5 animais característicos da América Central

· fevereiro 14, 2019

Muito peculiares, algumas das espécies que habitam a América Central são exclusivas da região, de modo que não podem ser vistas na natureza fora de lá.

Na verdade, nenhum desses animais tem sido comercializados pelo ser humano. Por isso, suas populações não correm risco, felizmente.

Se há algo em que a América Central se destaca, é por causa de sua natureza e sua diversidade de flora e fauna.

O clima e a extensão do habitat natural de muitos animais transformaram esta área num lugar rico em espécies.  Por isso, falaremos de algumas hoje.

Ao que se deve a existência das espécies animais da América Central

As florestas tropicais têm tudo o que muitas espécies podem desejar: calor, sombra, rios, comida e muito mais.

Embora seja difícil pensar que em países com um clima tão quente como o Panamá ou a Nicarágua muitos animais possam viver, a realidade é que podem sim.

De fato, há espécies que são impossíveis de serem vistas em outro lugar. Ou seja, somente nas florestas tropicais da América Central encontram equilíbrio em tudo o que precisam.

Por outro lado, nesses países a caça não é muito difundida, na verdade, é muito penalizada. Dessa forma, o maior predador da Terra, o homem, não foi capaz de pôr em perigo a existência dessas espécies.

É também possível que as espécies encontradas nos países da América Central não concedam nada de especial ao homem, como a sua carne ou sua pele.

No entanto, é exatamente isso que as mantêm vivas até hoje. Vamos ver algumas das espécies mais atraentes e marcantes que só vivem lá.

Características dos animais da América Central

Agouti da América Central

Este pequeno animal é um roedor da família Dasyproctidae que vive no México e estende seu habitat até o Equador. O principal local onde podemos ver o agouti da América Central, cuja foto encabeça este artigo, é a floresta, desde que tenha menos de 2000 metros de altitude.

Pode medir cerca de 62 centímetros e pesar até três quilos. Vive em tocas ou procura refúgio entre as raízes das árvores.

Ele sabe que é uma presa cobiçada por muitos predadores e, portanto, busca lugares onde possa estar o mais oculto possível.

Como método de defesa, sua pele fica eriçada, o que faz com que ele aumente de tamanho e pareça muito maior do que é, para assustar seus inimigos.

Onça-pintada

Embora este animal sempre tenha sido relacionado à África, ele realmente vive nas florestas e selvas da América Central.

É um grande felino que se destaca por suas pequenas manchas pretas que aparecem salpicadas em sua pele dourada.

animais da América Central: onça-pintada

Sua velocidade é uma de suas características mais marcantes, pois pode atingir até 60 km/h. Sua mordida pode ser letal, diferente da de muitos outros felinos.

Por exemplo, ele tem uma tática de caça na qual vai direto para a cabeça de sua presa e morde até perfurar o crânio e o cérebro.

Tucano

Um lindo pássaro no qual as cores tropicais e seu imenso bico se destacam. Um animal que só podemos ver nesta região do mundo e que pode medir cerca de 65 centímetros e pesar até 680 gramas.

Tucano

Curiosamente, tem dentes pequenos que se parecem com pequenas serras, que servem para mastigar comida. Algo que nenhuma outra ave do mundo apresenta.

Beija-flor

O beija-flor e o beija-flor-abelha são encontrados na América Central, em grandes quantidades. São aves de extrema beleza, nas quais destacam as belas cores de suas penas e, acima de tudo, a velocidade de seu voo.

Beija-flor

Eles podem mover as asas cerca de 55 vezes por segundo. No geral, não medem mais do que 10 centímetros de comprimento, isto sem contar a menor espécie, o beija-flor-abelha, que não excede 5,5 centímetros.

Tatu-bola

É fácil reconhecer esse mamífero, porque seu corpo é coberto por uma casca de placas ósseas que lhe dão uma aparência especial e original.

Essa estrutura permite-lhe se enrolar como uma bola. Ele utiliza essa capacidade como um método de defesa.

Tatu-bola

Eles comem insetos e plantas, e seus dentes têm a forma de pequenos cilindros, uniformes e com raízes abertas. Eles geralmente têm cerca de 25 em cada mandíbula.

Você já viu algum desses animais de perto? Bem, se quiser vê-los, já sabe que são animais característicos da América Central. Então, que tal uma viagem para lá?