trocas gasosas ocorrem. Assim, quanto maior a área da superfície, mais facilmente o oxigênio entra na água e o dióxido de carbono sai.

Isso é importante para os peixes-dourados, pois eles precisam de um bom nível de oxigênio na água, e uma área maior será mais benéfica.

Muitos peixes-dourados têm problemas respiratórios, pois suas brânquias não são muito desenvolvidas. Portanto, é muito importante que eles tenham um tanque bem oxigenado.

Carga biológica

Em termos gerais, quanto maior o peixe, mais resíduo será produzido. Os resíduos excretados pelos peixes são conhecidos como ‘carga biológica’. Um peixe com uma alta carga biológica precisará de uma grande quantidade de água e de filtros grandes para diluir os resíduos.

Expectativa de vida

O peixe-dourado comum ou de cauda única pode facilmente viver mais de 25 anos. Por outro lado, variedades de cauda dupla podem viver entre 10 a 15 anos.

Passar duas décadas em um ambiente pequeno demais, e no qual não há nada para interagir, não será uma experiência agradável.

Por esse motivo, o tanque deve ser grande o suficiente para fornecer enriquecimento ambiental, coisas para fazer – decoração para brincar, plantas para nadar e comer – e mantê-los interessados ​​por muitos anos.

Qual é o tamanho do aquário ideal para o peixe-dourado?

Um total de 120 x 50 x 50 centímetros deve ser o mínimo para as variedades de cauda dupla, enquanto para os comuns os tanques não devem ser menores do que 200 x 60 x 60 centímetros.

Idealmente, o peixe-dourado comum deve ser mantido em grandes lagoas ao ar livre, e não em aquários.

Isso lhes dará um volume razoável de água. Eles terão espaço para manobrar adequadamente, espaço para a decoração, podem ter companheiros e exibir uma ampla gama de comportamentos. Dessa forma, eles não ficarão estressados, apertados ou sozinhos.

Lembre-se: o peixe-dourado crescerá rapidamente se você o mantiver em condições adequadas.

  • Kestemont, P. (1995). Influence of feed supply, temperature and body size on the growth of goldfish Carassius auratus larvae. Aquaculture, 136(3-4), 341-349.
  • Marchant, T. A., & Peter, R. E. (1986). Seasonal variations in body growth rates and circulating levels of growth hormone in the goldfish, Carassius auratus. Journal of Experimental Zoology, 237(2), 231–239. doi:10.1002/jez.1402370209
  • Emmens, C. W. (2013). Keeping and breeding aquarium fishes. Academic Press.
  • Brett, J.R. (1979) Environmental factors and growth. In: Fish Physiology, Vol. VIII, Bioenergetics and Growth. W.S. Hoar, D.J. Randall, and J.R. Brett, eds. New York, Academic Press. pp. 599-675.