5 espécies de doninhas

maio 2, 2019
Dizem que estes mamíferos escorregadios roubam leite de porcas e coelhas; vivem na América, Europa, Ásia e no norte da África.

A doninha é um mamífero carnívoro que pertence à família dos mustelídeos (a mesma dos furões). As atuais espécies de doninhas vivem na América, Europa, Ásia e no norte da África. Conheça algumas delas a seguir.

Quantas espécies de doninhas existem?

Atualmente há 18 espécies de doninhas, que são bastante semelhantes quanto ao tamanho, pelagem e hábitos. Há várias lendas sobre estes animais: dizem, por exemplo, que eles “roubam” leite de porcas e coelhas e que são desprezíveis. 

Principais espécies de doninhas

1. Doninha-anã

A doninha-anã habita a América do Norte, Eurásia e Norte da África (sempre acima da linha do Equador), tanto em ecossistemas rurais quanto urbanos. Esconde-se entre os arbustos, lenha, árvores, plantações e prados.

É um caçador muito eficaz, capaz de capturar presas de até 10 vezes o seu peso. Seu corpo é alongado e flexível, o focinho e as pernas são curtas e os olhos destacam, assim como as orelhas. Tem pelo marrom avermelhado, com exceção da parte da barriga e pescoço, que são brancos.

2. Arminho

Tem um habitat semelhante à doninha-anã, embora um pouco mais difundido na América do Norte e na Ásia. Também foi introduzido na Nova Zelândia, onde é considerada uma espécie exótica nociva.

Arminho

O arminho tem um corpo alongado com pelos que mudam de cor de acordo com a época do ano: marrom nas costas e branco na barriga durante o verão, e completamente branco – com exceção dos olhos e nariz pretos – no inverno.

Vive em uma toca embaixo de pedras ou arbustos espinhosos, se alimenta de roedores, tem hábitos noturnos ou diurnos e não escala, mas se move com agilidade.

3. Mustela frenata

Esta é uma das espécies que podem ser encontradas apenas no continente americano, do sul do Canadá ao norte da Bolívia. Prefere habitats abertos perto de espelhos d’água: bosques, campos, prados e pântanos. Geralmente vive em cavernas abandonadas, em fendas de rocha e em cavidades de troncos.

Mustela frenata

Quanto à sua aparência física, chama a atenção a sua cauda longa e muito peluda, do mesmo tamanho que seu corpo. Todo o seu pelo é castanho claro, mas nas áreas onde neva, elas são completamente brancas.

4. Doninha europeia

A doninha europeia – de cor marrom e focinho branco – é uma espécie que vive em grande perigo de extinção, que habita poucos lugares entre Espanha e os Montes Urais. Preferem os ambientes aquáticos, pântanos, com rios lentos e ampla cobertura vegetal.

Doninha europeia

É uma das espécies de doninhas cuja dieta é mais variada, uma vez que se alimenta de pequenos mamíferos, peixes, répteis, crustáceos, anfíbios e aves. Quanto à reprodução, eles entram no cio em março ou abril e geralmente nascem entre dois e seis filhotes nos meses de maio a junho; eles passam aproximadamente um mês na toca.

5. Doninha siberiana

Por último, temos a chamada ‘mustela amarela’ por causa da cor do seu pelo, branco amarelado. Além disso, é famosa porque ataca as aves de granja (como os patos e galinhas) durante a noite e porque tem um cheiro muito forte, semelhante ao do gambá. Os machos medem cerca de 40 centímetros e a cauda outros 20; as fêmeas atingem no máximo 30 e 15 centímetros, respectivamente.

Doninha siberiana, uma das espécies de doninhas

É uma das espécies de doninhas que estão apenas na Ásia, especificamente na Sibéria, no deserto de Gobi, nas ilhas do Japão – onde foi introduzida – e no sul da China. Embora ela seja caçada devido ao seu pelo – para fazer pincéis – não está ameaçada de extinção.