Cavalo brumby: habitat e características

Nas pradarias da Austrália corre solta a raça assilvestrada chamada de cavalo brumby, que chegou a esse país com a colonização do século XVIII. Aprenda mais sobre ela aqui.
Cavalo brumby: habitat e características

Última atualização: 16 Setembro, 2021

Quando você pensa em grandes manadas de cavalos correndo soltos, a primeira imagem mental vem diretamente das pradarias dos Estados Unidos e dos cavalos mustang, mas a verdade é que a Austrália está à frente da América do Norte com o cavalo brumby. Essa raça de assilvestrados vive livremente nas pradarias do norte e sudeste desse país.

Neste artigo, você poderá aprender mais sobre a origem dessa raça (já que não havia equinos na Austrália antes de sua colonização) e as características que permitiram que ela se adaptasse à vida em liberdade. Não perca.

Origem da espécie

A entrada dos equinos na Austrália ocorreu através das mãos dos primeiros colonizadores europeus, no século XVIII, especificamente em 1788. Lá eles serviram como montaria e animal de trabalho até o século seguinte, já que no final da corrida do ouro, muitos cavalos foram abandonados.

O nome dessa raça vem da palavra baroomby, que significa “selvagem” na língua dos povos indígenas do sul da atual Queensland.

A multidão de raças abandonadas nas pastagens australianas fez com que o cavalo brumby reunisse uma série de características ideais para a sobrevivência na selva por meio do cruzamento natural. Seu número aumentou gradualmente ao longo dos anos.

Mais tarde, durante a Guerra dos Bôeres e a Primeira Guerra Mundial, esses equídeos foram domados novamente para serem incorporados à cavalaria dos exércitos, e mais tarde foram abandonados mais uma vez. Atualmente, alguns grupos os consideram uma praga, então o governo australiano autorizou sua caça.

 

Habitat de cavalo brumby

O cavalo brumby vive em estado selvagem em toda a Austrália. A maior população vive na região dos Alpes australianos, no sudeste. Outro importante núcleo vital está localizado no norte, perto de Queensland. Da mesma forma, também pode ser encontrado em alguns parques nacionais que possuem sua própria população dessa raça tão extensa.

Características físicas

O cavalo brumby tem 1,40 a 1,50 metros de altura na cernelha, então não é uma raça muito grande. Isso se deve à mistura de sangue compartilhada com os pôneis britânicos, que também chegaram com a colonização.

Esses equinos têm pescoço curto e pernas finas e fortes, com cascos duros. Sua constituição é robusta e compacta, às vezes um pouco desproporcional ao seu tamanho. Quanto à coloração, varia em tons diferentes de marrom e branco, mas é muito diversificada.

Adaptação do cavalo brumby

É uma raça adaptada à vida selvagem e à sobrevivência em ambientes secos com poucos recursos. Não é um cavalo particularmente rápido (seus quartos traseiros não são muito poderosos) e sua pele é delicada. Não é considerado bom para a montaria.

Quando a Austrália começou a ser colonizada, não havia grandes herbívoros que pudessem competir com o cavalo brumby. Por outro lado, eles também não tinham predadores, de modo que podiam se alimentar e se reproduzir sem problemas.

No início, a vegetação era rica e abundante, mas com a rápida proliferação desse cavalo veio a escassez de recursos para outras espécies menores, colocando-as em perigo. Como resultado desse problema, foram lançadas estratégias de controle populacional.

Alimentação do cavalo brumby

Como todos os cavalos, o cavalo brumby é herbívoro. Ele se alimenta principalmente das pastagens que frequenta, além de diferentes ervas e feno, bem como vegetais que encontra

Reprodução do cavalo brumby

É um mamífero vivíparo que atinge a maturidade sexual aos 14-15 meses no caso das fêmeas e 14-18 no caso dos machos. A reprodução compreende os estágios de cortejo, acasalamento, gestação e parto.

A gestação do cavalo brumby dura 11-12 meses, e a égua geralmente tem um único filhote, raramente gêmeos. A lactação do potro dura até os 6 meses de idade.

Controle populacional

Existem diferentes estratégias para controlar as populações de cavalos na Austrália. O impacto ambiental de sua proliferação em um ecossistema já severamente afetado é algo que a população australiana enfrenta entre si.

Alguns órgãos do governo realocam esses equinos em parques nacionais, mas outros caçam para matá-los. Certos grupos são contra os assassinatos, outros consideram esses animais como pragas e outros ainda querem espalhá-los para diminuir seu impacto. A opinião pública pesa muito nas medidas tomadas e muda dependendo da região.

O método tradicional para realocar os rebanhos é usar o laço para pegá-los e conduzi-los a um novo local.

Os custos econômicos do controle populacional são altos e, no momento, nenhum método poupa o sofrimento dos cavalos. O tratamento atualmente considerado o mais humano é o controle da fertilidade por meio de injeções. Embora tenha sido implementado em alguns lugares, resta saber se é eficaz a longo prazo.

Muitas organizações de direitos dos animais afirmam que métodos como assassinatos com tiros de helicóptero beiram barbárie e que a responsabilidade de controlar a população desses animais a partir da ética é dos mesmos que soltaram os cavalos no campo quando eles não os serviam mais: humanos. O que você acha?

Pode interessar a você...
15 curiosidades sobre cavalos
Meus Animais
Leia em Meus Animais
15 curiosidades sobre cavalos

O cavalo é um animal que tem estado presente de muitas maneiras na história do homem. A seguir, veremos 15 curiosidades sobre eles. E são verdadeir...



  • Dawson, M. J. (2005). The population ecology of feral horses in the Australian Alps Management Summary. Australian Alps Liaison Committee, Canberra.
  • Scasta, J. D., Adams, M., Gibbs, R., & Fleury, B. (2020). Free-ranging horse management in Australia, New Zealand and the United States: socio-ecological dimensions of a protracted environmental conflict. The Rangeland Journal42(1), 27-43.