Tubarão-azul: habitat e características

maio 29, 2019
Infelizmente, o tubarão-azul está ameaçado pela pesca esportiva e comercial, mas atualmente não corre risco de extinção.

O tubarão-azul (Prionace glauca), também conhecido como tintureira, faz parte da família Carcharhinidae. Esta é uma espécie de tubarão que está ameaçado de extinção devido à pesca. No passado, esta era uma das espécies de tubarões mais comuns nos oceanos e mares.

Descrição e características do tubarão-azul

O tubarão-azul tem um tom de pele azulado particular, de onde vem seu nome. Ele também possui um corpo alongado: os machos podem medir de 1,82 a 2,2 metros, enquanto as fêmeas vão de 2,2 a 3,3 metros.

Além disso, o corpo deste tubarão é formado por duas barbatanas peitorais longas e finas, com cinco pares de fendas branquiais próximas a elas, além de uma barbatana dorsal menor que as anteriores e uma cauda.

Além disso, o corpo do tubarão-azul é muito hidrodinâmico, uma vez que suas barbatanas peitorais são mais longas que as da maioria das outras espécies de tubarões. Isso permite que ele alcance altas velocidades ao nadar. Portanto, é considerada uma das espécies mais rápidas de tubarões que habitam os mares.

Seu corpo ágil pode pesar entre 27 e 55 quilos nos machos e entre 93 e 182 quilos no caso das fêmeas. Eles têm um focinho cônico, característico da maioria das espécies de tubarão, com dentes triangulares e em forma de gancho na parte superior e mais estreitos e retos na parte inferior.

Os tubarões-azuis têm uma fileira de dentes de 24 a 31 entalhes na mandíbula superior e 25 a 34 na mandíbula inferior. Seus dentes costumam ser substituídos em períodos de 8 a 15 dias.

Descrição e características do tubarão-azul

O que o tubarão-azul come?

O tubarão-azul é um predador voraz; alimenta-se de quase tudo e caça em pequenos grupos, como casal ou em família. Ele é capaz de viajar longas distâncias em busca de comida e sua dieta é geralmente composta por um total de 16 espécies de peixes e 24 espécies de cefalópodes.

Esses tubarões podem se alimentar até mesmo dos cadáveres de mamíferos que chegam ao mar ou de pássaros marinhos desavisados.

Os peixes que eles comem regularmente são a pescada branca, pescada vermelha, sarda, carapau, lula, pescada prata, arenque, garoupa e bacalhau.

Habitat 

O tubarão-azul é um animal migratório, capaz de viajar por até 5.500 quilômetros. Pode ser localizado em diferentes regiões do mundo, incluindo o Oceano Atlântico, Oceano Pacífico, Mar Mediterrâneo e Oceano Índico.

Curiosamente, o tubarão-azul é considerado um animal solitário, mas tem o hábito de nadar em grupo quando viaja longas distâncias. Esses grupos geralmente são distribuídos por tamanho e sexo: eles usam um sistema que segue o padrão do relógio para guiá-los quando viajam pelo Atlântico.

O habitat ideal deste tubarão são as profundas águas subtropicais, tropicais e temperadas, locais que podem atingir profundidades de até 350 metros. Mesmo assim, eles podem ser encontrados na costa, principalmente durante a noite, uma vez que costumam viver no litoral.

Habitat do tubarão-azul

Hábitos reprodutivos do tubarão-azul

Os tubarões-azuis são animais vivíparos e atingem a maturidade sexual entre os quatro e cinco anos de idade no caso dos machos, enquanto as fêmeas podem começar a se reproduzir com cinco ou seis anos.

O ritual de acasalamento dessa espécie consiste em uma mordida na fêmea pelo macho entre a primeira e a segunda barbatana dorsal. Vale lembrar que as fêmeas têm a pele até três vezes mais espessa do que a de um macho.

Se o ritual de acasalamento for bem-sucedido, o macho usará as barbatanas pélvicas para fertilizar a fêmea. As fêmeas do tubarão-azul têm dois úteros e são capazes de gerar entre 4 e 125 filhotes, que podem levar de 9 a 12 meses para se desenvolverem.

As fêmeas fecundadas migram para o norte, onde se preparam para ter seus filhotes, que geralmente medem 39 centímetros. No entanto, ao nascer, os filhotes são separados da mãe, por isso não recebem nenhum tipo de cuidado.

Ele está em perigo!

Embora ainda não esteja em perigo de extinção, o tubarão-azul está ameaçado. Os principais fatores que influenciam essa ameaça são a pesca para fins esportivos e comerciais, bem como a ameaça de outros predadores aquáticos em relação aos filhotes.

Os tubarões-azuis são usados ​​para fazer comida para animais e humanos, couro e suplementos alimentares com o fígado. Calcula-se que a sua população tenha diminuído entre 50% e 70% no oceano Atlântico norte e 97% no mar Mediterrâneo, principalmente devido à pesca excessiva.