Arara-azul-grande: habitat e características

Pertencente ao grupo dos psitacídeos, a arara-azul-grande também apresenta comportamentos marcantes, como a imitação ou repetição da fala.
Arara-azul-grande: habitat e características

Última atualização: 30 Maio, 2021

Muitas aves de cores vivas, como a arara-azul-grande, podem ser encontradas na América do Sul. Essa bela ave habita boa parte do Brasil, Bolívia e norte do Paraguai. Além disso, é importante destacar que se trata da maior espécie dentro do grupo das araras.

Infelizmente, hoje em dia essa espécie se encontra em um estado vulnerável. Os caçadores ilegais dificultam cada vez mais as pesquisas sobre esse animal, bem como o conhecimento de seus comportamentos e suas características. Continue lendo se você quiser saber mais sobre a arara-azul-grande.

Características físicas da arara-azul-grande

A arara-azul-grande (Anodorhynchus hyacinthinus) é uma ave psitaciforme pertencente à família Psittacidae. Dentro desse grupo, estão classificadas as aves comumente conhecidas como louros ou papagaios. Por sua vez, essa família inclui as araras, os periquitos e outras aves semelhantes, localizadas na América e na África.

Ao comparar essas aves, é fácil concluir que todas compartilham uma série de características comuns. A arara-azul-grande se destaca das demais por suas lindas cores e seus comportamentos, entre outros aspectos. Se você quiser saber mais sobre ela, continue lendo.

 

Duas araras-azuis-grandes.

1. A arara-azul-grande é o maior papagaio

Comparado ao resto de seus parentes, a Anodorhynchus hyacinthinus atinge 90-100 centímetros de comprimento e uma envergadura de até 140 centímetros. Isso a torna o maior papagaio conhecido atualmente. Além disso, seu peso varia entre 1,5 e 1,7 quilos, um valor nada desprezível para uma ave.

2. Sua tonalidade azul intensa é inconfundível

A tonalidade tão vistosa dessa arara a torna um alvo visual irresistível para os turistas. Seu forte tom azul, que lembra o índigo, é acompanhado por asas e uma cauda muito longa, cuja parte inferior é preta.

Além disso, na base do bico e no anexo lateral – o anel periocular – , há uma tonalidade amarela. Por tudo isso, essa espécie está incluída no grupo das aves mais coloridas, junto com o periquito-arco-íris e outros representantes.

3. Seu bico curvo e pontudo é adaptado à sua alimentação

Charles Darwin determinou que os bicos das aves cumprem uma função essencial: eles são sua ferramenta-chave na dieta. No caso da arara-azul-grande, o alimento principal são as nozes. Esse fruto vem de diferentes palmeiras, dependendo da região em que a ave resida.

Estudos indicam que essas aves podem pegar nozes de palmeiras do chão ou arrancá-las da planta. Além disso, elas completam a dieta com frutas do gênero Ficus sp. (figos), bem como moluscos gastrópodes de água doce do gênero Pomacea.

Graças à força do seu bico preto, essa ave pode partir as nozes e os demais alimentos que compõem sua dieta.

4. Elas não apresentam dimorfismo sexual

Não é possível diferenciar os machos das fêmeas a olho nu. Portanto, afirma-se que essa espécie não apresenta dimorfismo sexual, pelo menos visível para a maioria. Embora pareçam quase indistinguíveis, as fêmeas têm a particularidade de serem mais esbeltas.

Habitat e comportamento

A distribuição dessa espécie se estende no interior da América do Sul, embora entre áreas bastante separadas. Normalmente, localiza-se em regiões tropicais, formadas por diferentes espécies de palmeiras com sementes grandes. Nessas regiões, essa ave prefere locais com baixa umidade ou umidade sazonal.

Por exemplo, essa ave pode ser encontrada nas florestas da Amazônia brasileira e em planaltos de vales rochosos no nordeste do Brasil.

Comportamento da arara-azul-grande

Embora os papagaios se destaquem por inúmeras habilidades cognitivas, possivelmente a mais conhecida é a habilidade de imitar sons ou palavras. Porém, esse não é o único comportamento que podemos destacar da arara-azul-grande. Aqui estão mais alguns:
  • Essa ave realiza movimentos migratórios.
  • Vive em diferentes estruturas sociais: em casal, em grupo familiar ou em pequenos bandos de até dez indivíduos.
  • As araras-azuis-grandes têm árvores favoritas para fazer seus ninhos: especialmente os gêneros Enterolobium e Sterculia.
  • Os machos “colaboram” na incubação: ao longo do mês de incubação, o macho se encarrega de cuidar de sua companheira.
  • Embora botem dois ovos, normalmente apenas um sobrevive: o ovo que eclode mais cedo tem as maiores chances de sobreviver, pois o segundo filhote, por ser mais fraco, não consegue competir por comida.
  • Imitam e repetem palavras a partir de 6 ou 7 meses: acredita-se que após 2 anos essas aves sejam capazes de entender o que os humanos falam.

Estado de conservação

Atualmente, a arara-azul-grande faz parte da lista de espécies vulneráveis que estão em perigo. Especificamente, essa situação decorre do excesso de capturas para fins comerciais, bem como do uso de suas penas para confecção de acessórios.

Além disso, como o restante dos animais que compõem a fauna silvestre das regiões onde vivem, os seres humanos colocaram seu habitat em perigo. São especialmente significativos os incêndios provocados para a obtenção de terras agrícolas, que acabam destruindo ninhos dessa e de outras espécies.

Tudo isso influencia para que essa espécie esteja atualmente em um estado de declínio populacional.

Uma arara-azul-grande adulta.

Em suma, a arara-azul-grande é uma ave com uma tonalidade irresistível para o ser humano. Porém, seu estado atual é grave, e é necessário frear suas ameaças para evitar que uma espécie tão bonita como essa desapareça.

Com o intuito de conscientizar a população, a Bolívia decidiu incluir essa espécie em suas notas de 100 bolivianos. Dessa forma, os órgãos governamentais buscam estimular a consciência de responsabilidade das pessoas por suas ações e promover a proteção dessa e de outras espécies.