Você sabia? Estes peixes têm pulmões!

· outubro 20, 2018
Essa família se destaca por várias razões, embora a principal seja por passarem por uma metamorfose, como os anfíbios. Isso porque, quando são larvas, têm brânquias e só depois desenvolvem pulmões. Chama também a atenção sua estética semelhante à de uma enguia e o fato de nadar da mesma maneira que ela, com movimentos oscilantes.

Acredite ou não, peixes pulmonados existem e, como o nome sugere, eles têm pulmões! Ainda que não sejam como os das pessoas, eles diferem do do resto de sua família marinha e vale a pena aprender saber mais sobre eles. Nós falaremos sobre isto neste artigo.

O que saber sobre os peixes pulmonados?

Entre os peixes Sarcopterygii – com barbatanas carnudas – podemos encontrar uma subclasse popularmente conhecida como pulmonados; embora seu nome científico seja Dipnoicos.

Como uma característica principal, podemos indicar que eles têm pulmões funcionais, que são derivados da faringe.

Além disso, eles têm as narinas abertas para o lado de fora que, embora possamos pensar que elas permitem que respirem o ar, a verdade é que elas servem como sensores olfativos.

Como os peixes pulmonados recebem o oxigênio? Pela boca. Então eles o engolem como os anfíbios. Desta forma eles alcançam os pulmões.

Outro fato curioso é que as larvas dessas espécies têm guelras externas temporárias e, graças ao processo de metamorfose; estas desaparecem para dar origem aos pulmões que usarão na idade adulta.

Sua coloração é variável (de azul intenso a marrom), eles têm um corpo alongado como o das enguias, e coberto com escamas com uma cauda simétrica e pontiaguda.

Em alguns casos, eles podem medir 1,5 metros de comprimento.

respiração pulmonar em peixes

Os peixes pulmonados habitam a água doce entre os 150 e os 300 metros de profundidade e, além disso, alimentam-se de outros peixes.

Quanto à sua reprodução, é ovovivíparoas fêmeas fertilizam seus ovos na barriga antes de expeli-los. 

O acasalamento ocorre na primavera ou no verão: o macho cava um ninho na lama e cuida dos filhotes previamente depositados no ninho pelo parceiro sazonal.

O pai também tem a tarefa de proteger as larvas.

Tipos de peixes pulmonados

Protopterus

Acredita-se que este grupo de peixes – conhecidos como fósseis vivos – foram aqueles que dominaram a terra nos tempos antigos, e alguns evoluíram para ter guelras e serem capazes de respirar embaixo d’água.

Chegou-se a essa conclusão após análise de suas nadadeiras lobadas, que são o “elo perdido” na transformação das espécies marinhas.

Os peixes pulmonados estão divididos em três gêneros: Protopterus (da África), Lepidosiren (da América do Sul) e Neoceratodus (da Austrália). 

O primeiro inclui quatro espécies e as outras duas apenas uma.

Os Protopterus são muito semelhantes entre si, exceto pelo tamanho e cor do corpo. Eles nadam como enguias – com movimentos oscilantes – e seus olhos são azulados e pequenos.

As escamas são pequenas e cobrem todo o tronco, barriga e barbatanas.

 

Eles têm um único pulmão formado por paredes muito finas e por numerosos vasos sanguíneos, para que o sangue possa fluir mais rápido. Além disso, seu coração se adaptou para não precisar de tanto oxigênio.

protopterus e aethiopicus

Lepidorisen e Neoceratodus

Os Lepidorisen são os únicos sobreviventes da América do Sul e são conhecidos como ‘peixes da lama’; porque passam muito tempo na lama. 

Quando são jovens, têm corpos dourados com uma barriga escura e, quando crescem, ficam castanhos ou cinzentos.

Podem medir 125 centímetros, possuem pequenas escamas e seus pulmões crescem a partir da sétima semana de vida; antes disso eles apresentam brânquias.

Finalmente, os Neoceratodus são endêmicos da água doce australiana, possuem apenas um pulmão e grandes escamas que os cobrem completamente.

Os espécimes fósseis mais antigos que foram encontrados desta espécie têm 135 milhões de anos.

Eles são aqueles que têm as brânquias mais desenvolvidas de toda a família e usam os pulmões caso a qualidade da água seja ruim ou tenham passado muito tempo submersos.