Características dos ácaros: saiba tudo sobre estes artrópodes

outubro 3, 2019
Os ácaros são artrópodes, primos próximos das aranhas e escorpiões. Eles colonizaram quase todos os habitats terrestres, incluindo nossas casas

Apesar das características dos ácaros serem diferentes, eles são muito associados às pulgas na mente de algumas pessoas. Em primeiro lugar, devido ao seu tamanho pequeno, às vezes microscópico, além de viverem em grupos e poderem infestar nossas casas e animais de estimação.

Como veremos neste artigo, muitos tipos de ácaros não mordem ou causam danos aos seres humanos. A seguir, vamos compartilhar tudo sobre essas criaturas.

Quais são as principais características dos ácaros

Ao contrário da crença popular, os ácaros não são insetos, mas artrópodes. Eles também são conhecidos como Acarina e são primos próximos de carrapatos, aranhas, escorpiões e outros aracnídeos.

Esses pequenos insetos colonizaram quase todos os habitats terrestres, assim como as águas dos rios e mares. Eles também estão presentes em habitats extremos, como em regiões polares, desertos e grandes altitudes.

É surpreendente saber que, onde quer que a existência dos ácaros tenha sido investigada, eles foram encontrados. É o caso das profundidades abissais e das fontes termais.

Como se pode supor, esse alto grau de diversidade de habitats corresponde à grande variabilidade de sua morfologia e hábitos alimentares.

Características dos ácaros

A classificação da Acarina

A taxonomia dos ácaros é complexa e ainda não está completamente resolvida. Os ácaros são considerados uma subclasse, que pode ser dividida em três superordens importantes:

  • Os acariformes são a subordem mais numerosa dos ácaros.
  • Os opilioacariformes correspondem a menor das ordens.
  • Os parasitiformes formam uma ordem de ácaros parasitas. Os animais que hospedam esses parasitas são aves, mamíferos, anfíbios e répteis.

A maioria dos tipos de ácaros se alimenta de outros insetos ou plantas e animais mortos em decomposição. Os ácaros, por exemplo, se alimentam principalmente de células mortas da pele.

Apenas algumas espécies de ácaros são parasitárias em pássaros ou mamíferos, podendo ocasionalmente se tornar pragas que infestam as casas.

O presente duvidoso da natureza

É importante saber que existem mais de 48.000 espécies de ácaros descritas. Nesse universo, cerca de 65 espécies compõem o gênero Demodex, e duas delas vivem no seu rosto.

Estes são os ácaros das espécies D. folliculorum e D. brevis. Essas duas espécies são um presente especial da evolução para você. Eles vivem exclusivamente em humanos.

Outros ácaros Demodex têm preferências específicas semelhantes: D. canis, por exemplo, é um amante de cães, mas uma superabundância de D. canis pode desencadear uma condição potencialmente letal chamada sarna demodécica ou demodicose.

Demodex foi encontrado em todos os grupos étnicos humanos, de pessoas caucasianas aos indígenas, incluindo os esquimós. Portanto, os ácaros fazem parte da microbiota normal da nossa pele. A superabundância do mesmo tem sido associada à manifestação clínica da rosácea.

Ácaro visto de perto

As características reprodutivas dos ácaros

A reprodução dos ácaros é sexual, com espécimes masculinos e femininos. Após o acasalamento, os ovos já fertilizados são excretados. Note que a subclasse Acarina pode depositar mais de 300 ovos de uma única vez.

O ciclo de vida do Acarina é muito curto; as mudanças necessárias até se tornar adulto geralmente levam de 15 a 20 dias, e a vida de um adulto dura em média 25 dias.

Ácaro microscópico

Aspectos negativos

Do ponto de vista veterinário-sanitário, a importância dos ácaros é grande. Em geral, três aspectos podem ser destacados:

  • Como causadores de dano direto. Os ácaros parasitários podem causar várias lesões na pele alimentando-se de sangue ou linfa. Da mesma forma, sua saliva tóxica pode provocar doenças. Nos seres humanos, essas florações foram associadas a doenças de pele como sarna, acne, rosácea e blefarite (inflamação das pálpebras).
  • Como vetores de doenças. Embora seja raro, os ácaros podem contribuir para a disseminação de doenças. Entre os organismos que eles podem transmitir estão: nematoides, protozoários (causando piroplasmose), treponemas (causando febre recorrente), bactérias (que provocam tularemia, por exemplo), rickettsia (febre Q, doença Tsutsugamushi…), vírus (causando vários tipos de encefalite), etc.
  • Como a causa de doenças alérgicas. Os ácaros podem causar a asma brônquica. A doença é induzida pela presença no ambiente dos alérgenos que estão nos restos de mudas de pelo ou fezes, causando a reação alérgica no organismo.

Aspectos benéficos

  • Eles são importantes para o ciclo de nutrientes no solo. São muito abundantes no solo e contribuem muito para a decomposição da matéria vegetal. Seu papel é fundamental na reciclagem de substâncias do solo.
  • Eles podem ser usados ​​como bioindicadores. Por terem uma estreita conexão com o solo e uma mobilidade relativamente baixa, foram utilizados inúmeras vezes para conhecer as condições do solo.
  • Eles podem ser controladores de pragas. Os ácaros podem ser usados como controladores biológicos de vários organismos prejudiciais. Eles são usados ​​para controlar pragas agrícolas e são comercializados para este fim. Além disso, os ácaros que parasitam insetos podem ser usados ​​no controle natural das populações de insetos.
  • Patiño, L. A., & Morales, C. A. (2013). Microbiota de la piel: el ecosistema cutáneo. Revista de la Asociación Colombiana de Dermatología y Cirugía Dermatológica, 21(2), 147-158.
  • Evans, G. O. (1992). Principles of acarology. Wallingford, Oxon, UK: CAB International.
  • Díaz, R. M. D., Vidaurrázaga, C., & de Arcaya, D. (2003). Historia del ácaro de la sarna. Piel, 18(9), 471-473.