4 espécies de polvos que habitam os mares

· julho 29, 2018
Alguns são pequenos em tamanho e outros são enormes, chegam a até nove metros. Alguns têm uma grande capacidade de escapar de seus predadores por meio de um jato de tinta - em alguns casos tóxica e mortal - e outros de se camuflar com o meio ambiente.

Os polvos são animais marinhos com oito braços, que não têm conchas e se alimentam de peixes e crustáceos, bem como de plantas. Neste artigo, vamos falar sobre algumas das espécies de polvos que vivem nas profundezas dos oceanos.

Quantas espécies de polvos existem?

No total, existem mais de 300 espécies de polvos e todos vivem em águas salgadas, quentes e frias. Eles são diferenciados por seus tamanhos e cores. Alguns deles são:

  1. Polvo de anéis azuis

Como o nome sugere, o polvo de anéis azuis – imagem que abre este artigo – tem um corpo claro com “manchas” circulares azuis, que podem até mudar seu tom, dependendo de como ele quer se misturar com o ambiente.

Com um tamanho relativamente pequeno, não ultrapassa 20 centímetros, este polvo se move muito rápido quando vai em busca de presas. Quando se sente encurralado por um predador, libera um tipo de ‘tinta‘ tóxica para poder escapar em poucos segundos.

O polvo de anéis azuis é uma das espécies mais agressivas e mais territoriais que existem. Pode lutar com outros congêneres por comida, abrigo ou território. É perigoso para o ser humano, já que sua picada pode nos matar.

  1. Polvo da Califórnia

Pelo seu nome já podemos deduzir uma de suas características: vive nas águas californianas, embora também possa ser encontrado no Japão, México e África. Tem duas manchas em seu corpo, que são azuis, e que estão ao redor dos olhos, enquanto o resto do corpo é, geralmente, acinzentado.

Polvo da Califórnia

O polvo da Califórnia mede cerca de 40 centímetros, dos quais quase 25 pertencem aos seus braços. Dizem que é uma das espécies mais “amigáveis”, porque não costuma atacar e tolera bem os seus “parentes”, exceto quando competem por comida, que consiste em crustáceos, moluscos e pequenos peixes.

  1. Polvo comum

Seu nome científico é Octopus vulgaris e é um dos maiores que existe: mede 90 centímetros e pesa nove quilos. Com uma cabeça grande e olhos enormes – algo desproporcional ao resto do corpo – pode mudar de cor para se camuflar no ambiente em que vive.

Polvo comum

O polvo comum é encontrado em todos os oceanos, tanto em zonas temperadas como tropicais, embora seja mais frequente encontrá-lo no Mar Mediterrâneo, nas Ilhas Canárias, na costa inglesa, nas ilhas de Cabo Verde e em certas áreas da África.

É um animal muito inteligente, consegue distinguir entre objetos de diferentes formas e tamanhos, além de ter uma excelente memória e capacidade de evitar armadilhas e obstáculos. Ele também é mestre em camuflagem e pode permanecer escondido em tocas criadas por ele mesmo, com materiais encontrados em seu caminho.

Sua vida é muito curta – não passa de dois anos – e ele morre pouco depois do acasalamento. A fêmea pode colocar 200 mil ovos e evitar por todos os meios que eles sejam devorados por predadores. Pode ficar 40 dias ao lado das crias e comer parte de seus braços para recuperar energia.

  1. Polvo gigante do Pacífico

Entre as espécies conhecidas de polvos, esta é a maior: espécimes de até nove metros de comprimento foram vistas. Tem a capacidade de mudar de cor e de se camuflar entre corais, plantas e rochas. Ele vive mais do que qualquer outro polvo – cerca de quatro anos – e é considerado o invertebrado mais inteligente: consegue sair de labirintos e destampar potes.

Polvo gigante

Ele vive nas águas temperadas do Oceano Pacífico, do sul da Califórnia ao Alasca, e também no Japão. Caça à noite e se alimenta de peixes, lagostas, caranguejos, amêijoas e camarões. Se reproduz no verão: o macho passa o espermatozoide para a fêmea e ela, então, irá pôr até 100 mil ovos em águas mais rasas.