'Toadzilla' descoberto na Austrália pode ser o maior do mundo

Embora a idade de Toadzilla seja desconhecida, estima-se que ele possa ter cerca de 15 anos, pois só assim o tamanho enorme de seu corpo seria explicado.
'Toadzilla' descoberto na Austrália pode ser o maior do mundo
Cesar Paul Gonzalez Gonzalez

Escrito e verificado por o biólogo Cesar Paul Gonzalez Gonzalez.

Última atualização: 31 março, 2023

Os sapos são um dos tipos de anfíbios mais conhecidos do mundo, pois sua pele com verrugas e sua vocalização típica não passam facilmente despercebidas. Embora à primeira vista sua aparência não seja totalmente agradável, são animais essenciais no meio ambiente que possuem uma história natural muito interessante. Além disso, existem espécies impressionantes de grande porte que chegam a pesar 2,5 quilos.

O sapo-cururu (Rhinella marina) é um dos poucos anfíbios capazes de atingir medidas gigantescas. De fato, o maior espécime da espécie, que foi apelidado de “Toadzilla” devido ao seu tamanho e aparência física, foi encontrado recentemente na Austrália. Continue a ler e descubra mais sobre este exemplar tão particular.

Como são os sapos-cururus?

Os sapos-cururus são anfíbios que têm uma coloração verde-oliva escura em todo o corpo, bem como várias verrugas marrons que realçam sua aparência de sapo. Além disso, possui duas grandes glândulas parótidas que secretam veneno e são percebidas como caroços atrás dos olhos.

Normalmente, esta espécie mede em média entre 10 e 15 centímetros de comprimento, com um peso aproximado de 400 gramas. No entanto, quando os espécimes vivem o suficiente e têm grandes recursos alimentares, podem ultrapassar os 25 centímetros de comprimento e pesar mais de 2,5 quilos.

De acordo com a página oficial do Guinness World Records, o maior espécime conhecido da espécie pesava 2,65 quilos e media 38 centímetros. Este foi registrado como o maior sapo-cururu desde 1991, mas uma descoberta recente na Austrália parece indicar que um novo recorde foi encontrado.

Habitat do Sapo Cururu
Rhinella marina.

Quem é o Toadzila?

Em 12 de janeiro de 2023, um grupo de guardas florestais do Conway National Park, em Queensland, encontrou um grande sapo escondido na vegetação. No momento em que tentaram capturá-lo, perceberam que ele era muito pesado, então por causa de sua aparência e tamanho, decidiram chamá-lo de Toadzilla. Este nome é uma fusão do termo “toad” (sapo em inglês) e “godzilla” (réptil de ficção científica).

Depois de analisar suas características físicas, os especialistas do parque determinaram que se tratava de um sapo-cururu. Tratava-se uma fêmea que pesava 2,7 quilos, o que surpreendeu bastante a todos. Embora seja verdade que a espécie é capaz de atingir essas medidas, exemplares desse tamanho são raros e escassos.

Claro, uma vez que seus dados e informações de captura foram registrados, o Toadzilla foi removido do ecossistema porque representa um sério risco para outros pequenos animais. Seu tamanho lhe permite consumir uma grande variedade de insetos, répteis e mamíferos, prejudicando ainda mais a delicada vida selvagem da Austrália.

Toadzilla é um perigo para a Austrália

Ao contrário do que se possa pensar, Toadzilla não é uma espécie endêmica da Austrália, e sim um perigoso invasor das Américas. De acordo com o governo australiano, o sapo-cururu tornou-se uma praga temível devido ao seu apetite voraz e veneno, o que o torna resistente à predação.

Como se não bastasse, esta espécie adapta-se facilmente a diferentes habitats, razão pela qual conquistou a maior parte dos ecossistemas húmidos da Austrália. Ao mesmo tempo, sua presença na área desloca e reduz a população de outros animais. Isso é prejudicial para a fauna nativa, principalmente para aquelas espécies que estão em situação de risco ou em perigo de extinção.

Simplificando, Toadzilla não parece apenas ameaçador por causa de seu tamanho, é um perigo latente para o ecossistema da Austrália. Por isso, caso esses espécimes sejam encontrados, os profissionais devem capturá-los e impedir que retornem ao ecossistema.

Toadzilla (sapo-cururu) encontrado no substrato.
Rhinella marina.

O que vai acontecer com Toadzilla?

Embora fosse um espécime majestoso e incrível, Toadzilla teve que ser sacrificado por métodos humanos. Por mais que os guardas florestais quisessem protegê-lo ou cuidar dele, o tamanho desse sapo tornava difícil mantê-lo em cativeiro por muito tempo. Além disso, havia o risco de ele escapar novamente, então os profissionais não tiveram escolha.

Também é importante observar que o governo australiano classificou o sapo-cururu como uma das principais ameaças ao meio ambiente. Isso significa que os guardas florestais são obrigados a capturar os exemplares a fim de reduzir sua população, pois é a única forma de proteger o restante da fauna.

Claro, o corpo de Toadzilla ainda está protegido porque é o maior espécime conhecido até hoje. Até o Museu de Queensland está interessado em preservar seus restos mortais para exibição, pois obviamente quebrou o recorde anterior e é improvável que um indivíduo maior do que este apareça.

É fundamental ressaltar que as ações realizadas pelos profissionais visam a conservação dos animais. Se a população do sapo-cururu não for controlada ali, todo o ecossistema pode mudar e levar ao desaparecimento de outras espécies. Claro, isso não diminui o fato de que Toadzilla era impressionante, mas tudo é feito com o objetivo de evitar um desequilíbrio no meio ambiente.


Todas as fontes citadas foram minuciosamente revisadas por nossa equipe para garantir sua qualidade, confiabilidade, atualidade e validade. A bibliografia deste artigo foi considerada confiável e precisa academicamente ou cientificamente.



Este texto é fornecido apenas para fins informativos e não substitui a consulta com um profissional. Em caso de dúvida, consulte o seu especialista.