Quanto de água meu gato precisa beber?

Você acha que seu gato bebe água suficiente? Cuidado, pois a falta de hidratação pode causar problemas de saúde nos felinos
Quanto de água meu gato precisa beber?

Última atualização: 05 Dezembro, 2020

O gato (Felis catus) é um animal que costuma beber pouca água. Isso se deve à evolução do seu ancestral Felis labica, um animal que vivia no deserto, onde a água disponível era muito escassa. Assim, ele se adaptou para concentrar muito a urina para reduzir a perda de água.

Como descendentes desses felinos, os gatos modernos, relativamente domesticados, continuam mantendo muitos dos comportamentos dos seus predecessores, incluindo a baixa necessidade de ingerir líquidos.

Necessidades hídricas de um gato

Os gatos precisam ingerir entre 55 e 70 mililitros de água por quilo de peso por dia. Esse volume não precisa necessariamente vir da água potável. Um gato pode obter líquidos de diferentes fontes, como:

  • Água fresca e limpa que lhe oferecemos diretamente.
  • Água contida nos alimentos que ele consome.
  • A água metabólica, que é produzida pelo corpo para oxidar lipídios e carboidratos.

A sede, em animais mais complexos, é regulada por um conjunto de hormônios e, por sua vez, regulada por uma região do cérebro chamada hipotálamo. Ao contrário, a saciedade é regulada, primeiro, pelo contato da água com a boca, depois pela distensão do estômago e, por último, pela hidratação celular, que é regulada por interações muito complexas.

Os gatos não são muito sensíveis à perda de líquidos ou, pelo menos, são menos sensíveis que os cães, pois podem suportar até 8% de desidratação.

Necessidades hídricas de um gato

Fatores que influenciam o consumo de água

Um gato ingere mais ou menos líquidos dependendo de vários fatores, como a alimentação, a temperatura ambiente e a forma como a comida é administrada.

Se a comida que oferecemos ao nosso felino for feita exclusivamente de ração seca, aumentaremos consideravelmente sua necessidade de ingestão de líquidos. Na verdade, sua ingestão aumentará em dois mililitros para cada grama de ração que o animal ingerir. Esse tipo de alimento contém apenas entre 7 e 9% de água.

Aqui devemos enfatizar que, embora o comportamento do gato em relação à água mude, isso não importa, pois o equilíbrio hídrico é mantido. O problema pode surgir quando um gato muda de uma dieta úmida para uma dieta seca, porque ele pode se adaptar mal ao consumo de líquidos. Como resultado, podem ocorrer problemas renais, como formação de cálculos.

As altas temperaturas podem influenciar a necessidade do gato de ingerir líquidos. No entanto, esse fator não é tão pronunciado como nos cães, os quais perdem muita água com a respiração ofegante e a transpiração.

Por fim, se o gato tiver a alimentação restrita a apenas um horário do dia, o consumo de líquidos vai diminuir. A água potável está intimamente ligada à ingestão de alimentos, de modo que os animais que têm comida disponível ad libitum beberão mais.

Dicas para o gato beber mais água

Normalmente, os gatos bebem água entre 12 e 16 vezes por dia, mas consomem pouca quantidade de cada vez. Para estimular seu felino a beber mais, oferecemos algumas dicas:

  • Tenha mais de um recipiente de bebida em diferentes locais da casa.
  • Troque a água pelo menos uma vez por dia.
  • Será melhor se a tigela for feita de metal, vidro ou material cerâmico.
  • A água deve ser colocada longe da caixa de areia e da comida, para evitar a contaminação, pois o gato vai perceber e não vai querer beber.
  • Ofereça ao gato ração úmida uma vez ao dia, mas nunca misturada com a ração seca.
  • Alguns gatos preferem beber diretamente da água em movimento. Portanto, pode ser interessante proporcionar uma fonte eletrônica ou permitir que eles bebam de pias ou fontes.
Pode interessar a você...
Melhor alimentação para gatos de pelo curto
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Melhor alimentação para gatos de pelo curto

A alimentação para gatos de pelo curto mais adequada é a que contém um bom teor de gordura e, sobretudo, de proteína. Saiba mais aqui!



  • Beaver BV. (1980) Sensory development of Felis catus. Lab Anim; 14: 199-201.
  • Beaver BV. (2003) Feline Behavior. In: A Guide for Veterinarians.2nd ed. Elsevier Science, USA: 212-246.
  • Horwitz, D., Soulard, Y., & Junien-Castagna, A. (2006). Comportamiento alimentario del gato. Enciclopedia de la Nutrición Clínica Felina; Pibot, P., Biourge, V., Elliott, D., Eds, 439-478.