Você conhece as formigas-correição?

· novembro 7, 2018
Protagonistas da clássica produção cinematográfica “A selva nua”, essas espécies migratórias e predadoras se movem em grupos de 10 mil a 200 mil indivíduos, arrasando uma infinidade de invertebrados que encontram pelo caminho.

Cerca de 200 espécies desses himenópteros são conhecidas como formigas-correição, que têm um forte instinto predatório e nômade. Mas, apesar de sua má reputação, elas também cumprem a função de controlar o grande número de insetos que vivem nos territórios em que se deslocam.

Formigas sem formigueiro permanente

Conhecidas por suas incursões nas selvas em busca de comida, essas formigas foram imortalizadas em um filme clássico, A selva nua (1954), estrelado por Charlton Heston.

É que marabunta é o termo usado para definir a “migração maciça de formigas muito vorazes que atacam no caminho a vegetação e todos os tipos de animais”.

As formigas-correição ou legionárias estão presentes na maioria das zonas tropicais e subtropicais do planeta. Movimentam-se em grupos que variam entre 10 mil e 200 mil trabalhadoras adultas. 

Mas, além de sua natureza predatória, as formigas-correição se destacam pela falta de formigueiros permanentes. 

Sem “residência fixa”, uma colônia desses insetos permanece em trânsito durante a maior parte de sua existência.

Nômades e predadoras são duas palavras que definem perfeitamente as formigas-correição, imortalizadas em um filme clássico chamado “A selva nua”.

Insetos de hábitos nômades

As formigas são insetos eussociais pertencentes à ordem hymenoptera. Existem cerca de 14 mil espécies conhecidas, mas estima-se que existam cerca de 22 mil.

Formigas legionárias

Essas espécies apresentam duas fases comportamentais: uma estacionária ou sedentária e outra nômade ou errante.

Na primeira, que dura entre duas e três semanas, elas diminuem sua atividade. É o momento em que as larvas se transformam em pupas e a rainha aumenta o tamanho da sua área abdominal, devido ao grande número de ovos que ela produz.

Por outro lado, na fase nômade, as formigas-correição se movem durante o dia, embora algumas espécies tenham atividade noturna, em busca de alimentos.

Nessas incursões, são acompanhadas por aves que caçam insetos e pequenos vertebrados que fogem da marabunta.

Conheça os ninhos das formigas-correição

À noite, as formigas-correição fazem seus ninhos (bivaque) na hora e com seus próprios corpos.

Na verdade, são massas de formigas muito bem organizadas que se abrigam em troncos de árvores ou em buracos feitos por elas mesmas.

Neste verdadeiro ninho vivo, os espécimes mais jovens ficam localizados no interior e os espécimes mais velhos na zona externa.

O bivaque tem muitas passagens e câmaras onde ficam – além da comida – a rainha, as larvas e os ovos.

Diante de qualquer distúrbio, por menor que seja, as formigas soldado vão até o topo do ninho para defendê-lo com poderosas mandíbulas e, no caso de algumas espécies, também com seus ferrões.

Além disso, elas geralmente protegem suas rotas também com soldados.

Como as formigas-correição caçam

As formigas-correição se alimentam principalmente de insetos. A marabunta pode consumir 100 mil desses invertebrados todos os dias.

Assim, o papel que desempenham no controle do grande número desses animais que povoam as selvas é fundamental.

Marabunta

Mas elas também costumam pegar aranhas e pequenos vertebrados. Além disso, verificou-se que, às vezes, elas se alimentam de ovos de tartaruga. E algumas espécies sobem em árvores em busca de ninhos de pássaros.

Para caçar suas presas, essas verdadeiras legionárias costumam usar um método conhecido como enxame.

Assim, separam-se da massa central de diferentes maneiras, como se fossem as raízes de uma árvore. Desta forma, suas presas ficam encurraladas e é quase impossível para elas escaparem.

Elas também fazem incursões em colunas. Assim, alguns membros da equipe se separam da rota principal e configuram grupos de pesquisa.

Mas de uma maneira ou de outra, certamente você não vai querer estar no caminho da marabunta.