Tartaruga-grega: características, comportamento e habitat

junho 27, 2019
Aprenda a diferenciar uma tartaruga-grega de uma tartaruga mediterrânea, embora ambas se pareçam fisicamente uma com a outra.

A tartaruga-grega (Testudo graeca) é uma das poucas espécies existentes no gênero Testudo e uma das mais conhecidas tartarugas terrestres. De tamanho pequeno, esta tartaruga está ligada ao Mediterrâneo e habita os três continentes que a rodeiam.

Características da tartaruga-grega

Seu nome científico significa tartaruga-grega, já que sua concha lembrava a dos mosaicos gregos.

Como outras tartarugas, a tartaruga-grega é uma espécie com vida longa que pode atingir sessenta anos de idade.

Devido à diversidade de subespécies e idades, é difícil lhe dar um peso médio: na Bulgária, por exemplo, há exemplares com sete quilos, enquanto em outros locais muitas vezes elas não chegam a 600 gramas.

Sua carapaça é abobadada, com tons esverdeados puxando o preto sobre um fundo amarelo. A placa na cauda é indivisa, o que torna fácil identificá-la se você conhecer esse detalhe.

Características da tartaruga-grega

Comportamento da tartaruga-grega

Assim como outras tartarugas terrestres, elas permanecem enterradas durante a hibernação, à qual se segue um cortejo bastante insistente vindo do macho.

Elas atingem a maturidade sexual por volta dos 10 anos de idade, e o sexo é determinado pela temperatura em que os ovos são incubados.

Deve-se notar que, assim como outras espécies, os filhotes de tartaruga chocam o ovo graças a um tubérculo córneo temporário nas narinas, como um bico. Ele desaparece depois de alguns dias, pois esse é o seu único objetivo.

Como muitos outros quelônios, eles provaram possuir a inteligência dos répteis mais espertos, e ficou provado que podem reconhecer as pessoas.

Eles também têm uma excelente orientação e podem seguir o olhar de outros indivíduos, uma característica que, antigamente, pensava-se que nenhuma espécie animal poderia exercer.

Diferenças entre a tartaruga-grega e a mediterrânea

Às vezes é difícil diferenciar esta tartaruga da tartaruga mediterrânea, mas você deve saber que, no caso das espécies mediterrâneas, elas têm uma tampa corneal na cauda e não apresentam os tubérculos córneos das tartarugas-gregas, localizados nas coxas .

Normalmente, a tartaruga do Mediterrâneo tem a placa supracaudal dividida em duas, embora existam espécimes sem essa partição. Outra diferença é a primeira placa vertebral, que é maior do que a segunda nas espécies do Mediterrâneo, e menor na grega.

Diferenças entre as tartarugas

Habitat

A tartaruga-grega pode ser encontrada na Itália, Grécia, Espanha, Turquia, na costa do Mar Negro e em algumas ilhas do Mediterrâneo.

Na Ásia, aparece no Irã, na Síria e em Israel, enquanto na África ela pode ser encontrada em grande parte da costa norte do continente, como no Marrocos ou na Argélia.

Nestes países podemos encontrar a tartaruga em paisagens áridas, onde predominam os arbustos de pequeno tamanho. Na Espanha, a subespécie Testudo graeca graeca pode ser encontrada em Múrcia e Doñana, embora exista uma pequena população residual em Maiorca.

Durante anos não se sabia como a tartaruga chegava à Península Ibérica, e pensava-se até que a espécie havia sido introduzida pelo homem. No entanto, a chegada à Espanha ocorreu há 20 mil anos, uma idade anterior à expansão marítima dos povos do Mediterrâneo.

A espécie está em perigo de extinção na Península Ibérica, principalmente porque o ser humano a adquire como animal de estimação. Devemos lembrar que a Espanha é considerada uma das portas para o tráfico ilegal de animais na Europa.

Pérez, I., Giménez, A., Anadón, J. D., Martínez, M., & Selma, M. Á. E. (2002). Patrones de actividad estacional y diaria de la tortuga mora (Testudo graeca L. 1758 ssp. graeca) en el sureste de la Península Ibérica. In Anales de Biología (No. 24, pp. 65-75).