Aranhas-pirata: sobreviver caçando outras aranhas

dezembro 19, 2019
O comportamento predatório da sua própria espécie é o que faz das aranhas-pirata animais fascinantes.

Muitas vezes já topamos com pequenas e quase transparentes teias de aranha no jardim ou em outros lugares da nossa casa. Essas fabulosas obras de arte servem para os aracnídeos caçarem insetos. Tecer teias de aranha é a estratégia mais eficaz para as aranhas conseguirem alimento para si e para suas crias, embora aquelas conhecidas como aranhas-pirata não façam isso…

As teias de aranha são tão eficazes que as aranhas tecedoras das cidades estão entre os animais que mais têm êxito na luta pela sobrevivência nas grandes metrópoles. Existem cerca de 3.000 espécies diferentes distribuídas em quase todas as cidades do mundo.

Tecer uma teia de aranha pegajosa, multiforme e resistente é uma tarefa bastante sofisticada. O tecido requer uma série de manobras precisas que nem todas as aranhas são capazes ou estão dispostas a fazer.

Além disso, por que gastar tempo e energia fazendo uma rede própria quando você pode invadir a de outra aranha, roubar as suas presas e devorar o seu arquiteto?

Existe um grupo clandestino conhecido como aranhas-pirata que adotou esse método sinistro para obter alimento. Dessa forma, naturalmente, as suas estratégias de caça foram classificadas como algumas das que mais se destacam no reino animal.

Por que as aranhas-pirata não tecem as suas próprias teias?

As aranhas-pirata pertencem ao grupo de aranhas tecedoras das grandes cidades, as mesmas que tecem as inconfundíveis teias circulares que existem em quase qualquer casa. No entanto, as aranhas-pirata não fazem teias. De fato, chegou-se à conclusão de que estas aranhas perderam a habilidade de tecer.

Apesar de não tecerem as suas próprias teias, as aranhas-pirata ainda são capazes de produzir seda. Com essa seda, constroem sacos para os seus ovos e para envolver as suas presas. Entretanto, as aranhas-pirata são anatomicamente incompetentes para essa tarefa.

Aranha que caça outras aranhas

As fieiras são os furos dispensadores de seda que as aranhas possuem. A quantidade de fieiras das aranhas-pirata é muito pequena em relação à quantidade de outros aracnídeos tecedores. Essa característica faz com que as aranhas-pirata sejam incapazes de fazer uma teia.

Por isso, as aranhas-pirata invadem as teias de outras aranhas tocando suavemente nos fios para chamar a atenção do anfitrião. Uma vez que o aracnídeo anfitrião tenha se aproximado o suficiente, a pirata executa o seu plano sinistro.

Ela utiliza as suas enormes patas dianteiras para prender a sua presa. Essas patas têm uma série de ferrões que elas utilizam para segurar o anfitrião. A presa é enclausurada dentro de um tipo de cesta, muito parecida com uma prisão.

Uma vez ali, a aranha-pirata crava as suas presas na outra e injeta nela um poderoso veneno que a imobiliza.

A perfeição de uma estratégia imitadora

Os hábitos das aranhas-pirata intrigam muito os especialistas. Os entomólogos que estudam esse tipo de aracnídeo inferem que a estratégia de tocar os fios da teia da aranha anfitriã imita as vibrações causadas por um inseto apanhado. Daí vem o nome da sua família, Mimetidae, ou imitadora.

A aranha anfitriã também reage às vibrações de outros tipos de aranhas invasoras. Assim, cria-se uma espécie de dança na qual as aranhas se aproximam e se afastam lentamente, mandando sinais entre si. Em geral, a menor se rende e vai embora.

As aranhas-pirata enviam esse tipo de sinal enganoso à anfitriã. Elas simulam ser invasoras pequenas relutantes a fugir. Esse comportamento atrai a residente, que se aproxima cada vez mais. Quando a anfitriã está ao alcance, a aranha-pirata ataca.

Aranha em pedra

Outro aspecto que causa admiração entre os especialistas é a evolução do veneno das aranhas-pirata. Esse veneno é extremamente tóxico para outras aranhas, incluindo as de sua própria espécie. Contudo, isso não ocorre com outros animais.

Quando uma aranha é mordida por uma pirata, ela para de se mover imediatamente. Entretanto, outros insetos, como a mosca-das-frutas, lutam para se libertar durante vários minutos.

Caçadoras com um lado adorável

Existem muitos tipos de aracnídeos, e nem todos são perigosos. Algumas dessas espécies podem, inclusive, ser criadas em um ambiente controlado dentro de nossos lares, como um terrário.

Ainda que não pareça, as aranhas não são animais impiedosos, sobretudo quando se trata das suas próprias crias. O cuidado materno é algo relativamente comum na maioria das suas espécies. Algumas regurgitam o alimento para as suas crias, e outras até permitem que elas se deleitem com o seu cadáver.

Esses tipos de cuidados maternos também foram visto entre as aranhas-pirata. As piratas cuidam de e protegem os seus ovos e crias com especial dedicação. Se a teia se move ou se sentem algum perigo, elas criam uma bola com eles e os levam para longe das ameaças.

Atualmente, já foram classificadas formalmente mais de 160 espécies de aranhas-pirata. Além disso, essas aranhas se encontram geograficamente em todos os continentes, com exceção da Antártida.

http://spiderbytes.org/2015/10/26/pirate-spiders/

http://www.arachne.org.au/01_cms/details.asp?ID=1945