Características e distribuição da tartaruga mata-mata

· março 21, 2019
A tartaruga mata-mata (Chelus fimbriata), também conhecida simplesmente como mata-mata, pertence à família Chelidae. Atualmente, é a única espécie reconhecida de seu gênero, Chelus.

A tartaruga mata-mata é um animal único e inconfundível em seu gênero devido à sua aparência peculiar.

Ao contrário da maioria das tartarugas, que tendem a ter uma aparência pacífica e terna, essa espécie pode assustar alguém que não a conhece.

A seguir, falaremos mais sobre a incomum tartaruga mata-mata, suas características físicas, comportamento, habitat e reprodução.

Características físicas e taxonomia da mata-mata

Morfologicamente, a mata-mata é caracterizada por ter uma cabeça grande, alongada e achatada, com formato triangular.

Seu pescoço também é achatado e longo, e excede em comprimento a coluna protegida pela carapaça. Nas suas laterais, tem projeções que dão ao seu pescoço uma aparência de serra.

Sua pele é coberta por protuberâncias ou tubérculos, o que lhe confere uma aparência pré-histórica. Em seu queixo, você também pode ver um par de bigodes e dois filamentos adicionais, ou barbicha.

No entanto, essas chamadas “escamas de pele” são muito importantes no dia a dia desse réptil. Graças ao seu aspecto peculiar, a tartaruga mata-mata consegue se camuflar facilmente em seu ambiente para passar despercebida pelos seus possíveis predadores.

O focinho da mata-mata também é muito marcante por seu formato tubular e alongado (algo semelhante a um chifre).

Seu nariz funciona como uma espécie de snorkel, que permite que a tartaruga mata-mata permaneça submersa por várias horas, sem ter que subir à superfície da água para respirar.

A carapaça da mata-mata tem aproximadamente 45 centímetros de comprimento, considerando indivíduos adultos do sexo masculino.

Sua cor predominante pode variar entre marrom escuro ou preto. Seu casco é fino e estreito, visivelmente projetado para trás e mais aparado na frente.

Pata da tartaruga mata-mata

Dimorfismo sexual

O principal dimorfismo sexual das tartarugas mata-mata é encontrado no formato do seu casco. Os machos têm um casco notavelmente mais côncavo que as fêmeas. Além disso, sua cauda é mais longa e mais grossa.

Habitat da Mata Mata

A tartaruga mata-mata é uma espécie de tartaruga de água doce nativa da América do Sul. Sua população habita as bacias do rio Amazonas e do Orinoco, no Brasil, Colômbia, Peru, Venezuela, Colômbia, Equador e as Guianas.

A mata-mata mostra uma notável preferência pelas águas calmas dos rios, lagos e pântanos, bem como pelas correntes de água escuras.

Geralmente, vive em áreas rasas, já que seu focinho precisa atingir a superfície de vez em quando para conseguir respirar.

Curiosamente, a mata-mata foi introduzida artificialmente em alguns canais de drenagem no sudeste da Flórida (EUA).

Estima-se que isso tenha ocorrido como consequência do comércio ilegal de animais exóticos. Mas até hoje não se tem notícias do estado de sua população nessa região.

Alimentação da tartaruga mata-mata

Essas tartarugas são estritamente carnívoras, com uma dieta baseada principalmente no consumo de peixes ciclídeos e invertebrados aquáticos.

Sua técnica de caça é inteligente e oportunista, e elas se aproveitam de sua capacidade de se camuflar com o seu entorno.

As mata-mata passam muitas horas praticamente imóveis debaixo d’água, com seus pescoços recolhidos e camufladas com o ambiente.

Quando identificam a presença de uma presa, forçam a cabeça para fora e abrem a boca o máximo possível.

Tartaruga mata-mata

Esse movimento gera um ‘microambiente’ de baixa pressão, que suga a presa para o interior de sua boca. Então, a tartaruga rapidamente fecha a boca, engole sua presa e expele a água lentamente para fora.

Reprodução da tartaruga mata-mata

A época de reprodução da tartaruga mata-mata ocorre uma vez por ano, com a chegada da primavera no hemisfério sul. Machos e fêmeas se reúnem para acasalar a partir do início de outubro até meados de dezembro.

Antes da cópula, o macho geralmente estende a cabeça repetidamente, abrindo e fechando a boca.

Ele também pode estender suas extremidades e lançar a cabeça na direção da fêmea para chamar sua atenção.

Após o acasalamento, a fêmea vive uma gravidez de aproximadamente 200 dias. No final do período gestacional, coloca entre 12 e 20 ovos em formato esférico, que são muito frágeis e devem ser bem depositados.

Os filhotes são pequenos e têm uma cor rosada ou levemente avermelhada no casco e na borda inferior da carapaça.

Sua audição e tato são muito bem desenvolvidos, mas geralmente têm visão ruim. Eles têm nervos sensoriais nas dobras da pele que os ajudam a detectar movimentos em seu ambiente.

Em cativeiro, a tartaruga mata-mata pode viver até 35 anos. No entanto, sua expectativa de vida no habitat natural ainda é desconhecida; estima-se uma longevidade média de 15 a 20 anos.